Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 6º Domingo Comum – 12.02.2017

Liturgia – 6º Domingo Comum – 12.02.2017

LITURGIA – 6º DOMINGO COMUM – 12.02.2017

“Sede bom com vosso servo e viverei,e guardarei vossa Palavra, Senhor!”

1.Acolhida.
O Povo de Israel, vivendo em meio pagão, perdeu o sentido da vida e a dignidade de ser o Povo de Deus. Adorou ídolos e praticou abominações. Os cristãos, discípulos de Jesus, vivendo num mundo corrupto, acabamos perdendo o sentido da vida e vivemos como se Deus não existisse! Jesus morreu em vão e pagou um resgate inútil! Não podemos renegar a Jesus desta maneira! É grave demais!

Ensopados nos vícios do mundo atual, nós decaimos do mundo espiritual para o instinto animal, cujo fim seria engordar a terra com um corpo bem alimentado! A imagem e semelhança divina, impressa pelo criador em nosso ser, já se apagou! E apagar esta luz significa viver nas trevas e marchar para o inferno!

Jesus é a luz divina que ilumina nosso caminho para a eternidade!

2.Palavra de Deus
Ecl 15,16-21 – A consciência é luz divina que brilha e sinaliza o caminho da eternidade. Seguir o caminho por ela indicado é prática segura de salvação. A consciência é a norma primeira da vida cristã!

1Co 2,6-10 – A consciência é a voz de Deus que ressoa no íntimo do coração humano; Deus não abandona o ser humano nas estradas do pecado; pelo contrário, acompanha-o com sua misericórdia e respeita sua responsabilidade da escolha!

Mt 5,17-37 – Jesus não veio para abolir a Lei e os Profetas; mas veio aperfeiçoá-la. A Lei de Deus não é um capricho d’Ele; pelo contrário, é caminho seguro de salvação: desobedecê-la é fazer uma escolha de morte! ”Eis que Eu coloco diante de ti o caminho da vida e da morte. Faça a sua escolha!”.

3.Reflexão.
A consciência é dom que o Criador concede a toda criatura humana; é a luz do próprio Deus iluminando os caminhos da vida feliz. Mas, o pecado tem o poder de apagar esta luz mediante a repetição dos pecados! Nós podemos, de fato, sufocar esta luz divina que pode orientar-nos nos caminhos da vida. Irmão/ã, não apague a luz divina acesa por Deus em seu próprio coração!

Os Mandamentos da Lei de Deus não são um capricho de Deus; neste caso Jesus podia aboli-los substituindo-os por outros mais liberais! Pelo contrário, Jesus não quis abolir “a Lei e os Profetas”, mas deu-lhe um definitivo aperfeiçoamento. A Lei e os Mandamentos são caminhos sábios que conduzem à plena realização humana e espiritual do homem a quem Ele tanto ama! Deus não é um psicopata que tenha alegria em atormentar o ser humano por quem Ele deu (entregou) o próprio Filho, Jesus Cristo. Doentes somos nós que nos afastamos da fonte da vida divina e bebemos o veneno do pecado!

Deus nos falou de muitos modos revelando-nos o seu Plano da Salvação e o destino superior e eterno para o ser humano. Precisamos deixar-nos cativar pela proposta de Deus e erguer nosso olhar para o céu e não contentar-se com as drogas deste mundo carnal e materialista. “Sursum corda” = ergamos nosso coração para as alturas do céu, pois, lá é nosso destino: ser como Jesus, ressuscitados e morando na casa do Pai (Jo 14,2).

Frei Carlos Zagonel, OFMCap
Fonte: http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4346

Você pode Gostar de:

2.º Domingo da Páscoa – O discípulo que cura nossa falta de fé

Não foi por acaso o fato de São Tomé não estar com os outros discípulos …