Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia 4º Domingo Comum

Liturgia 4º Domingo Comum

LITURGIA – 4º. DOMINGO COMUM
“Buscai o Senhor humildes da terra!”
1.Acolhida.
A celebração eucarística dominical não é o cumprimento de um dever moral para o cristão, mas é resposta a uma convocação do próprio Senhor. Ele nos convoca para celebrar o Mistério da Eucaristia e para repassar-nos os ensinamentos de sua Catequese: Mistério do Pão e da Palavra! Palavra que ilumina e Pão que alimenta cura e sustenta!!!
O convite deste Domingo é para os pobres da terra; pois, os ricos têm palavras de sobra e que não sustentam e nem salvam! Diz o Senhor: “Buscai o Senhor, humildes da terra (…). Deixarei entre vós um punhado de homens humildes e pobres (…). E no nome do Senhor porá sua esperança, o resto de Israel!”.

2.Palavra de Deus.
Sf 2,3; 3,12-13 – As lideranças de Israel ficavam discutindo qual seria a melhor aliança – com o Egito ou com a Síria… E esqueciam a Aliança com Javé! Os “pobres da terra”, aqueles que haviam perdido o seu pedaço de terra, apelavam para Javé, seu Deus e Senhor! Os pobres são o Povo de Deus!

1Co 1,26-31 – O Apóstolo Paulo fundou e organizou a Comunidade de Corinto depois de ter sido rejeitado pelos “sábios de Atenas”! Homens que passavam o tempo discutindo teorias filosóficas. Cristo, para estes, era insignificante! Não pagava a pena escutá-lo!

Mt 5,1-12 – Jesus, o Divino Mestre, sobe à Montanha e ensina à multidão dos empobrecidos, que perderam suas terras e sofriam fome e enfermidades, conseqüências do desemprego e da prepotência dos poderosos: “Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos céus”! Bem-aventurados os aflitos, os famintos, os puros de coração e os perseguidos… alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus!

3.Reflexão.
Bem-aventurados os pobres… Porque deles é o reino dos céus! E os pobres a quem Jesus se refere são os empobrecidos pela ganância dos poderosos e pela sobrecarga de impostos civis e religiosos, que sufocavam pela fome de fome e pela doença os mais enfraquecidos! O profeta Sofonias fala dos pobres da terra! E hoje, quem seriam os “Bem-aventurados de Jesus”? Será que eu e você, irmão e irmã, estaríamos entre os bem-aventurados de Jesus?

Os portuários, habitantes de Corinto, não eram ricos e nem santos, mas foram eles que acolheram a Palavra anunciada pelo Apóstolo Paulo. Falou de um deus que morreu crucificado como um escravo, mas que ressuscitou e prometeu a vida eterna àqueles que o seguissem pelos caminhos da vida! Quem salva não é a sabedoria dos filósofos, nem a riqueza (quase sempre mal adquirida) dos poderosos, mas a Palavra e o Sangue de Jesus que nos lava do pecado e nos restitui a vida divina!

Jesus revela aos pobres o Caminho da Salvação – um caminho que renova o homem por dentro, recria-nos à sua imagem e semelhança e faz-nos viver na sua Luz afastando-nos das trevas do pecado e da corrupção! O pecado não é uma teoria, um nome de coisa errada. Pecado é morte da vida divina que o Sangue de Jesus nos conseguiu com sua morte na cruz!

As Bem-Aventuranças, proclamadas por Jesus no alto da montanha, são o caminho régio da Salvação para todos os seus discípulos! Sua leitura é oportuna e necessária. É um espelho, no qual podemos verificar se somos ou não de Jesus! Não vivamos embalados no sono da suposta infinita misericórdia divina. O amor misericordioso de Jesus é real, mas é sério e empenhativo. Leiamos o texto de Mateus 7,21-27!

Frei Carlos Zagonel-OFMCap
Fonte: http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4318

Você pode Gostar de:

Liturgia 2º Domingo do Tempo Comum

Eu te farei Luz das Nações! 1.ACOLHIDA. Hoje iniciamos o “Tempo Comum” no calendário litúrgico. …