Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Bem-vindo Dom Mário,obrigado Dom Milton

Bem-vindo Dom Mário,obrigado Dom Milton

Nossa arquidiocese recebeu com alegria, no dia 23 de Fevereiro, a notícia da nomeação de Dom Mário Antonio da Silva, bispo da Diocese de Roraima, como novo Arcebispo Metropolitano de Cuiabá. Com sentimentos de alegria e vibração, acolhemos aquele que foi escolhido pela divina providência para “Testemunhar e servir”, (lema episcopal de Dom Mario) nesta arquidiocese, dando continuidade ao generoso e abnegado trabalho pastoral de Dom Milton Santos. Dom Mario vem de uma região missionária para outra região missionária! Deus seja louvado pela por essa nomeação! Bendito aquele que vem em nome do Senhor! Lembremos as palavras de Jesus dirigidas aos seus discípulos: “quem vos recebe a mim recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou (Mt 10,40).

Por tanto, recebamos com espírito de fé e docilidade cristã, aquele que vem como enviado de Deus. Nós aguardamos D. Mario Antônio da Silva, nesta histórica e querida arquidiocese para, juntos, em clima de fraterna comunhão e participação, continuarmos, com entusiasmo missionário, a obra evangelizadora da Igreja em fidelidade ao mandato de Jesus: “Ide pelo mundo inteiro e pregai o evangelho (Mt 28,20)”. Na visão teológica, o bispo é princípio visível e fundamento da unidade na diversidade de dons e carismas da comunidade Diocesana. Assim exorta o Concílio Vaticano II: “O Bispo, como membro do colégio episcopal presidido pelo Papa, é sucessor dos apóstolos e, por sua plena participação no sacerdócio de Cristo, é sinal visível e eficaz do mesmo Cristo, de quem faz às vezes como mestre, pastor e pontífice, e age em seu nome” (Lumem Gentium, 21).

O bispo é, portanto, um dado bíblico-teológico. Por isso, o ministério episcopal é essencial para a vida e missão da Igreja. O bispo tem a plenitude do sacerdócio, com muitas flores no ofício. Mas, também, com muitos espinhos ou “ossos de ofício”, os quais complementam, na vida do bispo, a paixão, imolação e sacrifício redentor de Jesus pelas ovelhas e pelo mundo. Diante de um mundo marcado pelo secularismo pela, relativização dos valores éticos, enchafurdado nos prazeres da vida, metalizado nas ânsias do consumismo e da riqueza, esta sucessão na arquidiocese representa a vitória do amor, da generosidade e da gratuidade evangélica de dois grandes missionários: D. Mário e D. Milton. D. Mário substituirá o querido Arcebispo D. Milton Santos, o qual gastou 18 anos de sua preciosa vida episcopal nesta arquidiocese. O mesmo vai entrar, agora, no período da sua merecida emeritude episcopal, após ter empreendido muitas realizações pastorais na arquidiocese. Entre essas realizações, destacamos o Sínodo arquidiocesano, de 2004-2008.

Como disse o próprio D. Milton, no lançamento do sínodo arquidiocesano em 2004: “este sínodo iniciará hoje, para nunca mais acabar”… Palavras que soaram como uma profecia, pois, em Outubro do ano passado, o Papa Francisco convocou a Igreja Católica, “para ser uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão (2021-2023). O Sínodo arquidiocesano, trouxe benéficas renovações e mudanças pastorais, sobretudo para o Setor administrativo da arquidiocese e para o campo vocacional, potencializando um aumento considerável do número de Padres Diocesanos.

Assim disse o grande Cícero: “A gratidão não é somente a maior das virtudes; mas é, também, a mãe de todas as outras”. Por isso, nesta circunstância histórica, única e irrepetível, nossa arquidiocese expressa, com efusividade, sua alegria e satisfação: Bem-vindo D. Mario Antônio e obrigado D. Milton Santos!

Pe. Deusdédit é cura da Catedral do Senhor Bom Jesus de Cuiabá e Vigário Geral da Arquidiocese

Você pode Gostar de:

Novo Bispo de Roraima – Dom Evaristo Pascoal Spengler

PAPA FRANCISCO TRANSFERE DOM EVARISTO PASCOAL SPENGLER PARA DIOCESE DE RORAIMA (RR) O Papa Francisco …