Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Solenidade de Pentecostes (09.06.2019.)

Solenidade de Pentecostes (09.06.2019.)

Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor A não ser no Espírito Santo!
1.Acolhida
Nós somos tão materialistas que não conhecemos o Espírito de Deus (de Jesus) que está em nós! E, no entanto, Jesus disse: “Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará o Paráclito (Espírito Santo) para que fique eternamente convosco. É o Espírito da verdade (…) que permanecerá sempre convosco e estará em vós!” (Jo 14,16-17).
De fato, o Espírito Santo está presente na Igreja e em cada um de nós! Há carismas na Igreja e há diversidade de carismas, mas um só é o Espírito doador. E o carisma é manifestação particular do Espírito em favor da Comunidade (1Cor 7,7). Mais, o Espírito Santo se manifesta nos Sacramentos (Batismo, Crisma, Eucaristia e Penitência). É a manifestação coletiva do Espírito Santo ou seja: o Espírito Santo é a alma dos Sacramentos que são administrados em favor de cada um (que os recebe). Diz o Padre Cantalamessa: “O Espírito intervêm opera) na confecção dos Sacramentos e os torna operantes na vida de quem os recebe com fé!”

2.Palavra de Deus
At 2,1-11 – O Espírito Santo confere o “dom das línguas” aos Apóstolos. Havia gente de todo o mundo, presentes na assembleia e cada pessoa ouvia a pregação apostólica na sua própria língua nativa: “Todos nós ouvimos anunciar as maravilhas de Deus em nossa própria língua!”
1Cor 12,36.7.12-13 – Há muitos dons na Igreja e cada um tem a própria maneira de expressá-los, mas o autor é o Único Espírito! – “Há diversidade de dons, mas um é o Espírito!” Todo dom tem sua origem no Espírito Santo e é distribuído em favor do crescimento da Igreja. Que ninguém se aproprie dos dons divinos em proveito próprio! Não seja ladrão dos dons de Deus!
Jo 20,19-23 – O presente de Páscoa de Jesus para os seus Apóstolos, medrosos e escondidos, foi a Paz e o dom do Espírito Santo para o perdão dos pecados! Conferiu-lhe, também, a própria Missão: “Como o Pai me enviou, também Eu vos envio!” E, depois, disse: “Recebei o Espírito Santo, a quem perdoardes os pecados, eles lhe serão perdoados…”

3.Reflexão
É inegável que Jesus prometeu e enviou o Espírito Santo (Consolador) para a sua Igreja para que Ele ficasse sempre com Ela! Sem o Espírito Santo a Igreja seria igual a qualquer Clube social. Com o Espírito Santo Ela é o “Corpo de Cristo”, do qual Ele (Jesus) é a Cabeça (Ef 4,15).E não há diversidade  de Espíritos; apenas temos diversidade de dons, mas um só é o Espírito e uma só é a Cabeça (Cristo)! Viver fora da Igreja e longe da riqueza dos dons da Igreja, rompendo a unidade do Espírito, seria muito arriscado viver! Poderíamos estar vivendo inutilmente!
A Igreja Primitiva tinha consciência desta realidade ou seja, desta parceria entre os Apóstolos e o Espírito Santo. Ela sabia que (especialmente em Pedro) a assistência divina era evidente: Na conclusão do Concílio de Jerusalém, os Apóstolos disseram: Pois, decidimos o Espírito Santo e nós, não vos impor nenhum fardo, além das coisas indispensáveis… (At15,28). Ação conjunta entre o Espírito Santo e os Apóstolos!
Na Comunidade de Corinto havia muitos carismas e os mais diversos dons, mas o Apóstolo Paulo precisou intervir recordando que todos os carismas e dons são do Espírito Santo e que esta riqueza é conferida aos indivíduos em favor de toda a Igreja (1Co12). Ninguém se aproprie, portanto, desta riqueza em proveito próprio, mas, pelo contrário, saiba que foram concedidos pelo único Espírito Santo em favor de toda a Igreja! São Francisco de Assis, quando elogiado, dizia: “Não quero ser ladrão das coisas de Deus, mas apenas servidor dos bens celestes em favor de meus irmãos!”
Contemplemos, atentamente, as nossas Comunidades sacerdotais, religiosas e leigas… que nos fica a impressão que o Espírito Santo “avoou” da Igreja há muito tempo!
Frei Carlos Zagonel

Você pode Gostar de:

Concurso Logo Vinde & Vede 2020

CONCURSO LOGO VINDE & VEDE COM A NOSSA JUVENTUDE A ARQUIDIOCESE DE CUIABÁ torna público …