Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – Solenidade de Corpus Christi (11.06)

Liturgia – Solenidade de Corpus Christi (11.06)

“EU SOU O PÃO VIVO DESCIDO DO CÉU QUEM COMER DESTE PÃO VIVERÁ ETERNAMENTE!
1.ACOLHIDA
A “pandemia” impede-nos, inclusive, as procissões religiosas, mas não consegue evitar que nos alimentemos com o Corpo e o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo. O vírus pode causar a morte, mas o Corpo e o Sangue de Cristo garantem-nos a vida eterna!
Provavelmente, não poderemos sair à rua, mas ninguém pode impedir-nos o diálogo amoroso com o divino “Hospede de nosso coração!” Conversemos com Ele e peçamos a Ele que nos livre da “pandemia” do pecado! O perigo é acostumar-se com a intimidade da casa – “Fique em casa!” A Festa do Corpo de Deus é uma festa para sair à rua ( NESTE TEMPO NÃO É POSSÍVEL) e confessar que Ele é o Senhor e o alimento para a vida eterna.

2.Palavra de Deus
Dt 8,2-16 – Deus quis provar e educar seu Povo! Ele precisava educar o povo para ter ânimo e vontade para conquistar a Terra que lhe prometera! Deus sempre se vale de caminhadas para educar o seu Povo. É na caminhada enfrentando dificuldades que se prova a fidelidade do Povo. O deserto é terreno difícil e cheio de perigos,mas Deus pode manifestar seu poder e sua decisão de libertar seu Povo.
1Co 10,16-17 – No deserto o Povo foi alimentado com maná, mas, hoje, continuamos nossa caminhada ao logo do deserto, mas somos alimentados pelo Corpo e Sangue de Jesus Cristo nosso libertador.
Jo 6,51-58 – Jesus promete o verdadeiro “Pão do Céu”, como alimento, mas o povo custa acreditar neste alimento: “Como é que Ele pode dar a sua carne para comer?” Mas Jesus reafirma: “SE não comerdes a Carne do Filho do homem…não tereis a vida em vós… Aquele que come deste Pão (Carne de Cristo) viverá para sempre!”

3.Reflexão
Nós nos acostumamos tanto com o “pãozinho” que as crianças desejam tanto comer, mas que nós perdemos a verdadeira fé no Mistério Eucarístico! Um exemplo, simples exemplo de nosso grande bispo, Dom Helder Camará: Ele foi convidado para participar numa procissão de desagravo da ofensa causada por ladrões que roubaram os Cálices numa igreja e jogaram as hóstias consagradas nas ruas lamacentas do bairro pobre! O Santo Bispo confirmou sua presença na programada procissão, mas observou que as crianças pobres, todos os dias, precisam caminhar pelas ruas lamacentas da vila para ir à escola! Precisamos denunciar, também, este crime, certamente, desaprovado por Jesus, amigo das crianças!
Precisamos dar-nos conta que não podemos comungar com um coração manchado pelo pecado. Jesus Cristo merece um templo mais decente São Paulo recordava aos coríntios que eles eram um templo vivo do Espírito Santo e por isso não podiam comungar e participar da “prostituição praticada no templo.
A Carne e o Sangue de Cristo são remédio poderoso para nossa alma e nossa salvação, mas não pode participar do pecado! Não basta comungar; precisamos comungar santamente ou com vontade decidida de abandonar os caminhos do pecado! Diz Paulo: “Portanto, todo aquele que beber do cálice do Senhor, indignamente, será culpado contra o corpo e o sangue do Senhor…pois quem come e bebe indignamente
Come e bebe a própria condenação!
FREI CARLOS ZAGONEL

Você pode Gostar de:

Liturgia – 6º Domingo da Páscoa 17.05.2020

“Se me amais, guardareis os meus Mandamentos!” 1.ACOLHIDA Irmãos na fé, bastaria celebrar com atenção …