Página Inicial / Animação Litúrgica / 24º Domingo do Tempo Comum(15.09)

24º Domingo do Tempo Comum(15.09)

DEUS É UM PAI MISERICORDIOSO, SEMPRE PRONTO A NOS PERDOAR

15 de setembro de 2019
VIGÉSIMO QUARTO DOMINGO DO TEMPO COMUM
Cor Litúrgica: Verde
A.: Meus irmãos, Deus nos ama infinitamente e, por intermédio de Cristo, recupera o que para nós estava
perdido: a dignidade de filhos e a alegria da retomada da graça divina. Na graça da vivência do Ano jubilar,
iniciemos a nossa celebração.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – (Hinário da CNBB, fasc. 3, p. 127)
R.: SENHOR, ESCUTA AS PRECES DO SERVO TEU, DO POVO TEU ELEITO E BEM AMADO. DÁ PAZ AOS QUE
EM TI CREEM E VERDADEIROS TEUS MENSAGEIROS SE ACHEM COMPROVADOS!/ 1. Quem confia no
Senhor, é qual monte de Sião: não tem medo, não se abala, está bem firme no seu chão./ 2. As montanhas
rodeiam a feliz Jerusalém. O Senhor cerca seu povo, para não temer ninguém./ 3. Venha a paz para o teu
povo, o teu povo de Israel. Venha a paz para o teu povo, pois tu és um Deus fiel!/ 4. A mão dura dos
malvados não esmague as criaturas, para os justos não mancharem suas mãos em aventuras.
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: O
Senhor que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo esteja convosco!
TODOS: BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL – P.: No início desta celebração eucarística, peçamos a conversão do coração, fonte de
reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs. P.: Senhor, que viestes ao mundo para nos
salvar, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Cristo, que continuamente
nos visitais com a graça do vosso Espírito, tende piedade de nós. TODOS. CRISTO, TENDE PIEDADE DE NÓS.
P.: Senhor, que vireis um dia para julgar as nossas obras, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE
PIEDADE DE NÓS. P.: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos
conduza à vida eterna. TODOS: AMÉM.
4. HINO DE LOUVOR – Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados! Senhor Deus,
Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos
glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória! Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor
Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós
que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica! Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de
nós! Só Vós sois o Santo, só Vós o Senhor, só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória
de Deus Pai. Amém.
5. ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) – Ó Deus, criador de todas as coisas, volvei para nós o vosso
olhar e, para sentirmos em nós a ação do vosso amor, fazei que vos sirvamos de todo o coração. Por nosso
Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
A.: Irmãos, por meio de Sua Palavra, Deus nos revela o alcance de Sua misericórdia e nos oferece o Seu
perdão, concedendo-nos novas oportunidades de reconciliação. Ouçamos com atenção as leituras de hoje.
6. 1ª LEITURA (Ex 32,7-11.13-14) – Leitura do Livro do Êxodo.
Naqueles dias, 7O Senhor falou a Moisés: “Vai, desce, pois corrompeu-se o teu povo, que tiraste da terra
do Egito. 8 Bem depressa desviaram-se do caminho que lhes prescrevi. Fizeram para si um bezerro de metal
fundido, inclinaram-se em adoração diante dele e ofereceram-lhe sacrifícios, dizendo: ‘Estes são os teus
deuses, Israel, que te fizeram sair do Egito!’” 9 E o Senhor disse ainda a Moisés: “Vejo que este é um povo
de cabeça dura. 10Deixa que minha cólera se inflame contra eles e que eu os extermine. Mas de ti farei
uma grande nação”. 11Moisés, porém, suplicava ao Senhor seu Deus, dizendo: “Por que, ó Senhor, se
inflama a tua cólera contra o teu povo, que fizeste sair do Egito com grande poder e mão forte? 13Lembrate de teus servos Abraão, Isaac e Israel, com os quais te comprometeste, por juramento, dizendo: ‘Tornarei
os vossos descendentes tão numerosos como as estrelas do céu; e toda esta terra de que vos falei, eu a
darei aos vossos descendentes como herança para sempre’”. 14E o Senhor desistiu do mal que havia
ameaçado fazer ao seu povo. Palavra do Senhor.
TODOS: GRAÇAS A DEUS.
7. SALMO RESPONSORIAL – (Do Salmo 50/51) – R.: VOU AGORA, LEVANTAR-ME, VOLTO À CASA DO MEU
PAI./ 1. Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me
todo inteiro do pecado, e apagai completamente a minha culpa!/ 2. Criai em mim um coração que seja
puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim o
vosso Santo Espírito!/ 3. Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, e minha boca anunciará vosso louvor!
Meu sacrifício é minha alma penitente, não desprezeis um coração arrependido!
8. 2ª LEITURA (1 Tm 1, 12-17) – Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo.
Caríssimo: 12Agradeço àquele que me deu força, Cristo Jesus, nosso Senhor, pela confiança que teve em
mim ao designar-me para o seu serviço, 13a mim, que antes blasfemava, perseguia e insultava. Mas
encontrei misericórdia, porque agia com a ignorância de quem não tem fé. 14Transbordou a graça de nosso
Senhor com a fé e o amor que há em Cristo Jesus. 15Segura e digna de ser acolhida por todos é esta
palavra: Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores. E eu sou o primeiro deles! 16Por isso encontrei
misericórdia, para que em mim, como primeiro, Cristo Jesus demonstrasse toda grandeza de seu coração;
ele fez de mim um modelo de todos os que crerem nele para alcançar a vida eterna. 17Ao Rei dos séculos,
ao único Deus, imortal e invisível, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém! Palavra do Senhor.
TODOS: GRAÇAS A DEUS.
9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – R.: ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA./ O Senhor reconciliou o mundo em
Cristo, confiando-nos sua Palavra, a Palavra da reconciliação, a Palavra que hoje, aqui, nos salva!
10. EVANGELHO – (Lc 15, 1-32) – Mais longo – P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO
DE NÓS. P.: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: Naquele tempo, 1Os publicanos e pecadores aproximavam-se de Jesus para o escutar. 2Os fariseus,
porém, e os mestres da Lei criticavam Jesus. “Este homem acolhe os pecadores e faz refeição com eles”.
3 Então Jesus contou-lhes esta parábola: 4 “Se um de vós tem cem ovelhas e perde uma, não deixa as
noventa e nove no deserto, e vai atrás daquela que se perdeu, até encontrá-la? 5Quando a encontra,
coloca-a nos ombros com alegria, 6 e, chegando a casa, reúne os amigos e vizinhos, e diz: ‘Alegrai-vos
comigo! Encontrei a minha ovelha que estava perdida!’ 7 Eu vos digo: Assim haverá no céu mais alegria por
um só pecador que se converte, do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão. 8
E se uma mulher tem dez moedas de prata e perde uma, não acende uma lâmpada, varre a casa e a procura
cuidadosamente, até encontrá-la? 9Quando a encontra, reúne as amigas e vizinhas, e diz: ‘Alegrai-vos
comigo! Encontrei a moeda que tinha perdido!’ 10Por isso, eu vos digo, haverá alegria entre os anjos de
Deus por um só pecador que se converte”. 11E Jesus continuou: “Um homem tinha dois filhos. 12O filho
mais novo disse ao pai: ‘Pai, dá-me a parte da herança que me cabe’. E o pai dividiu os bens entre eles.
13Poucos dias depois, o filho mais novo juntou o que era seu e partiu para um lugar distante. E ali esbanjou
tudo numa vida desenfreada. 14Quando tinha gasto tudo o que possuía, houve uma grande fome naquela
região, e ele começou a passar necessidade. 15Então foi pedir trabalho a um homem do lugar, que o
mandou para seu campo cuidar dos porcos. 16O rapaz queria matar a fome com a comida que os porcos
comiam, mas nem isto lhe davam. 17Então caiu em si e disse: Quantos empregados do meu pai têm pão
com fartura, e eu aqui, morrendo de fome. 18Vou-me embora, vou voltar para meu pai e dizer-lhe: Pai,
pequei contra Deus e contra ti; 19já não mereço ser chamado teu filho. Trata-me como a um dos teus
empregados’. 20Então ele partiu e voltou para seu pai. Quando ainda estava longe, seu pai o avistou e
sentiu compaixão. Correu-lhe ao encontro, abraçou-o, e cobriu-o de beijos. 21O filho, então, lhe disse: ‘Pai,
pequei contra Deus e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho’. 22Mas o pai disse aos empregados:
‘Trazei depressa a melhor túnica para vestir meu filho. E colocai um anel no seu dedo e sandálias nos pés.
23Trazei um novilho gordo e matai-o. Vamos fazer um banquete. 24Porque este meu filho estava morto e
tornou a viver; estava perdido e foi encontrado’. E começaram a festa. 25O filho mais velho estava no
campo. Ao voltar, já perto de casa, ouviu música e barulho de dança. 26Então chamou um dos criados e
perguntou o que estava acontecendo. 27O criado respondeu: ‘É teu irmão que voltou. Teu pai matou o
novilho gordo, porque o recuperou com saúde’. 28Mas ele ficou com raiva e não queria entrar. O pai,
saindo, insistia com ele. 29Ele, porém, respondeu ao pai: ‘Eu trabalho para ti há tantos anos, jamais
desobedeci a qualquer ordem tua. E tu nunca me deste um cabrito para eu festejar com meus amigos.
30Quando chegou esse teu filho, que esbanjou teus bens com prostitutas, matas para ele o novilho cevado’.
31Então o pai lhe disse: ‘Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. 32Mas era preciso festejar
e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido, e foi encontrado’”.
Palavra da Salvação. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
11. HOMILIA
12. PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu
único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria,
padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou
ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar
os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na
remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13. ORAÇÃO DOS FIÉIS – P.: Irmãos caríssimos, aclamemos a Deus, nosso Pai, cuja misericórdia para com o
seu povo é sem limites, e digamos com alegria de coração: Ouvi, Senhor, a oração do Vosso povo!
TODOS: OUVI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
1) Pai misericordioso, volvei o Vosso olhar amoroso para todos aqueles que estão afastados da Vossa
Casa, para que possam redescobrir a alegria de poder participar da comunhão na vida da Igreja.
TODOS: OUVI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
2) Pai misericordioso, Vós que demonstrais predileção pelos doentes, os pobres e os excluídos, ajudai-os
em suas necessidades e socorrei-os com a Vossa caridade.
TODOS: OUVI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
3) Pai misericordioso, fazei que sejamos fiéis a Vós, nunca adorando falsos deuses, e confirmai-nos no
compromisso de caminharmos juntos na vivência da fé.
TODOS: OUVI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
4) Pai misericordioso, ouvi as orações dos pais e mães de família que sofrem agora, com os descaminhos
de algum dos seus filhos, para que nunca percam a esperança em Vossa infinita misericórdia.
TODOS: OUVI, SENHOR, A ORAÇÃO DO VOSSO POVO!
(Preces Espontâneas)
P.: Senhor, que nos amais primeiro, quando ainda somos pecadores, concedei que, atraídos por Vosso
amor, possamos experimentar a eficácia do Vosso perdão que nos renova no íntimo. Por Cristo, nosso
Senhor.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
14. CANTO DE OFERTAS – (Hinário da CNBB, fasc. 3, p. 336)
1. Muito alegre, eu te pedi o que era meu… Partir… Um sonho tão normal! Dissipei meus bens, o coração,
também. No fim, meu mundo era irreal!/ R.: CONFIEI NO TEU AMOR E VOLTEI, SIM, AQUI É MEU LUGAR!
EU GASTEI TEUS BENS, Ó PAI, E TE DOU ESTE PRANTO EM MINHAS MÃOS. / 2. Mil amigos conheci,
disseram: adeus! Caiu a solidão em mim. Um patrão cruel levou-me a refletir: Meu pai não trata um servo
assim! / 3. Nem deixaste-me falar da ingratidão… Morreu, no abraço, o mal que eu fiz. Festa, roupa nova, o
anel, sandália aos pés: Voltei à vida, sou feliz!
15. P.: Orai, irmãos e irmãs…
16. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Sede propício, ó Deus, às nossas súplicas, e acolhei com bondade
as oferendas dos vossos servos e servas para que aproveite à salvação de todos o que cada um trouxe em
vossa honra. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
17. SOBRE A RECONCILIAÇÃO I – MR (p. 866) –
18. RITO DA COMUNHÃO
19. CANTO DE COMUNHÃO – ( Hinário da CNBB, fasc. 3, p. 443)
Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor. Onde houver ofensa,
que eu leve o perdão. Onde houver a discórdia, que eu leve a união. Onde houver dúvida, que eu leve a fé.
Onde houver erro, que eu leve a verdade. Onde houver desespero que eu leve a esperança. Onde houver a
tristeza, que eu leve alegria. Onde houver trevas, que eu leve a luz./ Ó mestre, fazei que eu procure mais,
consolar que ser consolado. Compreender, que ser compreendido. Amar, que ser amado. Pois é dando que
se recebe. É perdoando que se é perdoado. E é morrendo que se vive para a vida eterna.
20. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Ó Deus, que a ação da vossa Eucaristia
penetre todo o nosso ser para que não sejamos movidos por nossos impulsos, mas pela graça do vosso
sacramento. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
RITOS FINAIS
22. BREVES AVISOS
23. BÊNÇÃO FINAL

Preparando a Partilha da Palavra
Sem dúvida, a parábola mais cativante de Jesus é a do “Pai bom”, mal chamada de “parábola do filho pródigo”. Precisamente este “filho mais moço” atraiu quase sempre a atenção de comentaristas e pregadores. Seu retorno ao lar e a acolhida incrível do pai comoveram todas as gerações cristãs. No entanto, a parábola fala também do “filho mais velho”, um homem que permanece junto ao pai sem imitar a vida desordenada de seu irmão longe do lar. Quando o informam da festa organizada pelo pai para acolher o filho perdido, fica desconcertado. O retorno do irmão não lhe causa alegria, como a seu pai, mas raiva: “Indigna-se a nega-se a entrar” na festa. Nunca abandonou a casa, mas agora se sente como um estranho entre os seus. O pai sai para convidá-lo com o mesmo carinho com que acolheu seu irmão. Não grita com ele nem lhe dá ordens. Com amor humilde “procura persuadi-lo” a entrar na festa da acolhida. É então que o filho explode, deixando a descoberto todo o seu ressentimento. Passou toda a sua vida cumprindo ordens do pai, mas não aprendeu a amar como ele ama. Só sabe exigir seus direitos e denegrir o irmão. É esta a tragédia do filho mais velho. Nunca abandonou a casa, mas seu coração esteve sempre longe. Sabe cumprir mandamentos, mas não sabe amar. Não entende o amor de seu pai para com aquele filho perdido. Não acolhe nem perdoa, não quer saber nada de seu irmão. Jesus conclui sua parábola sem satisfazer nossa curiosidade: ele entrou na festa ou ficou de fora? Envoltos na crise religiosa da sociedade moderna, habituando-nos a falar de crentes e não crentes, de praticantes e afastados da Igreja, de matrimônios abençoados pela Igreja e casais em situação irregular… Enquanto nós continuamos classificando seus filhos e filhas, Deus continua nos esperando a todos, pois não é propriedade apenas dos bons, nem dos praticantes. Ele é Pai de todos. O “filho mais velho” nos interpela a nós que acreditamos viver junto do Pai. O que estamos fazendo nós que não abandonamos a Igreja? Assegurar nossa sobrevivência religiosa observando da melhor maneira possível o que está prescrito ou ser testemunhas do amor imenso de Deus para com todos os seus filhos e filhas? Estamos construindo comunidades abertas que sabem compreender, acolher e acompanhar os que buscam a Deus entre dúvidas e interrogações? Levantamos barreiras ou lançamos pontes? Oferecemos lhes amizade ou olhamos com receio?

LEITURAS DA SEMANA
Seg.: S. Cornélio Pp e S. Cipriano BMts, memória. 1Tm 2, 1-8; Sl 27 (28); Lc 7, 1-10
Ter.: S. Roberto Belarmino BDr, MFac. 1 Tm 3, 1-13; Sl 100 (101); Lc 7, 11-17
Qua.: 1 Tm 3, 14-16; Sl 110 (111); Lc 7, 31-35
Qui.: S. Januário BMt, MFac. 1 Tm 4, 12-16; Sl 110 (111); Lc 7, 36-50
Sex.: Ss. André Kim Taegon Presb, Paulo Chong Hasang e Comps. Mts, Memória. 1 Tm 6, 2c-12; Sl 48 (49); Lc 8, 1-3
Sab.: S. Mateus Ap, festa. Ef 4, 1-7.11-13; Sl 18 (19 A); Mt 9, 9-13
Quarta Semana do Saltério
Vigésimo Quarto Domingo do Tempo Comum

Você pode Gostar de:

15º Domingo do Tempo Comum(14.07)

O AMOR QUE GERA CUIDADOS A TODOS, AO PRÓXIMO E AOS MARGINALIZADOS. 14 de julho …