Página Inicial / Noticias do Mundo / O Missal Romano – entre a norma da fé e a prática celebrativa

O Missal Romano – entre a norma da fé e a prática celebrativa

Com o objetivo de contribuir para maior divulgação do Missal Romano enquanto instrumento essencial para o restabelecimento da autêntica relação entre o que se reza, o que se conhece e o que se vive, e tendo em vista a publicação da terceira edição típica do Missal Romano em português, a Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em parceria com o Centro de Liturgia Dom Clemente Isnard (CLDCI), a Associação dos Liturgistas do Brasil (ASLI) e a Rede Celebra, promove o Seminário Nacional de Liturgia, nos dias 10 a 14 de agosto de 2020.


Intitulado “O Missal Romano: entre a norma da fé e a prática celebrativa”, a iniciativa acontecerá no Mosteiro de Itaici, em Indaiatuba (SP) e é destinada a professores de liturgia, reitores de seminários, formadores, assessores e coordenadores regionais e diocesanos, bispos, religiosos e religiosas, estudantes de mestrado e doutorado, presbíteros.
“Nós precisamos recuperar o valor do missal no sentido de que ele não é apenas um livro de rubricas, ele não é um livro para engessar a celebração, mas ele é uma fonte que contêm os elementos que sustentam a nossa fé”, afirma o presidente da Comissão para a Liturgia, dom Edmar Peron.
Ainda segundo dom Edmar, a igreja crê aquilo que ela reza e o livro principal de oração é o missal. “Ele é fonte para nós de vida espiritual, de fé, de edificação das comunidades”, disse.
Padre Thiago Faccini, assessor do Espaço Litúrgico, afirma que o encontro buscará resgatar a riqueza da ritualidade do Missal Romano. “O sentido é descobrir a ritualidade do missal e a importância da oração e da unidade da Igreja”, aponta.

Seminário: O Missal Romano – entre a norma da fé e a prática celebrativa

Você pode Gostar de:

Papa denuncia a hipocrisia de falar de paz e construir armas.

Audiência: Papa denuncia a hipocrisia de falar de paz e construir armas. A lembrança das …