Página Inicial / Animação Litúrgica / 2º Domingo da Páscoa (28.04)

2º Domingo da Páscoa (28.04)

“BEM-AVENTURADOS OS QUE CRERAM SEM TEREM VISTO!” (Jo 20,29b)
Festa da Divina Misericórdia
28 de abril de 2019
SEGUNDO DOMINGO DA PÁSCOA – ANO C
ANO JUBILAR ARQUIDIOCESANO
DOMINGO DA DIVINA MISERICÓRDIA
Cor Litúrgica: Branco
A.: Meus irmãos, na vivência do nosso Ano Jubilar Arquidiocesano, nós somos convocados a professar a
nossa esperança na infinita misericórdia de Cristo que nos fortalece, renova e perdoa. Iniciemos, com
alegria, a nossa celebração.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – O Senhor ressurgiu, aleluia. (Hinário da CNBB, fasc. 2, p. 272)
R.: O SENHOR RESSURGIU, ALELUIA, ALELUIA! É O CORDEIRO PASCAL, ALELUIA, ALELUIA! IMOLADO POR
NÓS, ALELUIA, ALELUIA! É O CRISTO SENHOR, ELE VIVE E VENCEU, ALELUIA!/ 1. O Cristo Senhor
ressuscitou, a nossa esperança realizou: vencida a morte para sempre, triunfa a vida eternamente! / 2. O
Cristo remiu a seus irmãos, ao Pai os conduziu por sua mão; no Espírito Santo unida esteja a família de
Deus, que é a Igreja!/ 3. O Cristo, nossa Páscoa, se imolou, seu sangue da morte nos livrou: incólumes, o
mar atravessamos, e pra Terra Prometida caminhamos!
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: A
graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.
TODOS: BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL – Pode ser substituído pelo Rito da aspersão (MR p. 1002).
P.: No dia em que celebramos a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, também nós somos convidados
a morrer para o pecado e a ressurgir para uma vida nova. Reconheçamo-nos necessitados da misericórdia
do Pai (Pausa). P.: Senhor, nossa paz, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.:
Cristo, nossa páscoa, tende piedade de nós. TODOS: CRISTO, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Senhor, nossa
vida, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Deus todo-poderoso tenha
compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS: AMÉM.
4. HINO DE LOUVOR – Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados! Senhor Deus,
Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos
glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória! Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor
Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós
que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica! Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de
nós! Só Vós sois o Santo, só Vós o Senhor, só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória
de Deus Pai. Amém.
5. ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) – Ó Deus de eterna misericórdia, que reacendeis a fé do vosso
povo na renovação da festa pascal, aumentai a graça que nos destes e fazei que compreendamos melhor o
batismo que nos lavou, o espírito que nos deu nova vida, e o sangue que nos redimiu. Por nosso Senhor
Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
A.: Irmãos, na alegria do encontro com Cristo Ressuscitado, ouçamos com atenção a Sua Palavra.
6. 1ª LEITURA (At 5,12-16) – Leitura dos Atos dos Apóstolos.
12Muitos sinais e maravilhas eram realizados entre o povo pelas mãos dos apóstolos. Todos os fiéis se
reuniam, com muita união, no Pórtico de Salomão. 13Nenhum dos outros ousava juntar-se a eles, mas o
povo estimava-os muito. 14Crescia sempre mais o número dos que aderiam ao Senhor pela fé; era uma
multidão de homens e mulheres. 15Chegavam a transportar para as praças os doentes em camas e macas,
a fim de que, quando Pedro passasse, pelos menos a sua sombra tocasse alguns deles.
16A multidão vinha
até das cidades vizinhas de Jerusalém, trazendo doentes e pessoas atormentadas por maus espíritos. E
todos eram curados. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
7. SALMO RESPONSORIAL – (Do Salmo 117 SALMO 117/118) R.: DAI GRAÇAS AO SENHOR, PORQUE ELE É
BOM!/ ETERNA É A SUA MISERICÓRDIA! / 1. A casa de Israel agora o diga: / “eterna é a sua misericórdia!”
/ A casa de Aarão agora o diga: / “eterna é a sua misericórdia.” / Os que temem o Senhor agora o digam: /
“eterna é a sua misericórdia!” / 2. A pedra que os pedreiros rejeitaram, / tornou-se agora a pedra angular.
/ Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: / que maravilhas Ele fez a nossos olhos! / Este é o dia que o Senhor
fez para nós, / alegremo-nos e nele exultemos! / 3. Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação, / ó Senhor, dai-nos
também prosperidade! / Bendito seja, em nome do Senhor, / aquele que em seus átrios vai entrando! /
Desta casa do Senhor vos bendizemos. / Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine!
8. 2ª LEITURA (Ap 1, 9-11a.12-13.17-18) – Leitura do Livro do Apocalipse de São João.
9
Eu, João, vosso irmão e companheiro na tribulação, e também no reino e na perseverança em Jesus, fui
levado à ilha de Patmos, por causa da Palavra de Deus e do testemunho que eu dava de Jesus. 10No dia do
Senhor, fui arrebatado pelo Espírito e ouvi atrás de mim uma voz forte, como de trombeta, 11aa qual dizia:
“O que vais ver, escreve-o num livro”. 12Então voltei-me para ver quem estava falando; e ao voltar-me, vi
sete candelabros de ouro. 13No meio dos candelabros havia alguém semelhante a um “filho de homem”,
vestido com uma túnica comprida e com uma faixa de ouro em volta do peito. 17Ao vê-lo, caí como morto a
seus pés, mas ele colocou sobre mim a sua mão direita e disse: “Não tenhas medo. Eu sou o Primeiro e o
Último, 18aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para sempre. Eu tenho a chave da morte e
da região dos mortos. 19Escreve pois o que viste, aquilo que está acontecendo e que vai acontecer depois”.
Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – R.: ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA! / 1. Acreditaste, Tomé, porque me
viste. Felizes os que creram sem ter visto!
10. EVANGELHO – (Jo 20, 19-31) – P.: O Senhor esteja convosco! TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.:
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo João. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: 19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas
do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja
convosco”. 20Depois destas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por
verem o Senhor. 21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos
envio”. 22E depois de ter dito isto, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem
perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.
24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros
discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos
em suas mãos, se eu não puser a mão no seu lado, não acreditarei”. 26Oito dias depois, encontravam-se os
discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus
entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. 27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui
e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. 28Tomé
respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” 29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados
os que creram sem terem visto!” 30Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão
escritos neste livro. 31Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e
para que, crendo, tenhais a vida em seu nome. Palavra da Salvação. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
11. HOMILIA
12. PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu
único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria,
padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou
ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar
os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na
remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13. ORAÇÃO DOS FIÉIS –
P.: Irmãos e irmãs, oremos a Jesus Cristo que, ressuscitando dos mortos, destruiu a morte e renovou a
vida. Digamos, com confiança: Cristo misericordioso, ouvi-nos!
TODOS: CRISTO MISERICORDIOSO, OUVI-NOS!
1) Pela Santa Igreja de Deus, para que cresça na fé e no testemunho do Ressuscitado, rezemos ao Senhor.
TODOS: CRISTO MISERICORDIOSO, OUVI-NOS!
2) Pelos dirigentes de todas as nações, para que trabalhem com afinco pelo bem comum e pela paz no
mundo, rezemos ao Senhor.
TODOS: CRISTO MISERICORDIOSO, OUVI-NOS!
3) Pelos pobres, os desempregados, os doentes e as pessoas que andam tristes, para que Jesus
ressuscitado lhes dê a paz e a alegria da fé, rezemos ao Senhor.
TODOS: CRISTO MISERICORDIOSO, OUVI-NOS!
4) Pela nossa comunidade, para que saiba manifestar em suas ações os autênticos sinais da misericórdia
divina, rezemos ao Senhor.
TODOS: CRISTO MISERICORDIOSO, OUVI-NOS!
(Preces Espontâneas)
P.: Ó Jesus misericordioso, tudo isso Vos pedimos com renovada fé e esperança. Vós que sois Deus com o
Pai, na unidade do Espírito Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
14. CANTO DE OFERTAS – (Hinário da CNBB, fasc. 2, p. 202)
1. Bendito sejas, ó Rei da glória! Ressuscitado, Senhor da Igreja! Aqui trazemos as nossas ofertas./ R.: VÊ
COM BONS OLHOS NOSSAS HUMILDES OFERTAS. TUDO O QUE TEMOS SEJA PRA TI, Ó SENHOR!/ 2. Vidas
se encontram no altar de Deus, gente se doa, dom que se imola. Aqui trazemos as nossas ofertas./ 3.
Irmãos da terra, irmãos do céu, juntos cantemos: glória ao Senhor. Aqui trazemos as nossas ofertas.
15. P.: Orai, irmãos e irmãs…
16. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Acolhei, ó Deus, as oferendas do vosso povo (e dos que
renasceram nesta Páscoa), para que, renovados pela profissão de fé e pelo batismo, consigamos a eterna
felicidade. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
17. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II – MR (p. 478)
18. RITO DA COMUNHÃO
19. CANTO DE COMUNHÃO – (Hinário da CNBB, fasc. 2, p. 208)
R.: CRISTO RESSUSCITOU E NÓS COM ELE, ALELUIA, ALELUIA!/1. Bendito seja o Pai de Jesus, que nos
cobriu de bênçãos celestes./ 2. Nós vos louvamos e bendizemos, porque a luz de Jesus dissipou nossas
trevas./ 3. Nós vos louvamos e bendizemos, porque em nós derramastes o Espírito Santo./ 4. Nós vos
louvamos e bendizemos, nesta celebração da vitória de Cristo./ 5. Nós vos louvamos e bendizemos, por
tudo que em nós por Jesus operastes.
20. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Concedei, ó Deus onipotente, que
conservemos em nossa vida o sacramento pascal que recebemos. Por Cristo, nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
21. ORAÇÃO DO ANO JUBILAR ARQUIDIOCESANO
Ó Trindade Santa, nós vos louvamos pelos 60 anos da Arquidiocese de Brasília! Por tudo, nós vos damos
graças! Pelo vosso infinito amor manifestado em nossa história. Pelos que se dedicaram generosamente a
edificar a Igreja, no coração do Brasil, desde os inícios da nova capital, erguida à sombra da Santa Cruz e
sob o manto protetor da Mãe Aparecida. Nós vos damos graças pela fé professada, celebrada e vivida, ao
longo destes 60 anos de evangelização. A vós confiamos o amanhã da nossa Igreja arquidiocesana, com a
esperança que brota da fé. Renovamos, hoje, o compromisso de caminhar unidos e de evangelizar a todos,
com novo ardor missionário, nos diversos espaços do Distrito Federal. Confiantes no amor de Cristo que
nos impele, nós suplicamos as vossas bênçãos, neste Ano Jubilar, pela intercessão de Nossa Senhora
Aparecida! Amém!
RITOS FINAIS
22. BREVES AVISOS
23. BÊNÇÃO FINAL – (MR. p. 523)
P.: O Senhor esteja convosco! TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS! P.: Deus, que pela ressurreição do seu
Filho único vos deu a graça da redenção e vos adotou como filhos e filhas, vos conceda a alegria da bênção.
TODOS: AMÉM. P.: Aquele que, por sua morte, vos deu a eterna liberdade, vos conceda, por sua graça, a
herança eterna. TODOS: AMÉM. P.: E vivendo agora retamente, possais no céu unir-vos a Deus, para o
qual, pela fé, já ressuscitastes no batismo. TODOS: AMÉM. P.: Abençoe-vos Deus todo-poderoso: Pai, Filho
e Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe, aleluia, aleluia! TODOS:
GRAÇAS A DEUS, ALELUIA, ALELUIA!

Partilha da Palavra
Celebrar a Páscoa a cada ano terá sempre sabor de desafiante novidade, pois impele a descobrir, na existência, razões para prosseguir adiante, olhando com a fé atentamente os acontecimentos mais dolorosos e desacreditados como sinais da Páscoa. O grande sinal da manifestação de Jesus Ressuscitado à comunidade tem em vista a fé. Mas a fé, que foi transmitida pela Igreja, não nega a existência, os obstáculos, os desafios. E estes, longe de obscurecer a percepção da  Páscoa, devem servir para fortalecer a convicção da ressurreição. Todavia tal caminho não se faz no isolamento e sim na comunhão. A fé tem a ver com a Igreja, reunião daqueles que foram escolhidos para o testemunho e para a vida nova. Distante da comunidade só restará a dúvida e a incapacidade de reconhecer nas coisas mais humanas e cotidianas a manifestação do Senhor ressuscitado. “No Evangelho de João, o apóstolo Tomé experimenta precisamente a misericórdia de Deus, que tem um rosto concreto: o de Jesus, de Jesus Ressuscitado. Tomé não confia nos demais apóstolos, quando lhe dizem: ‘vimos o Senhor’; para ele, não é suficiente a promessa de Jesus que havia anunciado: ‘ao terceiro dia ressuscitarei’. Tomé quer ver, quer colocar a sua mão no sinal dos cravos e no peito. E qual é a reação de Jesus? A paciência: Jesus não abandona Tomé relutante na sua incredulidade; dá-lhe uma semana de tempo, não fecha a porta, espera. E Tomé acaba por reconhecer a sua própria pobreza, a sua pouca fé. ‘Meu Senhor e meu Deus’: com essa invocação simples, mas cheia de fé, responde à paciência de Jesus. Deixa-se envolver pela misericórdia divina, vê-a a sua frente, nas feridas das mãos e dos pés, no peito aberto, e readquire a confiança: é um homem novo, já não incrédulo, mas crente. (…) Jesus mostra-nos a paciência misericordiosa de Deus, onde sempre encontramos confiança, esperança! O grande teólogo Romano Guardini, dizia que Deus responde à nossa fraqueza com a sua paciência e isso é o motivo da nossa confiança, da nossa esperança”. Outra marca acentuada pela Liturgia da Palavra é a vida em comunidade. Os cristãos das gerações primitivas se reuniam no primeiro dia da semana e celebravam o “partir do pão”. A fé é, sobretudo, vivida em comunidade. Assim, na comunidade de fé fazemos a experiência do amor misericordioso do Pai revelado em Jesus Cristo. Ser misericordioso é próprio de Deus e é pela misericórdia que Ele principalmente manifesta a força do seu amor.

LEITURAS DA SEMANA
2ªf: At 4,23-31; Sl2; Jo3,1-8.
3ªf: S Pio V Pp, MFac. At 4, 32-37; Sl 92 (93), 1ab. 1c-2. 5 (R/. 1a); Jo 3, 7b-15
4ªf: S José Operário, MFac.. At 5,17-26; Sl 33 (34),2-3.4-5.6-7.8-9 (R/. 7a); Jo 3,16-21 ou próprias de São
José Gn 1, 26-2,3 ou Cl 3, 14-15.17.23-24; Sl 89; Mt 13, 54-58.
5ªf: Sto Atanásio BDr, memória. At 5, 27-33; Sl 33 (34), 2.9.17-18.19-20 (R/. 7a); Jo 3, 31-36
6ªf: Ss. Filipe e Tiago Menor Aps, festa. 1 Cor 15, 1-8; Sl 18 (19), 2-3. 4-5 (R/. 5a); Jo 14, 6-14
Sáb.: At 6,1-7; Sl 32 (33), 1-2.4-5.18-19 (R/. 22); Jo 6, 16-21
Segunda Semana do Saltério
Segundo Domingo da Páscoa

Você pode Gostar de:

Domingo de Ramos(14.04)

DOMINGO DE RAMOS E DA PAIXÃO DO SENHOR PAIXÃO E MORTE DE JESUS: VIDA FEITA …