Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – Solenidade de Todos os Santos e Santas de Deus (01.11.2020)

Liturgia – Solenidade de Todos os Santos e Santas de Deus (01.11.2020)

“VI UMA MULTIDÃO IMENSA DE TODAS AS NAÇÕES”
1.ACOLHIDA
No Reino de Deus não somos uns desconhecidos, mas somos irmãos e irmãs a caminho da felicidade eterna. Somos irmãos ainda a caminho (Igreja peregrina), Igreja que padece, ainda, as dores da purificação (Igreja padecente) e Igreja glorificada (Igreja na glória celestial). Há entre nós um parentesco de mútua ajuda! Todos tendem ao mesmo Fim – a glória celestial – onde seremos iluminados pela luz do Cordeiro.
No Livro do Apocalipse fala-se de uma incontável multidão de todas as raças e línguas, que purificaram suas vidas no Sangue do Cordeiro (Ap 7,9-11). Prostrados por terra, adoravam o Cordeiro atribuindo-lhe toda a honra e toda a glória.

2.PALAVRA DE DEUS
Ap 7,2-4.9-14 – A multidão incontável, vestida com roupas brancas, alvejadas pelo Sangue do Cordeiro e a glória festiva pertence ao Cordeiro. É a grande festa que Ele preparou para aqueles que o seguiram no sofrimento na terra.
1Jo 3,1-3 – Deus revela a grandeza de seus eleitos, agora, proclamados filhos adotivos, purificados no Sangue do Cordeiro! São criaturas nascidas do pó da terra, mas, agora, revestidas da glória do próprio Cordeiro de Deus!
Mt 5,1-12ª – Os filhos adotivos que, agora, entram na glória do Cordeiro são aqueles e aquelas que procuraram viver de acordo com as normas da Bem-Aventuranças proclamadas por Jesus em sua catequese da Montanha.

3.REFLEXÃO
O Livro do Apocalipse (Revelação) foi escrito num tempo de perseguição sangrenta contra os cristãos, movida pelo Império Romano; estes precisavam ser consolados com a revelação da glória futura, reservada na eternidade feliz do céu! Por isso, o Apocalipse é o Livro da Consolação para os cristãos perseguidos e, hoje, essa consolação é também para nós! Alegremo-nos com nosso Deus que não se esquece de seus filhos que, ainda, caminham pelas estradas deste mundo. O mundo é imediatista, pensa apenas para o momento presente, mas Deus sonha a felicidade eterna para seus discípulos fiéis.
Na segunda leitura temos a relação gloriosa e consoladora: “Somos filhos adotivos de nosso Deus e a plenitude desta glória será revelada na hora de nossa morte: “Seremos semelhantes a Ele, porque o veremos como Ele é!…” Não adiante nem se esforçar para imaginar como será, pois, na Carta aos Coríntios, afirma-se que “olho humano jamais viu, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu” o que Deus preparou para aqueles que o amam e servem! (1Cor 2,9).
As Bem-Aventuranças são o Caminho régio proposto por Jesus; Caminho, certamente, exigente, mas não impossível! Tantos irmãos nossos, já glorificados, praticaram este caminho e, hoje, estão na glória! Santo Agostinho dizia: “Se estes e estas (santas e santas) puderam, porque nós não poderemos?” Os caminhos de Deus, realmente, sempre são estreitos, mas não são impossíveis! Além desta promessa, temos a certeza do auxílio divino!
Nós fomos criados para a glória celestial e não para a podridão da carne e do cemitério. Aliás, desde o mais profundo de nosso ser, nossa própria carne geme e chora desejando ser glorificada com o Senhor Jesus!
“Alegrai-vos e exultai porque será grande a vossa recompensa nos céus”

FREI CARLOS ZAGONEL.

Você pode Gostar de:

Simpósio de Formação Ecumênica 2021

Estão abertas as inscrições ao Simpósio de Formação Ecumênica 2021 que acontecerá, de forma virtual, …