Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 4º Domingo da Quaresma – 26.02.2017

Liturgia – 4º Domingo da Quaresma – 26.02.2017

LITURGIA – 4º DOMINGO DA QUARESMA – 26.02.2017
“Deus não julga ninguém pelas aparências;Deus vê o coração do homem!”
1.Acolhida.
O mundo vive de aparências, gosta de parecer bom, mesmo tendo um coração corrompido pelo pecado! A pobreza ou a riqueza do ser humano está no seu coração. Que Deus purifique nosso coração. Lavemos nossos olhos nas águas na fonte de Siloé, ou seja: do arrependimento de nossos pecados e do Sangue de Jesus. Somente Ele pode purificar-nos e curar nosso coração e colocar luz em nosso olhar!

2.Palavra de Deus.
1Sm 16,1-13 – Deus não escolheu seus amigos e colaboradores pela aparência, mas pela beleza interior, isto é, por sua fidelidade e pela coragem de realizar as obras de seu Reino.

Ef 5,8-14 – Todos nós nascemos envoltos em trevas, mas pelo Batismo somos luz no Senhor e com o Senhor. Deus ilumina-nos e chama-nos a iluminar o ambiente onde trabalhamos e vivemos.

Jo 9,1-41 – Um mendigo, cego de nascença, curado por Jesus, torna-se apóstolo e missionário do Reino de Deus. Reveste-se de coragem e confessa e adora a Jesus Cristo como Deus e Salvador: “Eu creio Senhor”… e prostrado por terra adorou Jesus diante de toda a platéia composta, inclusive, de fariseus incrédulos!

3.Reflexão.
Vivemos num mundo que adora aparências. A indústria da maquiagem está a serviço das aparências… E as aparências desaparecem com um bom banho de chuveiro! Hoje, maquia-se até defunto! Um defunto que morreu desesperado repousa sereno no féretro, tranqüilo e até bonito! Mas Deus não se deixa impressionar pelas aparências: “O homem vê as aparências, mas o Senhor olha o coração!” Alguém pode ter uma aparência não tão bonita, mas um coração maravilhoso!

Éramos trevas, mas o Senhor nos iluminou com sua graça. Hoje, em nosso coração, somos luminosos como Ele ressuscitado; por isso, não devemos associar-nos às obras das trevas! Pelo contrário, devemos desmascarar e denunciar tudo o que é vergonhoso! A luz ilumina e o cristão deve iluminar, como um farol que indica o caminho para o navegante perdido no mar! Irmão, você é luz no Senhor e para o Senhor ou está perdido nas trevas, “que não levam a nada”?

A cura do cego de nascença, narrada pelo Evangelho, é um texto batismal, que animava os candidatos ao Batismo impulsionando-os para o passo definitivo rumo à Fé em Jesus. Os candidatos eram iluminados como o cego de nascença; precisavam, porém, ser tocados por Jesus, lavar-se na piscina de Siloé (ser batizado) e confessar que Jesus é o Senhor. O Batismo não é uma cerimônia inconseqüente; pelo contrário, é uma verdadeira iluminação. Jesus disse: “Eu vim a este mundo para exercer um verdadeiro julgamento, a fim de que os que não vêem, vejam e os que vêem se tornem cegos!”.

O batizado, os pais e padrinhos precisam ser tocados por Jesus, lavar seus olhos nas águas de Siloé para serem curados, iluminados e para assumirem o compromisso missionário no Reino de Deus. Nossa Pastoral do Batismo parece que não vai bem e forma cegos e fariseus hipócritas que negam Jesus como Salvador. Se o Batismo não ilumina, o pecado permanece em nós!

“Eu sou a luz do mundo; vós, igualmente, sois luz do mundo!”
Frei Carlos Zagonel – OFMCap
Fonte: http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4424

Você pode Gostar de:

Liturgia – 11º Domingo Comum 18.06.2017

LITURGIA – 11º DOMINGO COMUM 18.06.2017 “De graça recebestes, de graça deveis dar!” 1.Acolhida. Terminado …