Página Inicial / Animação Litúrgica / 16º Domingo do Tempo Comum (17.07)

16º Domingo do Tempo Comum (17.07)

Ano C – cor verde – 17/07/2022

1. Saudação Presidente – Amados irmãos e irmãs de nossa comunidade e você que nos visita neste dia, sejam todos bem-vindos a esta celebração do Mistério de nossa fé. Na liturgia de hoje, celebramos o encontro do Senhor com duas mulheres, Marta e Maria, ambas modelos de hospitalidade. Na alegria deste encontro com o Senhor nosso Deus, saudemos a Trindade Santa, cantando. (D.R.) 1 – Em nome do Pai que nos criou, e do Filho que nos salvou e do Espírito Santo que nos une com amor. 2 – Amém, amém, amém, amém, amém, amém, amém, amém, amém, para todo e sempre amém.
Presidente – O amor misericordioso do Pai, a graça do Filho e a comunhão do Espírito Santo, estejam convosco. Bendito seja Deus…
Presidente – Hoje, somos acolhidos pelo Pai e aprendemos d’Ele o sentido de acolher com o coração aberto e cheio de amor. Reunidos como família de Deus vamos recordar os fatos que marcaram nossas vidas nesta semana que passou (recordação da vida).
2. Deus nos perdoa Presidente – De coração arrependido e humilde, aproximemo-nos do Deus Justo e Santo para que tenha piedade de nós, pecadores (silêncio). Confiantes, peçamos perdão.
3. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos a Deus nosso Pai que em Cristo nos fez conhecer a salvação, cantando.
4. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, que em Jesus viestes até nós, dai-nos um coração de discípulo, para ouvir vosso Filho. Fazei-nos capazes de acolher e servir a Cristo em nossos irmãos e irmãs. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do Livro do Gênesis (18, 1-10a)
6. Salmo Responsorial (14) (CD Cantando os Salmos – Vol II) Senhor, quem morará em vossa casa? (bis)
7. Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses (1, 24-28)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (10, 38-42)
9. Partilha da Palavra
Nossa resposta
10. Profissão de Fé Presidente – No Deus da vida que nos acolhe em seu amor misericordioso, professemos a nossa fé. Creio em Deus Pai…
11. Preces da Comunidade Presidente – Ao nosso Deus e Pai que é amor e bondade supliquemos confiantes e a cada prece rezemos: Senhor, ouvi-nos!
12. Apresentação dos Dons Presidente – Neste domingo, somos chamados a fazer a experiência pascal da hospitalidade. Ela é uma das exigências da vida cristã. Hospedar alguém significa pôr-se a serviço: cuidar das vestes, alimentá-lo, dialogar, ouvi-lo. Apresentemos ao Altar do Senhor nossa disposição e compromisso em acolher e servir aos irmãos sem distinção.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
13. Louvação Presidente – Louvemos ao Senhor nosso Deus por todas as pessoas, grupos e comunidades que acolhem os irmãos com ternura e alegria.
Deus nos faz irmãos
14. Pai Nosso Presidente – Com amor e confiança rezemos a oração que Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
15. Momento da Paz Presidente – Jesus apareceu aos seus discípulos dizendo: “A paz esteja convosco”. No compromisso de sermos construtores dessa paz, rezemos em silêncio pela paz mundial.
16. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, pelos vossos Sacramentos vós viestes até nós. Ficai conosco sempre, e nós ficaremos convosco. Assim seremos o Reino que Jesus tanto anunciou: mulheres e homens vivendo a vida nova e feliz, que veio do céu à terra e leva da terra ao céu. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
17. Breves Avisos
18. Catequese sobre o Dízimo O dízimo é uma doação regular e proporcional aos rendimentos do fiel, que todo batizado deve assumir. É antes de tudo uma grande graça, pois é uma forma concreta que o cristão tem para manifestar a sua fé em Deus e o seu amor ao próximo, já que é por meio dele que a Igreja se mantém em atividade, sustenta seus trabalhos de evangelização e realiza muitas obras de caridade e assistência aos menos favorecidos. Pelo dízimo, podemos viver as três virtudes mais importantes para todo cristão: a Fé, a Esperança e o Amorcaridade, que nos levam mais perto de Deus. O dízimo é um compromisso. Representa a nossa vontade de colaborar, de verdade, com o Projeto Divino neste mundo.
19. Bênção
Presidente – O Senhor vos abençoe e vos guarde. Amém.
– O Senhor faça brilhar sobre vós a vossa face e vos seja favorável. Amém.
– O Senhor dirija para vós o Seu rosto e vos dê a paz. Amém.
– Abençoe-vos Deus, rico em misericórdia: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
– Praticai com amor a hospitalidade. Crescei na atenção e na escuta do Senhor. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

 

Meditando a Palavra de Deus
A Pastoral da acolhida encontra seu fundamento na Palavra de Jesus, o Evangelho. A hospitalidade e o acolhimento são muito fortes neste domingo. Precisamos estar muito atentos a uma verdade de nossa fé: fomos acolhidos por Deus, em primeiro lugar. Desde a criação do mundo e a nossa, como imagem e semelhança divinas, dá-se o acolhimento divino, que alcança seu ápice em Jesus, a ponto de nos dizer que foi Ele quem nos escolheu. Jesus está na casa de Marta e de Maria. Uma está ocupada com seus afazeres. A outra está sentada aos pés de Jesus. Uma está preocupada porque não recebe ajuda. A outra permanece em silêncio, nada diz, põe-se em atitude de escuta. É grande a catequese de Lucas. Pode fazer alguma coisa quem se põe a escutar. Quem não escuta também não aprende, não caminha melhor. Por isso Jesus vai dizer: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas”. Claro que temos sempre nossas preocupações, mas é importante perguntar a nós mesmos se estamos vivendo o essencial em nossa fé. Maria, aos pés de Jesus, indica o discipulado em torno dele. Estar aos pés do Mestre é estar disposto a segui-Lo realmente. A existência cristã é acolhimento de Deus, é acolher seu ensinamento e suas propostas. E, uma vez dado nosso sim, Deus se põe a nosso lado, assim como fez com Abraão, que acolheu aqueles peregrinos e teve uma grande surpresa de Deus: a notícia do nascimento de Isaac. Jesus é acolhido naquela casa, mas também acolhe a Marta e Maria especialmente, que está atenta a seu ensinamento. Para acolher não podemos estar em um superativismo, como sugere a atitude de Marta, da qual Jesus chama atenção. Não se trata também de somente ficar esperando que tudo aconteça, sem ação, sem decisão. Maria se põe a aprender de Jesus, pois torna-se-á discípula dele. Por isso não podemos nos pôr nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Precisamos ter equilíbrio e discernimento. A contemplação hoje é tão necessária, quanto importante para cada cristão . Devemos aprender a contemplar a presença de Deus entre nós, principalmente nas pessoas, como os peregrinos acolhidos por Abraão. Ele bem sabia que acolher o peregrino é acolher o próprio Deus, e fez isso com toda a sua fé. Certamente podemos melhorar muito nosso acolhimento tanto pessoal quanto comunitário. Há um caminho a ser feito, e assim poderemos ouvir amanhã a mesma palavra de Jesus: “Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”. Acolhendo aos irmãos, acolhemos ao próprio Deus. Deus Conosco – Reflexões e Sugestões Litúrgicas – 2022

Leituras da Semana
2ª feira: Mq 6,1-46-8; Sl 49; Mt 12,38-42
3ª feira: Mq 7,14-15.18-20; Sl 84; Mt 12,46-50
4ª feira: Jr 1,1.4-10; Sl 70; Mt 13,1-9
5ª feira: Jr 2,1-3.7-8.12-13; Sl 35; Mt 13,10-17
6ª feira: Ct 3,1-4a; 2Cor 5,14-17; Sl 62; Jo 20,1-2.11-18
Sábado: Jr 7,1-11; Sl 83; Mt 13,24-30
Domingo: Gn 18,20-32; Sl 137; Cl 2,12-14; Lc 11,1-13

Você pode Gostar de:

17º Domingo do Tempo Comum (24.07)

Ano C – cor verde – 24/07/2022 1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs, sejam …