Página Inicial / Animação Litúrgica / 32º Domingo do Tempo Comum(10.11)

32º Domingo do Tempo Comum(10.11)

O SENHOR NOSSO DEUS NOS RESSUSCITARÁ PARA A VIDA ETERNA
10 de novembro de 2019
TRIGÉSIMO SEGUNDO DOMINGO DO TEMPO COMUM
COR LITÚRGICA: VERDE
A.: Meus irmãos, nós cremos na ressurreição dos mortos e na vida eterna e, por isso, buscamos sempre mais uma maior identificação com o Cristo, a fim de assegurarmos nossa pertença ao Reino dos céus. Impelidos pelo amor de Cristo que nos chama a habitar na Pátria Celeste, iniciemos a nossa celebração.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – (cf. https://www.paulus.com.br/loja/cd-liturgia-vii-tempo-comum-ano-a-20-ao-34-dtc_p_2300.html, melodia igual à faixa 15)
R.: SENHOR, A TI, SENHOR, MEU PEDIDO! VOLTA PRA MIM, VOLTA PRA MIM, VOLTA PRA MIM, SENHOR, PRA MIM, O TEU OUVIDO!/ 1. Ó Senhor, escuta a prece que te faço e o meu pedido! Vem! Me atende, Deus fiel! Eu preciso ser ouvido. Se vieres nos julgar, todo mundo está perdido./ 2. Lembro os dias do passado: os teus feitos que me alentam, eu te estendo as minhas mãos, a minh’alma está sedenta como terra esturricada, ressequida e poeirenta./ 3. Vem, depressa, meu Senhor! Vem, depressa, me escutar! Meu espírito está fraco, eu já estou para desmaiar. Não me escondas o teu rosto, para eu não me arrasar./ 4. Vem, me ensina a fazer sempre, ó Senhor tua vontade! Teu Espírito me guia a uma terra conquistada. Vem, renova minha vida, das angústias libertada.
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: Irmãos eleitos segundo a presciência de Deus Pai, pela santificação do Espírito para obedecer a Jesus Cristo e participar da bênção da aspersão do seu sangue, graça e paz vos sejam concedidas abundantemente. TODOS: BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL – P.: O Senhor disse: “Quem dentre vós estiver sem pecado, atire a primeira pedra”. Reconheçamo-nos todos pecadores e perdoemo-nos mutuamente do fundo do coração. (pausa). P.: Senhor, que na água e no Espírito nos regenerastes à vossa imagem, tende piedade de nós. TODOS: Senhor, tende piedade de nós. P.: Cristo, que enviais o vosso Espírito para criar em nós um coração novo, tende piedade de nós. TODOS: Cristo, tende piedade de nós. P.: Senhor, que nos tornastes participantes do vosso Corpo e do vosso Sangue, tende piedade de nós. TODOS: Senhor, tende piedade de nós. P.: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS: AMÉM.
4. HINO DE LOUVOR – Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados! Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória! Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica! Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de
nós! Só Vós sois o Santo, só Vós o Senhor, só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.
5. ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) – Deus de poder e misericórdia, afastai de nós todo obstáculo para que, inteiramente disponíveis, nos dediquemos ao vosso serviço. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
A.: Meus irmãos, a certeza da ressurreição é uma realidade que influencia as nossas ações, os nossos valores e nossas atitudes. Atentos, ouçamos o que o Senhor tem a nos dizer.
6. 1ª LEITURA (2Mac 7,1-2.9-14) – Leitura do Segundo Livro dos Macabeus.
Naqueles dias, 1Aconteceu que foram presos sete irmãos, com sua mãe, aos quais o rei, por meio de golpes de chicote e de nervos de boi, quis obrigar a comer carne de porco, que lhes era proibida. 2Um deles, tomando a palavra em nome de todos, falou assim: “Que pretendes? E que procuras saber de nós? Estamos prontos a morrer, antes que violar as leis de nossos pais”. 9O segundo, prestes a dar o último suspiro, disse: “Tu, ó malvado, nos tiras desta vida presente. Mas o Rei do universo nos ressuscitará para uma vida eterna, a nós que morremos por suas leis”. 10Depois deste, começaram a torturar o terceiro. Apresentou a língua logo que o intimidaram e estendeu corajosamente as mãos. 11E disse, cheio de confiança: “Do Céu recebi estes membros; por causa de suas leis os desprezo, pois do Céu espero recebê-los de novo”. 12O próprio rei e os que o acompanhavam ficaram impressionados com a coragem desse adolescente, que considerava os sofrimentos como se nada fossem. 13Morto também este, submeteram o quarto irmão aos mesmos suplícios, desfigurando-o. 14Estando quase a expirar, ele disse: “Prefiro ser morto pelos homens tendo em vista a esperança dada por Deus, que um dia nos ressuscitará. Para ti, porém, ó rei, não haverá ressurreição para a vida!”. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS
7. SALMO RESPONSORIAL – (Do Salmo 16/17)
R.: Ao despertar me saciará vossa presença / e verei a vossa face!/ 1. Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, escutai e atendei o meu clamor! Inclinai o vosso ouvido à minha prece, pois não existe falsidade nos meus lábios!/ 2. Os meus passos eu firmei na vossa estrada e por isso, os meus pés não vacilaram. Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, inclinai o vosso ouvido e escutai-me!/ 3. Protegei-me qual dos olhos a pupila e guardai-me, à proteção de vossas asas! Mas, eu verei, justificado, a vossa face e, ao despertar, me saciará vossa presença.
8. 2ª LEITURA (2Ts 2,16-3,5) – Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Tessalonicenses.
Irmãos: 16Nosso Senhor Jesus Cristo e Deus nosso Pai, que nos amou em sua graça e nos proporcionou uma consolação eterna e feliz esperança, 17animem os vossos corações e vos confirmem em toda boa ação e palavra. 3,1Quanto ao mais, irmãos, rezai por nós, para que a palavra do Senhor seja divulgada e glorificada como foi entre vós. 2Rezai também para que sejamos livres dos homens maus e perversos, pois nem todos têm a fé! 3Mas o Senhor é fiel; ele vos confirmará e vos guardará do mal. 4O Senhor nos dá a certeza de que vós estais seguindo e sempre seguireis as nossas instruções. 5Que o Senhor dirija os vossos corações ao amor de Deus e à firme esperança em Cristo. Palavra do Senhor.
TODOS: GRAÇAS A DEUS.
9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – R.: ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA!/ 1. Eu sou a ressurreição e a vida, diz o Senhor; aquele que crê em mim, viverá eternamente.
10. EVANGELHO – (Lc 20, 27-38) – mais longo – P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: Naquele tempo, 27Aproximaram-se de Jesus alguns saduceus, que negam a ressurreição, 28e lhe perguntaram: “Mestre, Moisés deixou-nos escrito: se alguém tiver um irmão casado e este morrer sem filhos, deve casar-se com a viúva e fim de garantir a descendência para o seu irmão. 29Ora, havia sete irmãos. O primeiro casou e morreu, sem deixar filhos. 30Também o segundo 31e o terceiro se casaram com a viúva. E assim os sete: todos morreram sem deixar filhos. 32Por fim, morreu também a mulher. 33Na ressurreição, ela será esposa de quem? Todos os sete estiveram casados com ela”. 34Jesus respondeu aos saduceus: “Nesta vida, os homens e as mulheres casam-se, 35mas os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, nem eles se casam nem elas se dão em casamento; 36e já não poderão morrer, pois serão iguais aos anjos, serão filhos de Deus, porque ressuscitaram. 37Que os mortos ressuscitam, Moisés também o indicou na passagem da sarça, quando chama o Senhor de ‘o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó’. 38Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele”. Palavra da Salvação.
TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR.
11. HOMILIA
12. PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13. ORAÇÃO DOS FIÉIS – P.: Irmãos e irmãs, apresentemos a Deus as nossas súplicas pelas nossas necessidades, pelas da Igreja e em favor de todos os homens, dizendo: Ouvi-nos, Senhor!
TODOS: OUVI-NOS, SENHOR!
1) Concedei, Senhor, ao Santo Padre, o Papa Francisco, ao nosso Cardeal Arcebispo, Dom Milton, e aos bispos auxiliares de nossa Arquidiocese a graça de serem acompanhados pelo Vosso Espírito em sua missão de anunciar a ressurreição e a vida eterna, nós Vos pedimos.
TODOS: OUVI-NOS, SENHOR!
2) Acolhei, Senhor, em Vosso Reino, os nossos irmãos que já partiram deste mundo; fazei com que os seus nomes estejam inscritos no Céu e concedei-lhes sem demora a vida eterna, nós Vos pedimos.
TODOS: OUVI-NOS, SENHOR!
3) Firmai, Senhor, os nossos passos no caminho da paz e da santidade, em especial, neste Ano Jubilar Arquidiocesano, para testemunharmos aos irmãos a grandeza da missão do batizado, nós Vos pedimos.
TODOS: OUVI-NOS, SENHOR!
(Preces Espontâneas):
P.: Senhor, Deus da vida e da alegria, concedei-nos a graça de começar a construir na terra o reino de paz e de justiça, de vida e de verdade, que esperamos como um precioso dom. Por Cristo nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
14. CANTO DE OFERTAS – cf. https://www.paulus.com.br/loja/cd-liturgia-xii-tempo-comum-18-ao-34-dtc-ano-c_p_2290.html, faixa 15) 1. Bendito sejais, Senhor, pelos dons que apresentamos, bendito pelo pão, bendito pelo vinho. Bendito sejais, também, pela graça no caminho!/ 2. Bendito sejais, Senhor, pelos dons que apresentamos, bendito pela fé, bendito pela Igreja. Bendito sejais, também, pela força da peleja!/ 3. Bendito sejais, Senhor, pelos dons que apresentamos, bendito pelo amor, bendito pela vida. Bendito sejais, também, pelas nossas mãos unidas!
15. P.: Orai, irmãos e irmãs…
16. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Lançai, ó Deus, sobre o nosso sacrifício um olhar de perdão e de paz, para que, celebrando a paixão do vosso Filho, possamos viver o seu mistério. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
17. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III – MR (pág. 483) – Prefácio dos Domingos do Tempo Comum I – MR (p. 428) –
18. RITO DA COMUNHÃO
19. CANTO DE COMUNHÃO – (https://www.paulus.com.br/loja/cd-liturgia-xii-tempo-comum-18-ao-34-dtc-ano-c_p_2290.html, faixa 11)
R.: DEUS DOS MORTOS NÃO É NOSSO DEUS! NOSSO DEUS É O DEUS DOS VIVENTES! PARA ELE É QUE TODOS VIVEMOS, DO PÃO VIVO COMENDO CONTENTES! / 1. Minh’alma louva o Senhor, Seu nome seja louvado! Minh’alma louva o Senhor, por tudo que me tem dado. Me cura as enfermidades e me perdoa os pecados. / 2. Me tira da triste morte, me dá carinho e amor. Com sua misericórdia do abismo me retirou. E, como se eu fosse águia, vem renovar meu vigor./ 3. Consegue fazer justiça a todos os oprimidos. Guiou Moisés no deserto e Israel escolhido. Tem pena, tem compaixão e não se sente ofendido.
20. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS (Pausa): Fortificados por este alimento sagrado, nós vos damos graças, ó Deus, e imploramos a vossa clemência: fazei que perseverem na sinceridade do vosso amor aqueles que fortalecestes pela infusão do Espírito Santo. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
21. ORAÇÃO DO ANO JUBILAR ARQUIDIOCESANO
Ó Trindade Santa, nós vos louvamos pelos 60 anos da Arquidiocese de Brasília! Por tudo, nós vos damos graças! Pelo vosso infinito amor manifestado em nossa história. Pelos que se dedicaram generosamente a edificar a Igreja, no coração do Brasil, desde os inícios da nova capital, erguida à sombra da Santa Cruz e sob o manto protetor da Mãe Aparecida. Nós vos damos graças pela fé professada, celebrada e vivida, ao longo destes 60 anos de evangelização. A vós confiamos o amanhã da nossa Igreja arquidiocesana, com a esperança que brota da fé. Renovamos, hoje, o compromisso de caminhar unidos e de evangelizar a todos, com novo ardor missionário, nos diversos espaços do Distrito Federal. Confiantes no amor de Cristo que nos impele, nós suplicamos as vossas bênçãos, neste Ano Jubilar, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida! Amém!
RITOS FINAIS
22. BREVES AVISOS
23. BÊNÇÃO FINAL

Partilha da Palavra
A pessoa humana sempre se interrogou sobre a morte ou sobre o que acontece depois dela. Desde sempre procura respostas. Ela, porém, é um grande mistério, que somente a fé dá um pouco de luz. São Paulo lembra-nos que agora não enxergamos bem as coisas, nossa visão é opaca, embaçada e que só veremos bem as coisas quando estivermos na plenitude da vida. A falta de fé pode levar-nos a pelo menos duas atitudes: acomodarmo-nos, esperando “a vida passar”, ou vivermos a vida, conforme “nossa cabeça”. Nem um nem outro são caminhos a serem percorridos por cristãos. O caminho do cristão é o da fé, o que nos diz a Palavra de Deus. A ressurreição de Cristo é o centro de nossa fé. Nele temos a certeza de nossa ressurreição e a esperamos. Os saduceus – classe aristrocrática dos sacerdotes – interrogam a Jesus sobre a vida ressuscitada, a vida depois da morte. Eles não acreditam na ressurreição, que nada significa para eles. Jesus já está em Jerusalém, e poucos dias o separam de sua paixão e morte. Sucedem-se as controvérsias, pois querem ter todos os motivos para condená-lo. Mas Jesus não deixa de dar sua resposta a todas elas. Mantém-se fiel a sua missão. Para os saduceus, Jesus deixa claro que a ressurreição não é uma volta biológica, ao modo de viver corporalmente na terra. A ressurreição é a grande novidade para todo ser humano, é a surpresa de Deus. Os saduceus querem demolir o ensinamento de Cristo, baseados na Lei de Moisés – lei do Levirato -, mas não o conseguem. Jesus ensina que Deus não pode ser reduzido a nossas convicções pessoais, que Ele pode fazer muito mais do que imaginamos. Nossos pensamentos, por melhores que sejam, ainda estão longe de alcançarem os de Deus. O Senhor tudo faz para o nosso bem, e não depende de nosso querer, de nossas interpretações ou de nossos pensamentos, A ressurreição de Cristo é uma verdade de fé e também histórica, pois os historiadores antigos falam da fama, da crucifixão e da ressurreição de Cristo. Também em nossos dias encontramos quem não aceita pacificamente a ressurreição, como que dizendo que ela adormece os ideais da humanidade. Será? É por meio do diálogo que ajudamos as pessoas se abrir para o futuro, para a certeza de Cristo, como Ele mesmo fez com os saduceus. Só a ressurreição de Cristo dá sentido a nossa vida e nossos afazeres, nossa caminhada terrena. Ela plenifica nossa vida, não ao contrário, como possam desejar. Ela fortalece a esperança e nos faz construir a vida com muita firmeza; jamais vem “minar” nossos ideais. Devemos, sim, caminhar na certeza de nossa ressurreição, prometida por Jesus e por Ele inaugurada entre nós. Assim como a criança no seio materno não é capaz de explicar o mundo novo que a espera, também nós não podemos explicar, com nossa razão, a verdade feliz que nos aguarda. Portanto, a ressurreição é o centro de nossa fé, e é pela fé que vamos aceitá-la, e não pelos argumentos humanos sobre ela. Vivamos em paz, na certeza da ressurreição de Cristo, e em nossa ressurreição prometida por Ele.

LEITURAS DA SEMANA
Seg.: Sb 1,1-7; Sl 138 (139); Lc 17,1-6.
Ter.: S. Josafá BMt, Mem. Sb 2,23-3,9; Sl 33 (34); Lc17,7-10.
Qua.: Sb6,1-11; Sl 81 (82); Lc17,11-19.
Qui.: Sb7,22-8,1; Sl 118 (119); Lc17,20-25.
Sex.: S. Alberto Magno. Bispo e Doutor. MFac. Sb.13,1-9; Sl 18 (19A); Lc 17,26-37.
Sáb.: S. Margarida da Escócia; S.Gertrudes. Virgem. M.Fac. Sb18,14-16;19,6-9; Sl 104 (105); Lc 18,1-8.
Quarta Semana do Saltério
Trigésimo Segundo Domingo do Tempo Comum

Você pode Gostar de:

26º Domingo do Tempo Comum(29.09)

O CAMINHO PARA DEUS PASSA PELA ESCUTA DA PALAVRA E NO SERVIÇO AOS IRMÃOS 29 …