Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 5º Domingo da Quaresma

Liturgia – 5º Domingo da Quaresma

“Perdoarei sua maldade e não  mais lembrarei o seu pecado!”
1.Acolhida –
Celebrar a Eucaristia é uma grande graça! Celebrar a Eucaristia, especialmente, dominical, é  deixar-se envolver no Mistério de Jesus, Morto e Ressuscitado! É estar já salvo e sentado junto de Jesus na glória celestial! Estamos, ainda, na carne, sentimos o peso da carne mortal, mas dentro de nós já palpita a vida divina. Participamos da morte e da ressurreição de Cristo na celebração da Eucaristia. Cada Eucaristia celebrada nós nos tornamos mais divinizados!
Deixar de celebrar a Eucaristia dominical significa renunciar à vida divina que Jesus já conquistou para nós, é renunciar à vida divina e retornar à nossa vida humana e pecadora! Jesus procura consolidar nossa salvação e nós nos afastamos dela! Não apreciamos o presente divino que Ele nos deu com sua Morte e Ressurreição. É ingratidão demasiada, não é verdade?

2.Palavra de Deus –
Jr 31,31-34 – O profeta Jeremias fala  da abolição da Antiga Aliança, escrita em tábuas de pedra, e anuncia uma Nova Aliança escrita no próprio coração do homem! Deus quer estar próximo de sua criatura para conduzi-la pelos caminhos do bem! E por isso que a consciência  é apresentada como sendo a voz do próprio Deus, que ressoa no coração de toda a criatura humana.

Hb 5,7-9 – Jesus rogou insistentemente para ser livrado do sofrimento mortal, mas o Pai não o libertou da morte! Deu-lhe a ressurreição e a glória divina. O sofrimento, para Deus, é sempre redentor. Jesus aprendeu o significado da obediência no sofrimento e por ele tornou-se garantia de salvação para todos aqueles que lhe obedecem! O sofrimento é redentor!

Jo 12,20-33 – Jesus compara-se ao grão de trigo: se este não morrer não se multiplica! É com sua morte, sofrida na cruz, que o Reino de Deus vai expandir-se. O símbolo do grão de trigo vale, também, para os seus discípulos: “É pelo sofrimento que o Reino de Deus cresce em nós e no universo todo!”

3.Reflexão.
O profeta Jeremias anuncia a Nova Aliança, inscrita no coração do próprio ser humano. Deus vai universalizar sua Aliança. Ninguém mais poderá dizer que não sabia nada de Deus e de seus projetos de salvação. De agora em diante, Deus se revela no íntimo de cada ser humano! Assim fala o profeta: “Imprimirei a minha lei em suas entranhas e hei de inscrevê-la em seu coração; serei o seu Deus e eles serão o meu povo!” Irmão/ã, procure escutar o seu próprio coração porque é de lá, de seu íntimo, que Deus mesmo lhe revela sua vontade e seu amor!

O sofrimento é, humanamente falando, um mistério insondável! Por que Deus escolheu o sofrimento como instrumento de salvação? Por que o grão tem que morrer para multiplicar-se? Assim fala Jesus: “Em verdade, em verdade vos digo, se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então produz muito fruto!”  Que sentido tem, para mim, a Palavra de Jesus se ela for entendida e aplicada de acordo com o seu ensinamento?

Alguns peregrinos gregos (não judeus) procuraram ver Jesus. Com certeza, eram sedentos de Deus!  A Aliança divina, inscrita em suas entranhas, suscitou-lhes a sede de Deus! Deus faz a sua parte: suscita a sede; mas os discípulos de Jesus precisam entrar em campo e revelar-lhe os segredos do Nome de Jesus. Quantas vezes e a quantas pessoas você já levou até Jesus? É preciso levar os sedentos à fonte!

Frei Carlos Zagonel

http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=5022

Você pode Gostar de:

Liturgia do 10º Domingo do Tempo Comum

“O tempo arruína nosso corpo, mas Deus vai construindo o homem novo!” 1.Acolhida Deus não …