Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia 2º Domingo de Pascoa

Liturgia 2º Domingo de Pascoa

LITURGIA – 2º DOMINGO DE PÁSCOA
“Jesus Cristo é Senhor para a glória de Deus Pai”
Este é o “Domingo da Misericórdia”, plenamente revelada na Ressurreição do Senhor – é o motivo maior de nossa alegria: fomos salvos pelo amor misericordioso de nosso Deus! É, também, a festa dos recém-batizados, agora, alimentados com o leite espiritual: “Como crianças recém-nascidas, desejai o puro leite espiritual para crescerdes na salvação” – Os batizados na noite da Páscoa eram apresentados à Comunidade, vestidos de branco.
Celebremos esta Eucaristia com júbilo festivo, pois fomos salvos pelo amor misericordioso de nosso Deus e Senhor, Jesus Cristo.

2.Palavra de Deus
At 5,12-16 – Os Apóstolos, revestidos do poder de Jesus ressuscitado, dão continuidade à sua obra: Anunciam que Ele está vivo e foi constituído Senhor e Juiz e realizam os milagres que Jesus fazia em favor dos pobres e aflitos.

Ap 1,9-19 – O Apóstolo João, exilado na ilha de Patmos por causa de seu testemunho de Jesus, recebe revelações que deve transmitir para as Comunidades da Ásia Menor.  Apavorado pela visão, é tranqüilizado pelo próprio Jesus, vestido com longa túnica branca e portando um cinto de ouro no peito – sinais de sua divindade.

Jo 20, 19-31 – Jesus aparece aos discípulos em dia de Domingo, oficializa a comunidade dos discípulos conferindo-lhe o Espírito Santo para perdoar os pecados e investindo-os de sua própria missão: “Como o Pai me enviou, também vos envio!”. Para o Apóstolo João, Jesus “antecipa” a irrupção do Espírito Santo sobre a Igreja. Ela deve estar habilitada, desde o início, para continuar a sua obra.  Agora, é conosco o trabalho missionário!

3.Reflexão.
Jesus Cristo é o Senhor!  Este é o título do Ressuscitado; agora Ele foi constituído Senhor e Juiz do Universo e voltará na sua glória para julgar vivos e mortos! Ninguém conseguirá livrar-se de seu julgamento e de receber o preço de suas obras justas ou iníquas! Os pobres e os injustiçados deste mundo podem reaver sua esperança: Ele voltará como justo Juiz de todo o universo!

Todos admiravam os Apóstolos, especialmente Pedro que curava até com sua sobra, mas muitos, ainda tinham medo de aderir à Comunidade cristã por causa da perseguição dos inimigos de Jesus. A perseguição contra a Igreja de Jesus é sua marca registrada: Satanás não pode suportar a obra misericordiosa de nosso Salvador e Senhor, Jesus Cristo, agora, perseguido no corpo de seus melhores discípulos!

O Evangelho de João, escrito no final do primeiro século, supõe a celebração da Eucaristia nas Comunidades já espalhadas em muitas cidades mundo a fora. Elas celebram o “Dia do Senhor” no Domingo, primeiro dia da semana. É na Eucaristia, celebrada nestas Comunidades que Ele marca sua presença e lhes comunica suas vontades. Não nos afastemos da celebração da Palavra e da Eucaristia dominical para não perder a graça da presença e do magistério de Jesus!

Ah! Como todos nós gastaríamos de ter visto o Senhor com nossos próprios olhos carnais! O Apóstolo Tomé não viu Jesus em sua primeira aparição após a Ressurreição.

Jesus aceitou sua bela confissão de fé, quando tocou em suas feridas, mas Jesus lhe disse: “Acreditaste porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!” E São Pedro elogia os discípulos que acreditaram em Jesus sem telo visto e isto é admirável (1Pd 1,8-9). Reavivemos nossa fé na presença Jesus Cristo em nossas celebrações dominicais. É consolador saber que Ele está presente no meio de nós!
Frei Carlos Zagonel
Fonte:http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=3765

Você pode Gostar de:

Liturgia – 5º Domingo da Quaresma

LITURGIA – 5º DOMINGO DA QUARESMA  07.04.2019 “Convertei-vos a Mim, pois sou bom e compassivo!” …