Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 21º Domingo Comum 22.08.2021.

Liturgia – 21º Domingo Comum 22.08.2021.

“Quanto a mim e a minha família, nós serviremos ao Senhor!”
01.Acolhida
A Eucaristia que celebramos é o mistério do Corpo e do Sangue de Jesus oferecidos para nossa salvação; Jesus renova em cada missa sua oferta a Deus Pai oferecendo seu próprio Corpo e Sangue para nossa salvação. Não é a memória do sacrifício da Cruz, mas é a renovação do sacrifício da Cruz, que nos redime de nossos pecados e nos torna verdadeiros filhos de Deus Pai!
Quem entende este mistério, não perde uma missa diária se quer! A “pandemia” nos acostumou com a celebração através do Meios de Comunicação, mas facilitou nossa preguiça e enfraqueceu nossa fé na presença real de Cristo na Eucaristia! Precisamos recuperar esta prática presencial na celebração da Eucaristia!
“Não vos deixarei órfãos: voltarei a vós! … sabereis que Eu estou no meu Pai, e vós em mim, e Eu em vós!” (Jo 14,18-20). Ele está em nós, está em nossas igreja, mas abandonado!

2.Palavra de Deus
Js 24,1-18b – O Povo de Israel entrou na Terra prometida e Josué convocou os responsáveis para uma grande assembleia decisiva: A quem querem servir, aos deuses pagãos ou a Javé o libertador. Josué garantiu-lhe que ele e sua família serviria ao Senhor! Movido pelo testemunho do chefe, o povo seguiu a sua decisão!
Ef 5,21-32 – A Liturgia dá continuidade à catequese familiar, hoje, abordando o grande mistério do casamento cristão, que se inspira no amor que Jesus tem por sua Igreja! Este ensinamento iluminaria os casais e, com certeza, diminuiriam os feminicídios!
Jo 6,60-69 – Seguir a Jesus e às suas Palavras é, de fato, muito exigente! Mas Jesus não acomoda, pelo contrário, radicaliza: Vós também quereis ir embora? Imitemos a coragem de Pedro: A quem iremos Senhor? Tu tens palavras de vida eterna… e cremos firmemente que Tu és o Senhor!”

3.Reflexão–Há momentos em nossa vida que precisamos tomar decisões importantes e, então, o testemunho de um irmão é importante e mesmo decisivo. O Povo de Israel, já instalado na Terra Prometida é convocado para uma assembleia decisiva: Qual seria a divindade a quem serviriam? “A quem desejam servir, aos deuses tradicionais ou a Javé, o Deus que nos libertou do Egito? E Josué definiu sua posição: “Quanto a mim e a minha família, nós serviremos ao Senhor!” O exemplo do chefe fez o povo exclamar:” Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir a deuses estranhos!”
Nós, os cristãos – vivendo tempos de dúvida existencial e religiosa – devemos recordar-nos que somos devedores de um testemunho existencial para nossos irmãos, que vivem em dúvida. E recordemos que, neste caso, as palavras valem bem menos que que o exemplo!
No Evangelho Jesus firma sua posição: “Vós, também, quereis ir embora?” E a partir deste momento, muitos deixaram de seguir a Jesus! Mas Pedro, em nome dos Apóstolos exclamou: “A quem iremos, Senhor? Tu tens Palavras de vida eterna e nós cremos firmemente e reconhecemos que tu és o Santo de Deus!” A resposta de Pedro é escola para nós, exatamente, para esse tempo de dúvida! No meio de um liberalismo enervante, a firmeza da fé em Jesus, nosso Salvador. Ele tem Palavras de vida eterna!
A prática de trocar de mulher ou de marido em nossa vida matrimonial… é bom apelar para a fé nas Palavras de Jesus, reveladas no Evangelho: “Senhor, nós cremos na grandeza do sacramento do matrimônio: “Este mistério é grande e eu o interpreto em relação a Cristo e à Igreja.”

FREI CARLOS ZAGONEL

Você pode Gostar de:

Novo Mestre das Celebrações Litúrgicas

Mons. Diego Ravelli é o novo Mestre das Celebrações Litúrgicas Até agora chefe de Gabinete …