Página Inicial / Animação Litúrgica / 25º Domingo do Tempo Comum(23.09)

25º Domingo do Tempo Comum(23.09)

SE ALGUÉM QUISER SER O PRIMEIRO,QUE SEJA AQUELE QUE SERVE A TODOS
23 de setembro de 2018
VIGÉSIMO QUINTO DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B
Cor litúrgica: Verde
A.: Meus irmãos, o caminho de identificação com Cristo exige de nós, além da santificação da cruz, atitudes de humildade e espírito de serviço e de acolhida. Com espírito de acolhida, iniciemos a nossa celebração.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – R.: TODA BÍBLIA É COMUNICAÇÃO DE UM DEUS-AMOR, DE UM DEUS IRMÃO É FELIZ QUEM CRÊ NA REVELAÇÃO, QUEM TEM DEUS NO CORAÇÃO / 1. Jesus Cristo é a palavra. Pura imagem de Deus Pai. Ele é vida e verdade, a suprema caridade./ 2. Os profetas sempre mostram a vontade do Senhor. Precisamos ser profetas para o mundo ser melhor./ 3. Nossa fé se fundamenta na palavra dos apóstolos: João, Mateus, Marcos e Lucas transmitiram esta fé./ 4. Vinde a nós, ó Santo Espírito, vinde nos iluminar./ A palavra que nos salva nós queremos conservar.
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco! TODOS: BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL – P.: O Senhor Jesus, que nos convida à mesa da Palavra e da Eucaristia, nos chama à conversão. Reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai. (Pausa). Tende compaixão de nós, Senhor. TODOS: PORQUE SOMOS PECADORES. P.: Manifestai, Senhor, a Vossa misericórdia. TODOS: E DAI-NOS A VOSSA SALVAÇÃO. P.: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS: AMÉM. P.: Senhor, tende piedade de nós. ODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Cristo, tende piedade de nós. TODOS: CRISTO, TENDE
PIEDADE DE NÓS. P.: Senhor, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS.
4. HINO DE LOUVOR – Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados! Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória! Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica! Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós! Só Vós sois o Santo, só Vós o Senhor, só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai.
Amém.
5. ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) Ó Pai, que resumistes toda a lei no amor a Deus e ao próximo, fazei que, observando o vosso mandamento, consigamos chegar um dia à vida eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
A.: Caros irmãos, peçamos a Cristo um coração de criança para estarmos abertos à Sua Palavra e dispostos a servir aos irmãos. Ouçamos atentamente as leituras de hoje.
6. 1ª LEITURA (Sb 2,12.17-20) – Leitura do Livro da Sabedoria.
Os ímpios dizem: 12“Armemos ciladas ao justo, porque sua presença nos incomoda: ele se opõe ao nosso modo de agir, repreende em nós as transgressões da lei e nos reprova as faltas contra a nossa disciplina. 2 17Vejamos, pois, se é verdade o que ele diz, e comprovemos o que vai acontecer com ele. 18Se, de fato, o justo é ‘filho de Deus’, Deus o defenderá e o livrará das mãos dos seus inimigos. 19Vamos pô-lo à prova com ofensas e torturas, para ver a sua serenidade e provar a sua paciência; 20vamos condená-lo à morte vergonhosa, porque, de acordo com suas palavras, virá alguém em seu socorro”. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
7. SALMO RESPONSORIAL – (Do Salmo 53/54) R.: É O SENHOR  QUEM SUSTENTA A MINHA VIDA!/ 1. Por vosso nome, salvai-me, Senhor; e dai-me a vossa justiça! Ó meu Deus, atendei minha prece e escutai as palavras que eu digo!/ 2. Pois contra mim orgulhosos se insurgem, e violentos perseguem-me a vida: não há lugar para Deus aos seus olhos. Quem me protege e me ampara, é meu Deus; é o Senhor quem sustenta minha vida!/ 3. Quero ofertar-vos o meu sacrifício de coração e com muita alegria; quero louvar, ó Senhor, vosso nome, quero cantar vosso nome que é bom!
8. 2ª LEITURA (Tg 3, 16-4,3) – Leitura da Carta de São Tiago.
Caríssimos: 3,16Onde há inveja e rivalidade, aí estão as desordens e toda espécie de obras más. 17Por outra parte, a sabedoria que vem do alto é, antes de tudo, pura, depois pacífica, modesta, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem fingimento. 18O fruto da justiça é semeado na paz, para aqueles que promovem a paz. 4,1De onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós? 2Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. E a razão está em que não pedis. 3Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido nos vossos
prazeres. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – R.: ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA!/ Pelo Evangelho o Pai nos chamou, a fim de alcançarmos a glória de Nosso Senhor Jesus Cristo.
10. EVANGELHO – (Mc 9, 30-37) – P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: Naquele tempo, 30Jesus e seus discípulos atravessavam a Galileia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, 31pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão. Mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará”. 32Os discípulos, porém não compreendiam estas palavras e tinham medo de perguntar. 33Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: “O que discutíeis pelo caminho?” 34Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior. 35Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o
primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” 36Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles, e abraçando-a disse: 37“Quem acolher em meu nome uma desta crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas àquele que me enviou”. Palavra da Salvação. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR.
11. HOMILIA
12. PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13. ORAÇÃO DOS FIÉIS – P.: Irmãos e irmãs, tendo escutado a Palavra de Deus, façamos nossos pedidos ao Pai, na certeza de que Ele nos atenderá. Digamos juntos: Escutai, Senhor, a oração do Vosso povo!
TODOS: ESCUTAI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
1) Pelo Santo Padre, o Papa Francisco, que tem sido exemplo de humildade e serviço na Igreja e no mundo, para que o Senhor o cumule de saúde paz, rezemos ao Senhor.
TODOS: ESCUTAI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
2) Pelos governantes e autoridades públicas de nosso país, para que sejam sempre mais atentos aos clamores, necessidades e angústias do nosso povo, rezemos ao Senhor.
TODOS: ESCUTAI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
3) Pelos pobres e por todas as pessoas que sofrem as consequências do egoísmo e das injustiças pessoais e sociais, para que suas necessidades sejam atendidas, rezemos ao Senhor.
TODOS: ESCUTAI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
4) Pela nossa comunidade, para que, na sabedoria do Evangelho, seja sempre mais um espaço de acolhimento, de bondade e de expressão de misericórdia, rezemos ao Senhor.
TODOS: ESCUTAI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
(Preces Espontâneas)
P.: Ó Pai, com humildade, colocamos nossos pedidos e, com fé, esperamos alcançá-los. Por Cristo, Nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
14. CANTO DE OFERTAS – 1. Numa terra distante daqui, um povo buscava sua libertação. Este povo era um povo de escravos, já sem esperança no seu coração. Deste povo surgiu um Profeta, de sua vida ao Senhor fez oferta. Ao ouvir a palavra de Deus, que é amor, o seu povo libertou./ 2. Mas aqui, neste chão, nesta terra, um povo sofrido eleva suas mãos. Fala alto o Senhor por suas vozes, que clamam justiça e libertação. Este povo também tem profeta, de sua vida ao Senhor fez oferta. Escutando a Palavra de Deus lhes chamar, quer seu povo libertar.
15. P.: Orai, irmãos e irmãs…
16. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Acolhei, ó Deus, nós vos pedimos, as oferendas do vosso povo, para que possamos conseguir por este sacramento o que proclamamos pela fé. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
17. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II – MR (p. 478) – Prefácio dos Domingos do Tempo Comum II – MR (p. 429)
18. RITO DA COMUNHÃO
19. CANTO DE COMUNHÃO – R: O PÃO DA VIDA, A COMUNHÃO, NOS UNE A CRISTO E AOS IRMÃOS. E NOS ENSINA ABRIR AS MÃOS PARA PARTIR, REPARTIR O PÃO./ 1. Lá no deserto a multidão com fome segue o Bom Pastor. Com sede busca a nova palavra: Jesus tem pena e reparte o pão. / 2. Na Páscoa Nova da Nova Lei, quando amou-nos até o fim, partiu o Pão, disse: “Isto é meu Corpo por vós doado: Tomai, Comei”./ 3. Se neste Pão, nesta Comunhão, Jesus por nós, dá a própria vida, vamos também repartir os dons, doar a vida por nosso 5
irmão./ 4. Onde houver fome, reparte o pão e tuas trevas hão de ser luz; encontrarás Cristo no irmão, serás bendito do Eterno Pai./ 5. ”Não é feliz quem não sabe dar” quem não aprende a lição do Altar de abrir a mão e o coração, para doar-se no próprio dar./ 6. ”Abri, Senhor, estas minhas mãos, que, para tudo guardar, se fecham”. Abri minh’alma, meu coração, para doar-me no eterno dom!
20. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Ó Deus, auxiliai sempre os que alimentais com o vosso sacramento para que possamos colher os frutos da redenção na liturgia e na vida. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
21. ORAÇÃO PARA O ANO NACIONAL DO LAICATO
Ó Trindade Santa, Amor pleno e eterno, que estabelecestes a Igreja como Vossa “imagem terrena”: Nós Vos agradecemos pelos dons, carismas, vocações, ministérios e serviços que todos os membros de Vosso povo realizam como “Igreja em saída”, para o bem comum, a missão evangelizadora e a transformação social, no caminho de Vosso Reino. Nós Vos louvamos pela presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil, sujeitos eclesiais, testemunhas de fé, santidade e ação transformadora. Nós Vos pedimos que todos os batizados atuem como sal da terra e luz do mundo: na família, no trabalho, na política e na economia, nas ciências e nas artes, na educação, na cultura e nos meios de comunicação; na cidade, no campo e em todo o
planeta, nossa “casa comum”. Nós Vos rogamos que todos contribuam para que os cristãos leigos e leigas compreendam sua vocação e identidade, espiritualidade e missão, e atuem de forma organizada na Igreja e na sociedade à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres. Isto Vos suplicamos pela intercessão da Sagrada Família, Jesus, Maria e José, modelos para todos os cristãos. Amém!
RITOS FINAIS
22. BREVES AVISOS
23. BÊNÇÃO FINAL
Partilha da Palavra
Jesus e seus discípulos atravessam anonimamente a Galileia. Ao referir-se pela segunda vez sobre sua paixão, ao repetir que deverá passar pela paixão e morte, demonstra estar concentrado
na revelação do mistério de sua identidade de Servo Sofredor. “O filho do Homem vai ser entregue à mão dos homens, e eles o matarão. Mas, quando estiver morto, depois de três dias
ressuscitará”. Sua missão consiste em passar pela paixão-morte-ressurreição. Reconhecer
em Jesus o Messias e aclamá-Lo como Salvador implica uma continua mudança no modo de
pensar e na maneira de agir. Quem lança mão do poder para libertar o povo corre o risco de
subjugá-lo por esse mesmo poder. Estar com Jesus e identificar-se com Ele requer a renúncia
à ambição e a adoção da atitude de serviço. A primeira leitura fala sobre os judeus que viviam no Egito. Como tementes ao Deus único e verdadeiro, deviam estar precavidos diante  das tentações que advêm do paganismo. O texto propõe ainda a diferença na disposição de espírito entre justos e ímpios. Nos justos, há tranquilidade, firmeza e paciência…no ímpio, há insegurança, desconfiança e medo. O Apóstolo Tiago, na segunda leitura, descreve a fonte e os frutos da verdadeira sabedoria, que vem do Alto, isto é, de quem se deixa nortear pela lógica da cruz. Outros são os resultados da sabedoria mundana. As ambições e paixões estão na raiz do
comportamento que destrói a relação amorosa com Deus e com os irmãos. O Apóstolo Tiago
desmascara ainda o procedimento daqueles que não levam a sério a vivência de sua fé.
A sabedoria da Palavra Divina, que hoje nos é proposta, parece andar na contramão da
história. Na sociedade atual, tem-se a impressão de que quem leva vantagens são os corruptos
e opressores; e, ultrapassados, são os que não aproveitam a onda. A mídia “faz a cabeça”,
sobretudo dos jovens. Vive-se o culto do “ser herói”, do “ser maior”. Herói de verdade são os
milhões de desempregados ou empregados por um salário mínimo, que se conservam capazes
de manter a serenidade, de acordar todo dia e partir em busca do pão sem lançar mão à violência, à corrupção… Heroína é a mãe que, depois de um dia de trabalho cansativo, encontra
forças para cuidar dos filhos e do lar. Heróis de verdade são aqueles que têm a audácia de andar
na contramão da “sabedoria” da sociedade dominante. Seguir a Jesus na perspectiva da lógica da cruz, supõe abandonar todo o sonho de grandeza, de prestígio, e sim, conforme os dons recebidos do Pai, celebrar a própria grandeza, servindo aos irmãos, começando pelos mais pequeninos. Deus não está excluindo ninguém. Quando até os menores, os mais fracos são atendidos, todos estão bem e ninguém é marginalizado. E nós, em nossas comunidades, como estamos acolhendo Jesus no outro?

LEITURAS DA SEMANA
Seg.: Pr 3, 27-34; Sl 14 (15); Lc 8, 16-18
Ter.: Pr 21, 1-6.10-13; Sl 118 (119); Lc 8, 19-21
Qua.: Ss. Cosme e Damião Mts, MFac. Pr 30,5-9; Sl 118 (119); Lc 9, 1-6
Qui.: S. Vicente de Paulo, Pb, memória. Eclo 1, 2-11; Sl 89 (90); Lc 9, 7-9
Sex.: S. Venceslau, Mt, MFac. S. Lourenço Ruiz e Comps. Mts., MFac. Eclo 3, 1-11; Sl 143 (144); Lc 9, 18-22
Sab.: S. Miguel, S. Gabriel e S. Rafael Arcanjos, festa. Dn 7, 9-10.13-14 ou Ap 12, 7-12a; Sl 137 (138); Jo 1, 47-51
Primeira Semana do Saltério
Vigésimo Quinto Domingo do Tempo Comum

Você pode Gostar de:

18º Domingo do Tempo Comum(05.08)

JESUS É O PÃO DA VIDA, POR ISSO O CAMINHO PARA A SANTIDADE Dia das …