Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 25º Domingo Comum

Liturgia – 25º Domingo Comum

ARMEMOS CILADAS AO JUSTO,PORQUE SUA PRESENÇA NOS INCOMODA!

1.Acolhida:
Somos convidados a participar de um encontro simples e sóbrio, mas de uma grandiosidade infinita! Não é um momento para rezar ou cumprir uma devoção! Jesus realiza conosco o milagre da salvação. Nós somos salvos pelo Sangue de Jesus derramado na Cruz. Participamos do grande milagre de amor de Jesus, enviado pelo Pai para nos salvar!
E nós ficamos, não raro, distraídos e até digitando celular! É feio, meu irmão/a! Feio demais! Que a luz divina ilumine o nosso coração agradecido e possamos sair desta igreja, transformados pela presença de Jesus.

2.Palavra de Deus.
Sb 2,12-17-20 – A vida do justo é uma repreensão para o pecador, e, por isso, ele o persegue até a morte, mas Deus virá, com certeza, em seu socorro. Deus vai ressuscitar o justo perseguido. Esta é a vitória de nosso Deus!

Tg3,16-4,3 – O Apostolo Tiago afirma que o pecado não compensa,não obstante a promessa de sucesso e de vitória. Deus não fez o homem para o mal e a promessa da carne é mentira renovada da serpente antiga!

Mc 9,30-37 – Jesus reserva um tempo especial para a instrução de seus discípulos: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens e eles o matarão! Mas, três dias depois de sua morte, Ele ressuscitará!” O sofrimento do justo não é eterno! A vida eterna e feliz será a sua recompensa!

3.Reflexão:
Os discípulos não entenderam as Palavras de Jesus; também não era para menos! O sonho deles era a vitória e a glória temporal no Reino de Jesus! Pensar na Morte do Mestre, jamais! Nós trazemos impressa em nosso íntimo a certeza que Deus não fez o homem para o sofrimento e, muito menos, para a morte! E Jesus era a esperança dos tempos felizes prometidos por Deus. O pecado estragou tudo e a felicidade prometida por Deus será para um tempo futuro. A ressurreição é certa, mas precisa de sofrimento e de espera dos “três dias” para ver e viver como ressuscitados. Deus pagou a nossa dívida com a Morte de Jesus, mas precisamos caminhar atrás de Jesus, carregando a nossa cruz. O pecado foi apagado pelo Sangue de Jesus, mas precisamos resgatar, especialmente, a herança maldita do pecado pela penitência.

Os Apóstolos vivem o sonho da inocência do “Jardim do Éden”; esquecem que o pecado introduziu no mundo o sofrimento e a morte! Vivemos um sonho perdido! E Jesus pagou por nós, com sua morte, o preço do sonho perdido! E a nossa parte nesta negociação é carregar a nossa cruz – carregá-la com Jesus e com paciência e amor! A salvação é gratuita, mas o caminho da redenção passa pelo caminho da a Cruz! E o Apostolo Paulo afirma que ele completa em sua carne o que falta a Paixão de Jesus para a salvação do mundo! De fato, Jesus não precisa de nosso sofrimento, mas Ele quer parceiros no Mistério da Salvação eterna! Sejamos Parceiros de Jesus.

Jesus fala de morte e os Apóstolos sonham com grandezas e primeiros lugares no Reino de Jesus! Ele, porém, corrigiu os pensamentos materialistas de seus Apóstolos: “Se alguém quer ser o maior, o primeiro, seja o último de todos e aquele que serve a todos!”.

Para seguir Jesus temos que mudar de cabeça porque Ele mesmo nos diz: “Os meus pensamentos não são como os nossos pensamentos; os pensamentos de Deus são mais altos que as estrelas do céu (Is55, 8)”. Por isso que Jesus aprecia tanto a humildade!

Por Frei Carlos Zagonel
http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=5309

Você pode Gostar de:

Liturgia 3º Domingo do Advento

“Alegrai-vos! O Senhor está perto!” Terceiro Domingo do Advento (Gaudete), o domingo da alegria. 1.Acolhida …