Página Inicial / Animação Litúrgica / 4º Domingo da Quaresma (31.03)

4º Domingo da Quaresma (31.03)

DEUS, PAI DE INFINITA MISERICÓRDIA
31 de março de 2019
QUARTO DOMINGO DA QUARESMA – ANO C
CAMPANHA DA FRATERNIDADE – “FRATERNIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS”.
COR LITÚRGICA: ROXO ou RÓSEO
A.: Irmãos, neste Domingo da alegria, nós somos convidados a contemplar o rosto do Pai misericordioso
que está empenhado em conduzir-nos a uma vida plena, oferecendo-nos o Seu perdão e nos renovando
com a Sua graça. Iniciemos com alegria a Santa missa.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – (Hinário da CNBB, fasc. 2, p. 179)
R.: ALEGRES VAMOS À CASA DO PAI; E NA ALEGRIA CANTAR SEU LOUVOR! EM SUA CASA, SOMOS
FELIZES: PARTICIPAMOS DA CEIA DO AMOR./ 1. A alegria nos vem do Senhor. Seu amor nos conduz pela
mão. Ele é luz que ilumina o seu povo. Com segurança lhe dá a salvação./ 2. O Senhor nos concede os seus
bens nos convida à sua mesa sentar. E partilha conosco o seu pão. Somos irmãos ao redor deste altar.
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: O
Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé pela ação do Espírito Santo, esteja
convosco. TODOS: BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL – P.: No início desta celebração eucarística, peçamos a conversão do coração, fonte de
reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs. (Pausa). P.: Senhor, que na água e no
Espírito nos regenerastes à vossa imagem, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE
NÓS. P.: Cristo, que enviais o vosso Espírito para criar em nós um coração novo, tende piedade de nós.
TODOS: CRISTO, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Senhor, que nos tornastes participantes do vosso Corpo e do
vosso Sangue, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Deus todo-poderoso
tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS: AMÉM.
4. ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) – Ó Deus, que por vosso Filho realizais de modo admirável a
reconciliação do gênero humano, concedei ao povo cristão correr ao encontro das festas que se
aproximam, cheio de fervor e exultando de fé. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do
Espírito Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
A.: Meus irmãos: é o amor do Pai misericordioso que nos salva e nos convida à conversão e à reconciliação
com Deus e o nosso próximo. Ouçamos com atenção as leituras de hoje.
5. 1ª LEITURA (Js 5, 9a. 10-12) – Leitura do Livro de Josué.
Naqueles dias, 9ao Senhor disse a Josué: “Hoje tirei de cima de vós o opróbrio do Egito”. 10Os israelitas
ficaram acampados em Guilgal e celebraram a Páscoa no dia catorze do mês, à tarde, na planície de Jericó.
11No dia seguinte à Páscoa comeram dos produtos da terra, pães sem fermento e grãos tostados nesse
mesmo dia. 12O maná cessou de cair no dia seguinte, quando comeram dos produtos da terra. Os israelitas
não mais tiveram o maná. Naquele ano comeram dos frutos da terra de Canaã. Palavra do Senhor.
TODOS: GRAÇAS A DEUS.
6. SALMO RESPONSORIAL (Do Salmo 33/34)
R.: PROVAI E VEDE QUÃO SUAVE É O SENHOR! /1. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor
estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor; que ouçam os humildes e se alegrem!/ 2.
Comigo engrandecei ao Senhor Deus, exaltemos todos juntos o seu nome! Todas as vezes que o busquei,
ele me ouviu, e de todos os temores me livrou./ 3. Contemplai a sua face e alegrai-vos, e vosso rosto não
se cubra de vergonha! Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido, e o Senhor o libertou de toda angústia.
7. 2ª LEITURA (2 Cor 5, 17-21) – Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios.
Irmãos: 17Se alguém está em Cristo, é uma criatura nova. O mundo velho desapareceu. Tudo agora é novo.
18E tudo vem de Deus, que, por Cristo, nos reconciliou consigo e nos confiou o ministério da reconciliação.
19Com efeito, em Cristo, Deus reconciliou o mundo consigo, não imputando aos homens as suas faltas e
colocando em nós a palavra da reconciliação. 20Somos, pois, embaixadores de Cristo, e é Deus mesmo que
exorta através de nós. Em nome de Cristo, nós vos suplicamos: deixai-vos reconciliar com Deus. 21Aquele
que não cometeu nenhum pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nele nós nos tornemos justiça de
Deus. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
8. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – R.: LOUVOR E GLÓRIA A VÓS, SENHOR JESUS./ 1. Vou levantar-me e
vou a meu Pai e lhe direi: Meu Pai, eu pequei contra o céu e contra ti.
09. EVANGELHO – (Lc 15, 1-3.11-32) – P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.
P.: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: Naquele tempo, 1Os publicanos e pecadores aproximavam-se de Jesus para o escutar. 2Os fariseus,
porém, e os mestres da Lei criticavam Jesus. “Este homem acolhe os pecadores e faz refeição com eles”.
3
Então Jesus contou-lhes esta parábola: 11“Um homem tinha dois filhos. 12O filho mais novo disse ao pai:
‘Pai, dá-me a parte da herança que me cabe’. E o pai dividiu os bens entre eles. 13Poucos dias depois, o
filho mais novo juntou o que era seu e partiu para um lugar distante. E ali esbanjou tudo numa vida
desenfreada. 14Quando tinha gasto tudo o que possuía, houve uma grande fome naquela região, e ele
começou a passar necessidade. 15Então foi pedir trabalho a um homem do lugar, que o mandou para seu
campo cuidar dos porcos. 16O rapaz queria matar a fome com a comida que os porcos comiam, mas nem
isto lhe davam. 17Então caiu em si e disse: ‘Quantos empregados do meu pai têm pão com fartura, e eu
aqui, morrendo de fome. 18Vou-me embora, vou voltar para meu pai e dizer-lhe: Pai, pequei contra Deus e
contra ti; 19ja não mereço ser chamado teu filho. Trata-me como a um dos teus empregados’. 20Então ele
partiu e voltou para seu pai. Quando ainda estava longe, seu pai o avistou e sentiu compaixão. Correu-lhe
ao encontro, abraçou-o, e cobriu-o de beijos. 21O filho, então, lhe disse: ‘Pai, pequei contra Deus e contra
ti. Já não mereço ser chamado teu filho’. 22Mas o pai disse aos empregados: ‘Trazei depressa a melhor
túnica para vestir meu filho. E colocai um anel no seu dedo e sandálias nos pés. 23Trazei um novilho gordo
e matai-o. Vamos fazer um banquete. 24Porque este meu filho estava morto e tornou a viver; estava
perdido e foi encontrado’. E começaram a festa. 25O filho mais velho estava no campo. Ao voltar, já perto
de casa, ouviu música e barulho de dança. 26Então chamou um dos criados e perguntou o que estava
acontecendo. 27O criado respondeu: ‘É teu irmão que voltou. Teu pai matou o novilho gordo, porque o
recuperou com saúde’. 28Mas ele ficou com raiva e não queria entrar. O pai, saindo, insistia com ele. 29Ele,
porém, respondeu ao pai: ‘Eu trabalho para ti há tantos anos, jamais desobedeci a qualquer ordem tua. E
tu nunca me deste um cabrito para eu festejar com meus amigos. 30Quando chegou esse teu filho, que
esbanjou teus bens com prostitutas, matas para ele o novilho cevado’. 31Então o pai lhe disse: ‘Filho, tu
estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. 32Mas era preciso festejar e alegrar-nos, porque este teu
irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido, e foi encontrado’”. Palavra da Salvação.
TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
10. HOMILIA
11. PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu
único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria,
padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou
ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar
os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na
remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
12. ORAÇÃO DOS FIÉIS – P.: Irmãos amados, apresentemos ao nosso Deus, rico em misericórdia, as nossas
súplicas, na certeza de Seu amor para conosco. Digamos juntos: Senhor, escutai a nossa prece!
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
1) Pelo Santo Padre, o Papa Francisco, para que nos ensine a contemplar, com renovada fé e santidade, o
coração de Deus, que é o Pai amoroso que nos acolhe e perdoa, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
2) Pelos nossos bispos auxiliares e pelos sacerdotes de nossa Arquidiocese, para que sejam os primeiros dispensadores da misericórdia divina, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
3) Pelas autoridades do Poder Público, para que promovam o bem comum e ajudem na criação de
políticas públicas que favoreçam a erradicação da fome, da miséria e da pobreza, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
4) Pelos batizados que se afastaram da casa do Pai, para que sejam alcançados pela Divina Misericórdia e
acolhidos como irmãos na comunidade, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
5) Para que esse Ano Jubilar seja repleto de atitudes de perdão, acolhimento e de alegria de vivermos
como irmãos, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
(Preces Espontâneas)
P.: Senhor nosso Deus, que abraçais os filhos que regressam e para eles preparais uma grande festa, fazei
que todos os fiéis que Vos suplicam experimentem o Vosso perdão libertador. Por Cristo, nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
13. CANTO DE OFERTAS – (Hinário da CNBB, fasc. 2, p. 217)
R.: EIS O TEMPO DE CONVERSÃO, EIS O DIA DA SALVAÇÃO: AO PAI VOLTEMOS, JUNTOS ANDEMOS. EIS O
TEMPO DE CONVERSÃO./ 1. Os caminhos do Senhor são verdade, são amor. Dirigi os passos meus: em vós
espero, ó Senhor!/ 2. Ele guia ao bom caminho quem errou e quer voltar. Ele é bom, fiel e justo. Ele busca
e vem salvar./ 3. Viverei com o Senhor. Ele é o meu sustento. Eu confio mesmo quando minha dor não
mais aguento./ 4. Tem valor aos olhos seus meu sofrer e meu morrer. Libertai o vosso servo e fazei-o
reviver!/ 5. A palavra do Senhor é a luz do meu caminho; Ela é vida, é alegria. Vou guardá-la com carinho./
6. Sua lei, seu mandamento é viver a caridade. Caminhemos todos juntos, construindo a unidade!
14. P.: Orai, irmãos e irmãs…
15. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Ó Deus, concedei-nos venerar com fé e oferecer pela redenção
do mundo os dons que nos salvam e que vos apresentamos com alegria. Por Cristo, nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III – MR (p. 482)
Prefácio da Quaresma I – Sentido espiritual da Quaresma – MR (p. 414).
17. RITO DA COMUNHÃO
18. CANTO DE COMUNHÃO – (Hinário da CNBB, fasc. 2, p. 37)
R.: FELIZ O HOMEM QUE DA CULPA É ABSOLVIDO E CONVIDADO PARA A CEIA DO SENHOR! NO LAR
PATERNO, COM O CRISTO É REVESTIDO DA VESTE NOVA QUE SEU PAI LHE PREPAROU!/ 1. Feliz o homem
cuja falta é perdoada, que foi no sangue do Senhor purificada!/ 2. Feliz o homem que caminha na verdade,
em cuja alma não há mais duplicidade!/ 3. Feliz o povo que confessa o seu pecado, porque será pelo
Senhor purificado!/ 4. Feliz quem deixa se instruir pelo Senhor e seus caminhos vai trilhando com amor!/ 5.
Feliz aquele que confia em seu nome: seu coração não sentirá, jamais, a fome!/ 6. Quem se confia ao
Senhor, sinceramente, é envolvido pela graça, inteiramente!/ 7. Felizes todos os de reto coração! Louvai a
Deus, porque ele é graça e compaixão!/ 8. Misericórdia e bondade é o Senhor! Povo remido, cantai hoje
seu louvor!
19. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Ó Deus, luz de todo ser humano que vem a
este mundo, iluminai nossos corações com o esplendor da vossa graça, para pensarmos sempre o que vos
agrada e amar-vos de todo o coração. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
20. ORAÇÃO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2019
Pai misericordioso e compassivo, que governais o mundo com justiça e amor, dai-nos um coração sábio
para reconhecer a presença do vosso Reino entre nós. Em Sua grande misericórdia, Jesus, o Filho amado,
habitando entre nós testemunhou o Vosso infinito amor e anunciou o Evangelho da fraternidade e da paz.
Seu exemplo nos ensine a acolher os pobres e marginalizados, nossos irmãos e irmãs com políticas públicas
justas, e sejamos construtores de uma sociedade humana e solidária. O divino Espírito acenda em nossa
Igreja a caridade sincera e o amor fraterno; a honestidade e o direito resplandeçam em nossa sociedade e
sejamos verdadeiros cidadãos do “novo céu e da nova terra”. Amém!
RITOS FINAIS
21. BREVES AVISOS
22. BÊNÇÃO FINAL – MR (p. 521)
P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.: Deus, Pai de misericórdia, conceda a
todos vós, como concedeu ao filho pródigo, a alegria do retorno à casa. TODOS: AMÉM. P.: O Senhor Jesus
Cristo, modelo de oração e de vida, vos guie nesta caminhada quaresmal a uma verdadeira conversão.
TODOS: AMÉM. P.: O Espírito de sabedoria e fortaleza vos sustente na luta contra o mal, para poderdes
com Cristo celebrar a vitória da Páscoa. TODOS: AMÉM. P.: Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e
Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
CANTO OPCIONAL DE OFERTÓRIO:
1. Muito alegre eu te pedi o que era meu parti, num sonho tão normal. Dissipei meus bens e o coração
também, no fim meu mundo era irreal!/ R.: CONFIEI NO TEU AMOR E VOLTEI, SIM AQUI É MEU LUGAR,
EU GASTEI TEUS BENS Ó PAI E TE DOU ESTE PRANTO EM MINHAS MÃOS./ 2. Mil amigos conheci,
disseram adeus, caiu a solidão em mim. Um patrão cruel levou-me a refletir: meu pai não trata um servo
assim!/ 3. Nem deixaste-me falar da ingratidão, morreu no abraço o mal que eu fiz. Festa, roupa nova,
anel, sandália aos pés. Voltei à vida, sou feliz!
Partilha da Palavra
“Nas parábolas dedicadas à misericórdia, Jesus revela a natureza de Deus como a de um Pai que nunca se dá por vencido enquanto não tiver dissolvido o pecado e superada a recusa com a compaixão e a misericórdia. Nelas, Deus é apresentado sempre cheio de alegria, sobretudo quando perdoa. Nelas,
encontramos o núcleo do Evangelho e da nossa fé, porque a misericórdia é apresentada como a força que tudo vence, enche o coração de amor e consola com o perdão”. Jesus nos revela e nos ilustra o agir misericordioso de Deus. Ele próprio se constitui na manifestação do rosto misericordioso de Deus Pai, ponto fundamental do exercício de Sua missão messiânica. Celebrando hoje o mistério do amor misericordioso de Deus, vemos que a parábola põe em cena três personagens: o pai, o filho mais novo e o filho mais velho. Três figuras que se transformam em referenciais para o nosso modo de ser e de agir. O pai nos é apresentado como uma figura excepcional, que conjuga o respeito pelas decisões e a liberdade dos filhos, com um amor gratuito e sem limites. Esse amor se manifesta na comoção com que abraça o filho que volta, mesmo sem saber se ele mudou sua atitude de orgulho e de autossuficiência com relação ao pai e a casa. O pai continua amando-o em  sua ausência, e infidelidade. É um amor que permanece inalterado, apesar da rebeldia do filho mais novo. Este é um filho ingrato, egoísta, insolente, obstinado e irresponsável, que exige do pai muito mais do que aquilo que se tem direito. Além disso, dissipa os bens que o pai lhe coloca à disposição. Desta perda dos bens é que brota a consciência da dignidade perdida e da condição de filho desperdiçada, e aqui emerge a grandeza da relação filial com o pai, forte apelo do tempo quaresmal: “Deixai-nos reconciliar com Deus”! O abraço reconciliador do pai faz o pecado experimentar a alegria do perdão, é o seu retorno em Cristo Jesus. A misericórdia reconcilia e faz nascer de
novo a vida em meio aos escombros da miséria humana. Assim é Deus: Ele faz novas coisas. Mas na cena há alguém que não entende esse gesto, o filho mais velho. Ele, o “certinho”, nunca abandonou a casa, nem o pai, cumpriu com todas as normas. No entanto, seu modo de proceder se pauta mais na lógica da
“justiça” do que da “misericórdia”. Este filho está satisfeito em servir um pai-patrão, mas incomoda-se diante da alegria “do pai cuja alegria é perdoar”. O filho mais velho mostra-nos a atitude que não devemos ter jamais. Todo cristão alcança o amor misericordioso de Deus e Sua misericórdia, na medida em que ele
próprio se transforma interiormente, segundo o espírito de amor para com o próximo. Revestidos da graça do perdão, reconhecemos ser novas criaturas saídas das mãos amorosas de Deus Pai.

LEITURAS DA SEMANA
Seg.: Is 65, 17-21; Sl 29 (30), 2 e 4. 5-6.11.12a e 13b (R/. 2a); Jo 4, 43-54
Ter.: CmFac. de S. Francisco de Paula, Eremita. Ez 47, 1-9.12; Sl 45 (46), 2-3. 5-6. 8-9 (R/. 8); Jo 5, 1-16
Qua.: Is 49, 8-15; Sl 144 (145), 8-9.13cd-14.17-18 (R/. 8a); Jo 5, 17-30
Qui.: CmFac de Sto Isidoro, BDr. Ex 32, 7-14; Sl 105 (106), 19- 20.21-22. 23 (R/. 4a); Jo 5, 31-47
Sex.: CmFac de S. Vicente Ferrer, Presb. Sb 2, 1a.12-22; Sl 33 (34), 17-18. 19-20.21.23 (R/. 19a); Jo 7, 1-
2.10.25-30
Sáb.: Jr 11, 18-20; Sl 7, 2-3. 9bc-10. 11-12 (R/. 2a); Jo 7, 40-53
Quarta Semana do Saltério
Quarto Domingo da Quaresma

Você pode Gostar de:

Solenidade Santíssima Trindade (16.09)

SOLENIDADE DA SANTÍSSIMA TRINDADE FONTE DE COMUNHÃO E MODELO DE COMUNIDADE: SANTÍSSIMA TRINDADE 16 de …