Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 5º Domingo da Páscoa 10.05.2020

Liturgia – 5º Domingo da Páscoa 10.05.2020

“Mas, vós sois a raça escolhida, sacerdócio do Reino,a nação santa, povo que Ele conquistou”.

1.ACOLHIDA
A Comunidade dos discípulos do Senhor cresceu e todo crescimento supõe problemas próprios do crescimento. Normal, mas, como foi procurada a superação destes problemas? Hoje, normalmente os problemas são jogados às costas dos presbíteros!
Qual foi a pedagogia do Apóstolo Pedro? Procurou identificar o problema e sugeriu este caminho de solução: “Nós precisamos dedicar-nos à oração e pregação, por isso, escolham 7 homens bons, testemunhas de Jesus Cristo e que possam cuidar da caridade na Comunidade. Nós vamos ungí-los e eles exercerão o ofício em nome da Comunidade toda. Eles vão cuidar da caridade e nós da oração e da pregação. A proposta agradou a toda a comunidade. Os Apóstolos ungiram os escolhidos e os “Diáconos” cumpriram a contento o ofício da Mesa da caridade. Ninguém ficou prejudicado: nem a caridade e nem a pregação do Evangelho!!

2.PALAVRA DE DEUS
At 6,1-7 – A Comunidade compunha-se de judeus da Palestina e de judeus aculturados no helenismo (gregos). Compor a unidade numa comunidade tão diversa era difícil. Mas, pela ação do Espírito Santo a unidade e a comunhão foi possível.
1Pd 2,4-9 – A unidade na diversidade é possível numa Comunidade quando ela se deixa conduzir pelo Espírito Santo. O edifício é construído por pedras diferentes ou diversas, mas a unidade é possível quando Jesus Cristo for a “Pedra angular!” Comunhão em Cristo e para a glória de Cristo!
Jo 14,1-12 – Jesus Cristo é a “Pedra angular” e sobre esta pedra podemos construir o edifício da Igreja; mas, fora deste fundamento, a “Pedra” esmaga e causa tropeço!. A Igreja de Jesus não se constrói fora da unidade! E, quando somos um edifício espiritual cristão podemos ter certeza que entraremos no edifício espiritual que Jesus prometeu organizar para nós, lá na Casa de nosso Pai – “Na casa de meu Pai há muitas moradas e Eu vou preparar-vos um lugar! E o caminho para lá chegar não é uma doutrina ou uma técnica… É uma vida: viver como Jesus.
3.REFLEXÃO –
Na 1ª Leitura encontramos a pedagogia de Pedro no governo da Igreja. Situou e definiu o problema e responsabilizou a própria Comunidade na escolha de sete pessoas de confiança e cheias do Espírito Santo para cuidar da caridade, enquanto, os Apóstolos cuidariam da Oração e da Pregação. A proposta agradou a toda a multidão.
Na 2ª Leitura o Apóstolo Pedro dirige a Palavra aos cristãos da Ásia Menor (Turquia atual), perseguidos e escravizados, mas recordou-lhes que eles eram pedras preciosas para Deus, usados na construção da Igreja de Jesus. O sofrimento é sempre o elemento “indispensável” para a construção da Igreja de Jesus! Foi pela Cruz que Ele chegou à glória; será sempre pelo sofrimento que a Igreja se purifica de seus pecados e se torna agradável a Deus.
No Evangelho a Palavra de Deus recorda nosso destino: “A Casa do Pai!” O Apóstolo Tomé, como sempre, cético e questionador, pergunta qual seria o caminho para a Casa do Pai? E Jesus lhe responde que Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida” O caminho de Jesus não é geográfico! O Caminho de Jesus é uma vida semelhante à vida do próprio Jesus Cristo. Vivendo do jeito de Jesus e de seu Evangelho, com certeza, vamos bater à porta do céu!

Frei Carlos Zagonel

Você pode Gostar de:

41º Dia Mundial do Turismo

‘NOVAS OPORTUNIDADES PARA O TURISMO NO BRASIL’ É TEMA DA MENSAGEM DO BISPO REFERENCIAL PARA …