Liturgia Domingo de Ramos

LITURGIA – DOMINGO DE RAMOS – 20.03.2016
“Humilhou-se até a morte de cruz, mas Deus o exaltou!”

1.ACOLHIDA.
O “Domingo de Ramos” recorda a procissão do povo que aclama Jesus cantando: “Bendito o rei que vem em nome do Senhor!” Mas este mesmo povo, enganado pelos sacerdotes, pede a sua morte e a libertação do assassino Barrabas. A procissão pelas ruas de Jerusalém é a profecia de nossa procissão existencial: Passamos da aclamação à condenação!
Acompanhemos os passos dolorosos de Jesus meditando nossas contradições quando passamos da fidelidade ao pecado. Senhor Jesus tende misericórdia de nós!

2.PALAVRA DE DEUS.
Is 50,4-7 – O profeta Isaias fala de um misterioso “Servo de Javé” e todos os comentaristas estão de acordo que se trata de Jesus sofredor, fiel a Deus e ao Povo até a morte. É o retrato profético de Jesus, o Messias esperado.

Fl. 2,6-11 – Paulo descreve o caminho de Jesus: caminho de humilhação e caminho de glorificação. Deus sempre pronuncia a palavra final: “Humilhou-se até a morte de cruz, mas Deus o exaltou acima de tudo (…) Toda a língua proclame que Jesus Cristo é o Senhor”.

Lc.  23,1-49 – Jesus nos amou de verdade. Vamos ouvir atentamente a narração do preço que Ele pagou por nosso resgate! Irmãos e irmãs, a narrativa da Paixão do Senhor não é uma narrativa histórica; ela diz respeito a cada um de nós! Ele morreu por cada um de nós. Morreu por mim!

3.REFLEXÃO
Por que Deus escolheu o caminho do sofrimento e da morte para nos salvar? É um mistério profundo do amor misericordioso de nosso Deus. É mistério para ser contemplado e não para ser entendido. É maior que nossa cabeça!  Os mistérios de Deus tornam-se luminosos quando nos colocamos de joelho! Assim pensava São Basílio, grande bispo da Igreja Primitiva.

Nossa resposta ao amor divino de nosso eu pode ser de exultação, mas o verdadeiro amor nasce do abandono, da entrega total nas mãos de Deus: “Jesus morreu por mim, logo eu não posso mais viver por mim, mas por Ele que morreu por mim!” é vida por vida, morte com morte! Nosso amor romântico de aleluias e de lágrimas… Não é digno de Jesus que me amor e morreu na Cruz por mim!

A narrativa da “Paixão de Jesus” pode até ser encenada, mas é melhor ouvi-la em silêncio deixando-a penetrar no coração arrependido que recorda seus pecados e ouve a “Boa Notícia” de Jesus: “Eu morri para você ter vida divina e tê-la em abundância!”.

Um desafio par cada um de nós: “Vamos desligar o celular e a internet e ler os textos da narrativa nos quatro evangelistas”. Ler com calma, de coração aberto e sentir no íntimo de cada um de nós o calor do amor divino e misericordioso de nosso Deus.

Muitos aproveitam o “feriadão” para pescar, viajar em férias! O descanso é necessário, mas a “Semana Santa de Jesus”, é bom que seja santa também para nós! Não se trata de morrer na cruz com Ele, mas acompanhá-lo na meditação do sofrimento que Ele suportou para nos salvar!

“Em verdade eu te digo, ainda hoje estarás comigo no paraíso”
   
Frei Carlos Zagonel
Fonte:http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=3743

Você pode Gostar de:

Liturgia – 5º Domingo da Quaresma

LITURGIA – 5º DOMINGO DA QUARESMA  07.04.2019 “Convertei-vos a Mim, pois sou bom e compassivo!” …