Página Inicial / Animação Litúrgica / 18º Domingo do Tempo Comum(05.08)

18º Domingo do Tempo Comum(05.08)

JESUS É O PÃO DA VIDA, POR ISSO O CAMINHO PARA A SANTIDADE
Dia das Vocações Sacerdotais
05 de agosto de 2018
DÉCIMO OITAVO DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B
Mês Vocacional – Vocação ao Ministério Ordenado
Cor Litúrgica: Verde
A.: Irmãos amados, Cristo nos convida ao banquete em Sua casa para ouvirmos Sua palavra, fonte de vida,
e nos alimentarmos com a Eucaristia. O mês de agosto é, para a Igreja no Brasil, um tempo forte de oração
pelas vocações. Neste primeiro domingo do mês vocacional, recordemos os vocacionados ao ministério
ordenado – diáconos, padres e bispos – e rezemos em especial pela santificação dos sacerdotes. Como
Igreja, reunida em torno do Altar da Palavra e da Eucaristia, iniciemos a nossa celebração.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – R.: SENHOR, SE TU ME CHAMAS, EU QUERO TE OUVIR. SE QUERES QUE EU TE
SIGA, RESPONDO: EIS-ME AQUI./ 1. Profetas te ouviram e seguiram tua voz, andaram mundo afora e
pregaram sem temor. Seus passos tu firmaste sustentando seu vigor. Profeta tu me chamas: vê, Senhor,
aqui estou./ 2. Nos passos do teu Filho toda igreja também vai, seguindo teu chamado de ser santa qual
Jesus. Apóstolos e mártires se deram sem medir. Apóstolo me chamas: vê, Senhor, estou aqui./ 3. Os
séculos passaram, não passou, porém, tua voz, que chama ainda hoje, que convida a te seguir. Há homens
e mulheres que te amam mais que a si, e dizem com firmeza: vê, Senhor, estou aqui.
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM.
P.: A vós, irmãos e irmãs, paz e fé da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo! TODOS: BENDITO SEJA
DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL – P.: No início desta celebração eucarística, peçamos a conversão do coração, fonte de
reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs. (Pausa). Confessemos os nossos pecados:
TODOS: Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por
pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem
Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus nosso Senhor. P.: Deus todo poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS:
AMÉM. P.: Senhor, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Cristo, tende
piedade de nós. TODOS: CRISTO, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Senhor, tende piedade de nós. TODOS:
SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS.
4. HINO DE LOUVOR – Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados! Senhor Deus,
Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos
glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória! Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor
Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós
que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica! Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de
nós! Só Vós sois o Santo, só Vós o Senhor, só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória
de Deus Pai. Amém.
5. ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) – Manifestai, ó Deus, vossa inesgotável bondade para com os
filhos e filhas que vos imploram e se gloriam de vos ter como criador e guia, restaurando para eles a vossa
criação, e conservando-a renovada. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito
Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
A.: Meus irmãos, agradecidos pelo dom da Eucaristia, abramos nossos corações para ouvir as leituras de
hoje.
6. 1ª LEITURA (Ex 16, 2-4.12-15) – Leitura do Livro do Êxodo.
Naqueles dias, 2a comunidade dos filhos de Israel pôs-se a murmurar contra Moisés e Aarão, no deserto,
dizendo: 3“Quem dera que tivéssemos morrido pela mão do Senhor no Egito, quando nos sentávamos
junto às panelas de carne e comíamos pão com fartura! Por que nos trouxestes a este deserto para matar
de fome a toda esta gente?” 4O Senhor disse a Moisés: “Eis que farei chover para vós o pão do céu. O povo
sairá diariamente e só recolherá a porção de cada dia a fim de que eu o ponha à prova, para ver se anda ou
não na minha lei. 12Eu ouvi as murmurações dos filhos de Israel. Dize-lhes, pois: ‘Ao anoitecer, comereis
carne, e pela manhã vos fartareis de pão. Assim sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus’”. 13Com efeito, à
tarde, veio um bando de codornizes e cobriu o acampamento; e, pela manhã, formou-se uma camada de
orvalho ao redor do acampamento. 14Quando se evaporou o orvalho que caíra, apareceu na superfície do
deserto uma coisa miúda, em forma de grãos, fina como a geada sobre a terra. 15Vendo aquilo, os filhos de
Israel disseram entre si: “Que é isto?” Porque não sabiam o que era. Moisés respondeu-lhes: “Isto é o pão
que o Senhor vos deu como alimento”. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
7. SALMO RESPONSORIAL – (Do Salmo 77/78)
R.: O SENHOR DEU A COMER O PÃO DO CÉU./ 1. Tudo aquilo que ouvimos e aprendemos, e transmitiram
para nós os nossos pais, não haveremos de ocultar a nossos filhos, mas à nova geração nós contaremos: as
grandezas do Senhor e seu poder./ 2. Ordenou, então, às nuvens lá dos céus, e as comportas das alturas
fez abrir; fez chover-lhes o maná e alimentou-os e lhes deu para comer o pão do céu./ 3. O homem se
nutriu do pão dos anjos, e mandou-lhes alimento em abundância. Conduziu-os para a Terra Prometida,
para o Monte que seu braço conquistou.
8. 2ª LEITURA (Ef 4, 17.20-24) – Leitura da carta de São Paulo aos Efésios.
Irmãos, 17eis pois o que eu digo e atesto no Senhor: não continueis a viver como vivem os pagãos, cuja
inteligência os leva para o nada. 20Quanto a vós, não é assim que aprendestes de Cristo, 21se ao menos foi
bem ele que ouvistes falar, e se é ele que vos foi ensinado, em conformidade com a verdade que está em
Jesus. Renunciando à vossa existência passada, despojai-vos do homem velho, que se corrompe sob o
efeito das paixões enganadoras, 23e renovai o vosso espírito e a vossa mentalidade. 24Revesti o homem
novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade. Palavra do Senhor.
TODOS: GRAÇAS A DEUS.
9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA./ O homem não vive somente de pão, mas
vive de toda palavra que sai da boca de Deus, e não só de pão. Amém! Aleluia! Aleluia!
10. EVANGELHO – (Jo 6, 24-35) – P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.:
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: Naquele tempo, 24quando a multidão viu que Jesus não estava ali, nem os seus discípulos, subiram às
barcas e foram à procura de Jesus, em Cafarnaum. 25Quando o encontraram no outro lado do mar,
perguntaram-lhe: “Rabi, quando chegaste aqui?” 26Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, eu vos
digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos.
27Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que
o Filho do homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo”. 28Então perguntaram: “Que
devemos fazer para realizar as obras de Deus?” 29Jesus respondeu: “A obra de Deus é que acrediteis
naquele que ele enviou”. 30Eles perguntaram: “Que sinal realizas, para que possamos ver e crer em ti? Que
obra fazes? 31Nossos pais comeram o maná no deserto, como está na Escritura: “Pão do céu deu-lhes a
comer”. 32Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade vos digo, não foi Moisés quem vos deu o pão que
veio do céu. É meu Pai que vos dá o verdadeiro pão do céu. 33Pois o Pão de Deus é aquele que desce do
céu e dá vida ao mundo”. 34Então pediram: “Senhor, dá-nos sempre desse pão”. 35Jesus lhes disse: “Eu sou
o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede”. Palavra da
Salvação.
TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
11. HOMILIA
12. PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu
único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria,
padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou
ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar
os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na
remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13. ORAÇÃO DOS FIÉIS – P.: Irmãos e irmãs, o Senhor concede ao Seu povo força e perseverança. De
coração sincero, elevemos a Ele nossas orações, dizendo: Deus de bondade, ouvi-nos!
TODOS: DEUS DE BONDADE, OUVI-NOS!
1) Pelo Santo Padre, o Papa Francisco, para que o Cristo Eucarístico o ilumine e fortaleça na condução da
Igreja, rezemos ao Senhor.
TODOS: DEUS DE BONDADE, OUVI-NOS!
2) Pelo nosso Cardeal Arcebispo, Dom Sergio da Rocha, pelos nossos Bispos auxiliares, pelos sacerdotes e
pelos diáconos de nossa Arquidiocese, para que sejam autênticas testemunhas da misericórdia e do
amor de Cristo, rezemos ao Senhor.
TODOS: DEUS DE BONDADE, OUVI-NOS!
3) Pelos jovens do mundo inteiro, para que, inspirados no exemplo de amor e de doação dos sacerdotes,
descubram a beleza da vida sacerdotal à luz da Eucaristia, rezemos ao Senhor.
TODOS: DEUS DE BONDADE, OUVI-NOS!
4) Pela nossa comunidade, para que, hoje e sempre, seja um celeiro de vocações e continue ajudando,
com generosidade, as Obras das Vocações Sacerdotais, rezemos ao Senhor.
TODOS: DEUS DE BONDADE, OUVI-NOS!
5) Por todos nós, para que cresçamos no amor e na partilha, à luz da Palavra de Deus, rezemos ao Senhor.
TODOS: DEUS DE BONDADE, OUVI-NOS!
(Preces Espontâneas)
P.: Deus Pai, que enviastes o Vosso Filho, que nos dá o verdadeiro Pão do Céu, saciai a fome e a sede que
temos de Vós. Por Cristo, nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
14. CANTO DE OFERTAS – 1. Os grãos que formam a espiga se unem pra serem pão; os homens que são
Igreja, se unem pela oblação./ R.: DIANTE DO ALTAR, SENHOR, ENTENDO MINHA VOCAÇÃO: DEVO
SACRIFICAR A VIDA POR MEU IRMÃO./ 2. O grão caído na terra só vive se vai morrer; é dando que se
recebe, morrendo se vai viver./ 3. O vinho e o pão ofertamos, são nossa resposta de amor. Pedimos
humildemente: “aceita-nos, ó Senhor.”
15. P.: Orai, irmãos e irmãs…
16. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Dignai-vos, ó Deus, santificar estas oferendas e, aceitando este
sacrifício espiritual, fazei de nós uma oferenda eterna para vós. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
17. ORAÇÃO EUCARÍSTICA PARA DIVERSAS CIRCUNSTÂNCIAS VI D – Jesus que passa fazendo o bem – MR
(p. 860)
18. RITO DA COMUNHÃO
19. CANTO DE COMUNHÃO – 1. Vejam: Eu andei pelas vilas, apontei as saídas como o Pai me pediu. Portas
eu cheguei para abri-las, eu curei as feridas como nunca se viu. / R.: POR ONDE FORMOS TAMBÉM NÓS,
QUE BRILHE A TUA LUZ; FALA, SENHOR, NA NOSSA VOZ, EM NOSSA VIDA; NOSSO CAMINHO ENTÃO
CONDUZ. QUEREMOS SER ASSIM. QUE O PÃO DA VIDA NOS REVIGORE EM NOSSO “SIM”. / 2. Vejam: Fiz
de novo a leitura das raízes da vida que meu Pai vê melhor. Luzes acendi com brandura, para a ovelha
perdida não medi meu suor. / 3. Vejam: Procurei bem aqueles que ninguém procurava e falei de meu Pai.
Pobres, a esperança que é deles eu não quis ver escrava de um poder que retrai. / 4. Vejam: Semeei
consciência nos caminhos do povo, pois o Pai quer assim. Tramas, enfrentei prepotência dos que temem o
novo, qual perigo sem fim. / 5. Vejam: Eu quebrei as algemas, levantei os caídos, do meu Pai fui as mãos.
Laços, recusei os esquemas, eu não quero oprimidos, quero um povo de irmãos. / 6. Vejam: Procurei ser
bem claro; o meu reino é diverso, não precisa de Rei. Tronos, outro jeito mais raro de juntar os dispersos o
meu Pai tem por lei.
20. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Acompanhai, ó Deus, com proteção
constante os que renovastes com o pão do céu e, como não cessais de alimentá-los, tornai-os dignos da
salvação eterna. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
21. ORAÇÃO VOCACIONAL
Ó Pai, fazei com que surjam, entre os cristãos, numerosas e santas vocações ao sacerdócio, que
mantenham viva a fé e conservem a grata memória do vosso Filho Jesus pela pregação da sua Palavra e
pela administração dos sacramentos com os quais renovais continuamente os vossos fiéis. Dai-nos santos
ministros do vosso altar, que sejam atentos e fervorosos guardiões da Eucaristia, o sacramento do
supremo dom de Cristo para a redenção do mundo. Chamai ministros da vossa misericórdia, os quais,
através do sacramento da Reconciliação, difundem a alegria do vosso perdão. Fazei, ó Pai, que a Igreja
acolha com alegria as numerosas inspirações do Espírito do vosso Filho e, dócil aos seus ensinamentos,
cuide das vocações ao ministério sacerdotal e à vida consagrada. Ajudai os Bispos, os sacerdotes, os
diáconos, as pessoas consagradas e todos os batizados em Cristo para que cumpram fielmente a sua
missão no serviço do Evangelho. Nós vos pedimos por Cristo, nosso Senhor. Amém. Maria, Rainha dos
Apóstolos, rogai por nós. (Papa Emérito Bento XVI).
RITOS FINAIS
22. BREVES AVISOS
23. BÊNÇÃO FINAL
LEITURAS DA SEMANA
Seg.: Transfiguração do Senhor, Festa. Dn 7, 9-10.13-14 ou 2 Pd 1, 16-19; Sl 96 (97); Mc 9,2-10
Ter.: S. Sixto II Pp e Comps. Mts; S. Caetano Presb., MFac. Jr 30,1-2.12-15.18-22; Sl 101(102); Mt 14,22-36
Qua.: Domingos Presb, mem. Jr 31, 1-7; Cânt.: Jr 31, 10.11-12ab.13; Mt 15, 21-28
Qui.: Sta. Teresa Benedita da Cruz VgMt, MFac. Jr 31, 31-14; Sl 50(51); Mt 16,13-23
Sex.: S. Lourenço* Diácono Mt, festa. 2 Cor 9,6-10; Sl 111(112); Jo 12,24-26
Sab.: Sta. Clara Vg, memória. Hab 1, 12-2,4; Sl 9 A (9), 8-9.10-11.12-13; Mt 17, 14-20
Segunda Semana do Saltério
Décimo Oitavo Domingo do Tempo Comum

Preparando a Partilha da Palavra
Depois da multiplicação dos pães, Jesus explicita o sentido deste sinal ao povo que o procura. Ele diz que o mais importante não é o pão que alimenta o corpo, mas o pão que pode alimentar o homem para a vida eterna, o pão que sacia definitivamente a fome, ou seja, o desejo da santidade. Jesus é o pão da vida, por isso o caminho para a santidade. Na leitura do Êxodo, ouvimos como o Senhor alimentou o povo no deserto com o pão enviado do céu. Agora Jesus anuncia que Ele é o verdadeiro pão do céu, porque, através d’Ele, não será apenas alimentado o corpo, mas também, o espírito, para a salvação eterna. Com a multiplicação dos pães, evidencia-se uma das características das comunidades cristãs: a partilha. É por meio da partilha solidária que acontece o milagre da multiplicação e da abundância, onde todos se saciam e ainda sobra para os que virão depois. “A fome de tantas pessoas é sinal de que o projeto de Deus não foi respeitado e que seu Reino ainda não se completou”. A compaixão é um sentimento divino que leva Jesus a socorrer as pessoas em suas necessidades. A exemplo de Jesus, somos convidados a fixar nosso olhar nos novos excluídos: migrantes, refugiados, vítimas do tráfico, analfabetos tecnológicos, moradores de rua, enfermos, idosos, desempregados… Que os gestos de compaixão de Jesus, despertem em nós, os mesmos sentimentos de solidariedade e compromisso com os excluídos dos bens da sociedade. Na abertura solidária para os outros, a melhor oferta do pão, que ninguém recusa porque não marginaliza, são: o amor, a acolhida, o respeito à dignidade de cada pessoa. Talvez esse seja o pão de que mais se tenha fome em nossos dias. Poderemos então aproximar-nos para receber o pão eucarístico se não estivermos dispostos a partilhar com os irmãos o pão material? Se não aceitamos que a pessoa de Jesus seja reproduzida em nós, se não lhe permitimos continuar, por nosso intermédio, a saciar a humanidade? E Jesus continua pedindo: “Dai-lhes vós mesmos de comer”! Qual é a nossa atitude diante de tantos irmãos e irmãs sofredores? Como posso chamar-me de cristão se não me preocupo com meus semelhantes?

Você pode Gostar de:

10º Domingo do Tempo Comum(10.06)

A FAMÍLIA DE JESUS SÃO TODOS OS CRISTÃOS QUE COLOCAM EM PRÁTICA O BEM COMUM …