Página Inicial / Animação Litúrgica / 16º Domingo do Tempo Comum(22.07)

16º Domingo do Tempo Comum(22.07)

JESUS VIU UMA GRANDE MULTIDÃO E TEVE COMPAIXÃO
22 de julho de 2018
DÉCIMO SEXTO DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B
Cor Litúrgica: Verde
A.: Irmãos e irmãs: Cristo tem grande compaixão por todos, especialmente por quem se sente mais
enfraquecido na fé ou até sem rumo na vida. Ele fortalece a nossa esperança e nos envia a servir a obra
missionária da Igreja, testemunhando os sinais da misericórdia. Unidos ao Senhor, fiquemos de pé e
iniciemos a nossa celebração.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – R.: O SENHOR É MINHA LUZ, ELE É MINHA SALVAÇÃO, QUE PODEREI TEMER?/
1. O Senhor é minha luz, Ele é minha salvação. O que é que eu vou temer? Deus é minha salvação! Ele
guarda minha vida, eu não vou ter medo, não!/ 2. A Deus peço uma só coisa, sei que Ele vai me dar, habitar
em sua casa, todo o tempo que eu durar, para provar sua doçura e no tempo contemplar!/ 3. Vem, me
ensina teus caminhos e me mostra a boa estrada. Me protege do inimigo que só pensa coisa errada,
falsidade estão tramando, tenho a vida amargurada!
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: A
graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.
TODOS: BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL – P.: Irmãos e irmãs, reconheçamos as nossas culpas para celebrarmos dignamente os
santos mistérios. (Pausa). Confessemos os nossos pecados: TODOS: Confesso a Deus todo-poderoso e a
vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha
culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que
rogueis por mim a Deus nosso Senhor. P.: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos
pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS: AMÉM. P.: Senhor, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR,
TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Cristo, tende piedade de nós. TODOS: CRISTO, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.:
Senhor, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS.
4. HINO DE LOUVOR – Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados! Senhor Deus,
Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos
glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória! Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor
Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós
que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica! Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de
nós! Só Vós sois o Santo, só Vós o Senhor, só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória
de Deus Pai. Amém.
5. ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) – Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e
multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos
fielmente os vossos mandamentos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito
Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
A.: Meus irmãos, em Cristo, Deus realiza a promessa de conduzir o Seu povo com o cuidado do Bom Pastor.
Ouçamos com atenção as leituras de hoje.
6. 1ª LEITURA (Jr 23, 1-6) – Leitura do livro do profeta Jeremias.
1Ai dos pastores que deixam perder-se e dispersar-se o rebanho de minha pastagem, diz o Senhor! 2Deste
modo, isto diz o Senhor, Deus de Israel, aos pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes o meu
rebanho, e o afugentastes e não cuidastes dele; eis que irei verificar isso entre vós e castigar a malícia de
vossas ações, diz o Senhor. 3E eu reunirei o resto de minhas ovelhas de todos os países para onde forem
expulsas, e as farei voltar a seus campos, e elas se reproduzirão e multiplicarão. 4Suscitarei para elas novos
pastores que as apascentem; não sofrerão mais o medo e a angústia, nenhuma delas se perderá, diz o
Senhor. 5Eis que virão dias, diz o Senhor, em que farei nascer um descendente de Davi; reinará como rei e
será sábio, fará valer a justiça e a retidão na terra. 6Naqueles dias, Judá será salvo e Israel viverá tranquilo;
este é o nome com que o chamarão: ‘Senhor, nossa justiça’”. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
7. SALMO RESPONSORIAL – (Do Salmo 22/23) – R.: O SENHOR É O PASTOR QUE ME CONDUZ: FELICIDADE
E TODO BEM HÃO DE SEGUIR-ME!/ 1. O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.
Pelos prados e campinas verdejantes Ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, e
restaura as minhas forças./ 2. Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do teu nome. / Mesmo que
eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei. Estais comigo com bastão e com cajado; eles me
dão segurança./ 3. Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo e com óleo vós ungis minha
cabeça; e meu cálice transborda./ 4. Felicidade e todo bem hão de seguir-me por toda a minha vida; e, na
casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.
8. 2ª LEITURA (Ef 2, 13-18) – Leitura da carta de São Paulo aos Efésios.
Irmãos, 13agora, em Jesus Cristo, vós que outrora estáveis longe vos tornastes próximos pelo sangue de
Cristo. 14Ele, de fato, é a nossa paz: do que era dividido ele fez uma unidade. Em sua carne ele destruiu o
muro de separação: a inimizade. 15Ele aboliu a lei com seus mandamentos e decretos. Ele quis, assim, a
partir do judeu e do pagão, criar em si um só homem novo, estabelecendo a paz. 16Quis reconciliá-Ios com
Deus, ambos em um só corpo, por meio da cruz; assim ele destruiu em si mesmo a inimizade. 17Ele veio
anunciar a paz a vós que estáveis longe, e a paz aos que estavam próximos. É graças a ele que uns e outros,
em um só Espírito, temos acesso junto ao Pai. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – R.: ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA!/ 1. Minhas ovelhas escutam minha voz
minha voz estão elas a escutar. Eu conheço, então, minhas ovelhas, que me seguem, comigo a caminhar!
10. EVANGELHO – (Mc 6, 30-34) – P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.:
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: Naquele tempo, 300s apóstolos reuniram-se com Jesus e contaram tudo o que haviam feito e ensinado.
31Ele Ihes disse: “Vinde sozinhos para um lugar deserto e descansai um pouco”. Havia, de fato, tanta gente
chegando e saindo que não tinham tempo nem para comer. 32Então foram sozinhos, de barco, para um
lugar deserto e afastado. 33Muitos os viram partir e reconheceram que eram eles. Saindo de todas as
cidades, correram a pé e chegaram lá antes deles. 34Ao desembarcar, Jesus viu uma numerosa multidão e
teve compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor. Começou, pois, a ensinar-lhes muitas coisas.
Palavra da Salvação. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
11. HOMILIA
12. PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu
único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria,
padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou
ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar
os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na
remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13. ORAÇÃO DOS FIÉIS – P.: Irmãos, confiantes e cheios de esperança, apresentemos nossas preces a
Cristo Senhor que, sendo nosso Bom Pastor, sempre tem compaixão e vem ao encontro do Seu povo.
Digamos: Cristo, Bom Pastor, ouvi-nos!
TODOS: CRISTO, BOM PASTOR, OUVI-NOS!
1) Pela Santa Igreja de Deus, para que seja servidora da humanidade, e ajude a libertar o mundo de
toda forma de opressão e violência, rezemos ao Senhor.
TODOS: CRISTO, BOM PASTOR, OUVI-NOS!
2) Pelos governantes de todas as Nações, para que, pelos caminhos da justiça, da liberdade e da
reconciliação, promovam o desenvolvimento integral de todos os cidadãos e colaborem na
edificação do bem comum, rezemos ao Senhor.
TODOS: CRISTO, BOM PASTOR, OUVI-NOS!
3) Pelos cristãos leigos e leigas, para que saibam reservar o tempo necessário para o encontro com
Cristo e n’Ele encontrem a alegria necessária para o testemunho do Evangelho, rezemos ao Senhor.
TODOS: CRISTO, BOM PASTOR, OUVI-NOS!
4) Pela nossa comunidade, para que, ouvindo a voz do Bom Pastor, se disponha a viver os Seus
ensinamentos a favor da caridade e da solidariedade para com os marginalizados, rezemos ao
Senhor.
TODOS: CRISTO, BOM PASTOR, OUVI-NOS!
(Preces Espontâneas)
P.: Cristo, Bom Pastor, dignai-vos olhar para o Vosso povo e concedei-lhe os dons de Vossa bondade. Vós
que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
14. CANTO DE OFERTAS – R.: NESTA PRECE SENHOR, VENHO TE OFERECER, O CREPITAR DA CHAMA, A
CERTEZA DE DAR./ 1. Eu te ofereço o sol que brilha forte, te ofereço a dor do meu irmão! A fé na
esperança e o meu amor!/ 2. Eu te ofereço as mãos que estão abertas, o cansaço do passo mantido! Meu
grito mais forte de louvor!/ 3. Eu te ofereço o que vi de belo no interior dos corações, a coragem de me
transformar!
15. P.: Orai, irmãos e irmãs…
16. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes à
plenitude os sacrifícios da Antiga Aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons
que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
17. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III – Prefácio dos Domingos do Tempo Comum I – MR (p. 428) –
18. RITO DA COMUNHÃO
19. CANTO DE COMUNHÃO – R.: VENHO, SENHOR, TE RECEBER AGORA. TEU SANTO CORPO, SENHOR,
ME ENCHE DO TEU AMOR. VENHO SENHOR, TE RECEBER AGORA, TEU SANTO SANGUE, SENHOR,
TRANSBORDA MEU CORAÇÃO, SENHOR. / 1. E ao receber teu corpo e sangue, Senhor, possa em mim
brotar a paz, o amor, a salvação. E no teu altar seremos um em comunhão. És grande, ó meu Salvador! / 2.
E ao receber teu corpo e sangue, Senhor, não se faça em mim motivo de condenação. Mas se faça sim,
Senhor, presença tua em mim. És grande, ó meu Salvador!
20. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Ó Deus, permanecei junto ao povo que
iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma
vida nova. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
21. ORAÇÃO PARA O ANO NACIONAL DO LAICATO
Ó Trindade Santa, Amor pleno e eterno, que estabelecestes a Igreja como Vossa “imagem terrena”: Nós
Vos agradecemos pelos dons, carismas, vocações, ministérios e serviços que todos os membros de Vosso
povo realizam como “Igreja em saída”, para o bem comum, a missão evangelizadora e a transformação
social, no caminho de Vosso Reino. Nós Vos louvamos pela presença e organização dos cristãos leigos e
leigas no Brasil, sujeitos eclesiais, testemunhas de fé, santidade e ação transformadora. Nós Vos pedimos
que todos os batizados atuem como sal da terra e luz do mundo: na família, no trabalho, na política e na
economia, nas ciências e nas artes, na educação, na cultura e nos meios de comunicação; na cidade, no
campo e em todo o planeta, nossa “casa comum”. Nós Vos rogamos que todos contribuam para que os
cristãos leigos e leigas compreendam sua vocação e identidade, espiritualidade e missão, e atuem de
forma organizada na Igreja e na sociedade à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres. Isto Vos
suplicamos pela intercessão da Sagrada Família, Jesus, Maria e José, modelos para todos os cristãos.
Amém!
RITOS FINAIS
22. BREVES AVISOS
23. BÊNÇÃO FINAL

Preparando a Partilha da Palavra
O Evangelho deste domingo descreve duas cenas: na primeira, aparecem os apóstolos cansados depois de muitas atividades, mas felizes e cheios de entusiasmo pelo bom êxito da missão e por tudo o que tinham conseguido realizar. Retornam para junto de Jesus e dialogam sobre como tinham agido e como tinham ensinado. Jesus os convida a se retirarem para um lugar sossegado, na solidão e no silêncio do deserto,
a fim de refazerem suas forças e buscarem maior intimidade com o Pai, pela oração. A segunda cena descreve a chegada da multidão: povo abandonado e desprezado pelos maus governantes, maus pastores que, pela corrupção, abuso do poder, busca de interesses pessoais e total descaso pelo povo, provocaram o triste drama da miséria cada vez maior das multidões excluídas do sistema do Império Romano, que só beneficiava uma minoria de privilegiados. Diante dessa multidão sofrida, Jesus moveu-se de compaixão, atitude característica de Deus. Deixou-se estremecer por dentro, teve um sentimento profundo como dores de parto, escutou o gemido e suas entranhas comoveram-se, porque os pastores tinham abandonado seu povo nas mãos de estranhos e exploradores. A primeira leitura e o Evangelho evocam a figura do pastor. O profeta Jeremias faz uma acusação contundente aos pastores que traíram as esperanças do povo, especialmente ao rei Nabucodonosor. A tarefa dos pastores era não deixar se perder nem dispersar o rebanho, com uma administração séria e eficiente, na qual fossem preservados o direito e a justiça, como fez o rei Davi. As lideranças foram infiéis. Jeremias garante ao povo que nem tudo está perdido. Deus mesmo vai cuidar de seu povo e lhe dará um pastor segundo o seu coração, um Messias que se chamará “O Senhor é nossa justiça”. A justiça e o direito expressam a vontade de Deus. O Salmo 22 é uma oração com referência simples e clara a Jesus Cristo, o pastor que se compadece do povo explorado. Ele conduz às fontes da água viva. Na segunda leitura, Cristo é a paz e quem nos traz a paz; Ele derrubou a parede divisória entre judeus e gentios, que eram desconsiderados pelos primeiros. Como bom pastor, reúne a todos como um só rebanho. Não há mais discriminação e Deus nos chama para participar de seu Reino. Cristo deixou pastores instituídos para continuarem a guiar o seu povo, quer por prados e campinas
verdejantes, quer por vales tenebrosos. Eles são chaves indispensáveis à vida e à missão da Igreja. A preparação e o cuidado desses pastores se faz cada dia mais exigente e de responsabilidade de todos. O convite de Jesus para ir a um lugar tranquilo e descansar um pouco, não é detalhe que destoa no Evangelho. Criemos em nossas comunidades espaços para o descanso, o lazer e a convivência prazerosa. A vida cristã não se reduz a preceitos, pecados, orações, devoções, abstinências, jejuns ou esmolas, mas proporciona também experiências fraternas na gratuidade, no aconchego, no convívio alegre e fraterno.

LEITURAS DA SEMANA
Seg.: Sta Brígida Rlg, MFac; Mq 6, 1-4.6-8; Sl 49 (50); Mt 12, 38-42
Ter.: S. Charbel Makhluf Presb, MFac; Mq 7, 14-15.18-20; Sl 84 (85); Mt 12, 46-50
Qua.: S. Tiago (Maior) Apóstolo. Festa. 2 Cor 4, 7-15; Sl 125 (125); Mt 20, 20-28.
Qui.: S. Joaquim e Sta. Ana. Pais de Maria Santíssima. Memória. Eclo 44, 1.10-15; Sl 131 (132); Mt 13, 16-17.
Sex.: Jr 3, 14-17; Cant: Jr 31, 10.11-12ab.13; Mt 13, 18-23
Sáb.: Jr 7, 1-11; Sl 83 (84); Mt 13,24-30

Você pode Gostar de:

19º Domingo do Tempo Comum(12.08)

EU SOU O PÃO VIVO QUE DESCEU DO CÉU, PARA A SALVAÇÃO DO MUNDO Dia …