Página Inicial / Voz do Pastor / Homilia Solenidade de Corpus Christi

Homilia Solenidade de Corpus Christi

              

HOMILIA – CORPUS CHRISTI-2016 – 26/MAIO/2016
+Dom Milton Santos – Arcebispo Metropolitano de Cuiabá

Celebramos hoje a Solenidade do Corpo de Deus ainda marcados vivamente na memória pela romaria-caminhada do dia 08 de maio/2016 com Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, e, “matogrossense”, pois agora esta imagem peregrina que veio de Aparecida, SP, traz em seu manto também a BANDEIRA DE MATO GROSSO com as Bandeiras do Brasil e do Papa. “Nossa Senhora Aparecida “matogrossense” se torna para nós um título da nossa originalidade de “romeiros de Aparecida” na celebração do Jubileu dos “300 anos” do encontro da pequena imagem nas águas do Rio Paraíba… Hoje, também a Virgem Maria está conosco em sua imagem peregrina nesta Eucaristia e nos acompanhará na caminhada-procissão do SSmo. Sacramento até à Catedral-Basílica do Senhor Bom Jesus: Maria Santíssima, a mulher-Eucarística por excelência!
Neste momento com Nossa Senhora estamos comungando o Pão-da-Palavra de Deus que nos provoca a tornar eucarística toda partilha ‘do nosso pão de cada dia` com quem está afastado do banquete-da-vida e passa algum tipo de fome!

O Evangelista Lucas faz referência pela boca dos Doze Apóstolos que “…estavam em lugar DESERTO”, e, aconselharam Jesus a despedir o povo a fim de que vá procurar alojamento e comida nas aldeias e campos vizinhos (Lc 9,12); certamente encontrariam hospedagem e alimentos, pois nas aldeias da Galiléia praticavam-se muito a hospitalidade e a partilha. A referência do lugar deserto é importante! Lucas faz pensar na saída dos hebreus do Egito para o deserto, a caminho da liberdade e da vida. No passado Javé tirou os hebreus daquela opressão e os atraiu ao deserto para alimentá-los com o maná, assim Jesus atrai ao deserto o povo faminto explorado pelo império romano e por Heródes, para aí celebrar o banquete da vida: a Eucaristia! O povo segue Jesus como no passado seguiu Moisés, e Jesus dirige-se ao deserto, onde se celebra o banquete da vida e da abundância de alimentos para todos.
Jesus vence a tentação dos apóstolos e os desafia a buscar uma alternativa: “Vocês é que têm de lhes dar de comer!” Percebeu? Os Apóstolos continuam agarrados ao “cada um por si…”; Jesus ordena preocupar-se pelos outros, ou seja, SOLIDARIZAR-SE: “Vós mesmos, dai-lhes de comer!” Jesus mostra que a solução do problema “fome” se chama “PARTILHA”!! Os discípulos de Jesus estão – como nós também! – muito agarrados à velha lei do “cada um por si…” em relação aos alimentos básicos de sobrevivência, e, fazem cálculos econômicos: será que eles têm dinheiro suficiente para comprar pão para cerca de cinco mil homens?
Jesus não recua: “Mandai o povo sentar-se em grupos de cinquenta!” Vários estudiosos lembram o significado do sentar-se para comer, gesto de pessoas livres, cidadãs… Aquelas pessoas sentiam-se livres no deserto e sentam-se como povo organizado.
Jesus toma os pães e os peixes e, como pai de uma grande família que senta para partilhar os bens da vida, reza a bênção que todo chefe de família judaica pronunciava antes da refeição. É um agradecimento pelo alimento destinado a ser partilhado entre todos… Todos comem, ficam satisfeitos… sobram pedaços, sinal de que houve PARTILHA! Um mini-paraíso aconteceu aqui… a partilha dos pães e peixes entre os pobres e famintos na Galiléia!
Sobretudo diante de tantos que passam fome, deveríamos nos habituar a ver a partilha do alimento como um ato eucarístico. Em outras palavras, sempre que partilhamos aquilo que garante a vida para todos, estamos de alguma forma fazendo um gesto eucarístico.
O que Você acha? Não é escandaloso partilhar apenas o pão consagrado sem partilhar “o pão nosso de cada dia”?
O evangelho e a segunda leitura de hoje  – 1Cor 11,23-26 associam inseparavelmente Eucaristia e partilha do “pão nosso de cada dia!” É preciso que a Santa Missa se torne um gesto concreto de melhor distribuição dos bens entre todos. Enquanto houver faminto, nossa Eucaristia terá sempre um elemento de denúncia e um apelo de Deus: “Vocês é que têm de lhes dar de comer!
Percebeu que a devoção a Nossa Senhora faz Você ser uma “pessoa que partilha, uma comunidade que partilha…”? Quem sabe Você já cantou a estrofe de uma música mariana? Assim:
“Eis que Maria nos ensina a cada dia, sermos na vida Eucaristia pr´os irmãos. Entrega maior que esta não há! – Eucaristia, nosso alimento, força e sustento do povo a caminhar. Eucaristia, nosso compromisso de estarmos a serviço do Reino de Deus!”
O Papa João Paulo II – também ele “romeiro de Aparecida” – ao comentar o triste incidente de tentativa de roubo da imagem de Nossa Senhora Aparecida assim concluiu:
“A devoção a Maria é fonte de vida cristã profunda, é fonte de compromisso com Deus e com os irmãos. Permanecei na escola de Maria, escutai a sua voz, segui os seus exemplos.”
Esta é a “nova espiritualidade” deste novo milênio! “A nova Espiritualidade, por dom do Espírito Santo, descobrirá a arte de viver a EUCARISTIA-DA-VIDA , e a VIDA-EM-EUCARISTIA, para que, o quanto antes, a humanidade TODA sem guerras, sem fome… possa sentar-se à mesa da fraternidade de todos os bens, servidos a todos!
ESTE É O “SONHO” DE DEUS: O MUNDO TODO E TODO O MUNDO VIVERÁ EM EUCARISTIA: A PARTILHA DA VIDA VIVIDA EM PLENITUDE PARA TODOS!! AMÉM!!

 

Você pode Gostar de:

Homilia de Dom Milton no Micare Cristo 2017

OS JOVENS E NOSSA SENHORA APARECIDA… HOMILIA – 25/FEVEREIRO/2017 QUERIDOS JOVENS, hoje acontece para Vocês …