Página Inicial / Notícias / Canonização Irmã Maria

Canonização Irmã Maria

Será canonizada no dia 03 de junho de 2007, na Basílica de São Pedro, em Roma, a fundadora da Congregação das Religiosas da Assunção, irmã Maria Eugênia de Jesus (Ana Eugênia Millerte de Brou).

 

A Irmã Maria Eugênia nasceu em Metz, na França, aos 25 de agosto de 1817. Aos 22 anos fundou a Congregação das religiosas da Assunção para trabalhar pela extensão do Reino de Deus, através da educação, formando pessoas para serem agentes de transformação da sociedade.

Sua espiritualidade centrada no mistério da encarnação, na Eucaristia e no anúncio do Reino, visava a construção de uma sociedade onde nenhuma pessoa sofresse a opressão de outra. Hoje, a Congregação está presente em mais de 30 países – na Europa, na Ásia, na África e nas Américas, trabalhando em diversos campos de missão. No Brasil, a Assunção exerce sua missão nos estados do Rio, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Tocantins e no Distrito Federal.
Irmã Maria Eugênia de Jesus morreu em Paris, aos 10 de março de 1898, com 81 anos de idade. Foi beatificada, em Roma, pelo Papa Paulo VI, no dia 09 de fevereiro de 1975 e será canonizada aos 03 de junho pelo Papa Bento XVI.

Aos 16 de dezembro de 2006, o Papa Bento XVI aprovou um milagre atribuído à Maria Eugênia de Jesus e deu o sinal verde para o Decreto de Canonização. Aos 23 de fevereiro de 2007, em Consistório público, foi assinada a autorização para a canonização e marcada o dia da solenidade da Santíssima Trindade, 03 de junho.

O milagre aprovado foi o de uma menina das Filipinas (Risa Bondoc) que completou 12 anos em fevereiro último.

O Milagre

Em 1994, um casal francês, desejando adotar uma criança das Filipinas, recorreu á superiora geral das Religiosas da Assunção, irmã Clare Teresa. Esta, pediu ajuda, para os trâmites legais, ao casal Carmem e Ditos Bondoc, que tinha duas filhas adotivas.

Carmem conseguiu, através de uma organização que se ocupa de adoções, uma menina que nasceu em fevereiro de 1995. Com o bebê em casa, enquanto cuidava dos papéis para adoção, Carmem percebeu que a criança tinha graves problemas de saúde. Diante desse fato, o casal francês desistiu da adoção, mas, os Bondoc, como já tinham se afeiçoado à menina, decidiram adotá-la.

Os exames médicos constataram sérias anomalias em Risa: o corpo caloso, que normalmente une os dois hemisférios cerebrais não tinha se formado. Além disso, havia uma grande lesão em um dos hemisférios. Com isso, a previsão é de que a menina (batizada como Maria Carmela Teresa Eugênia, mas apelidada de Risa), teria pouquíssimas possibilidades de aprendizado. Talvez não aprendesse a falar, ou falaria com limitação; teria, provavelmente, problemas motores que dificultariam a locomoção; a visão estaria comprometida, de modo que só enxergaria com óculos e uma potente lupa.
A menina tinha síndrome de nystagmus, movimento rotativo rítmico dos olhos, causado por perturbação do sistema nervoso.

Quando Risa tinha um ano e três meses, foi levada para uma série de exames em Houston, nos Estados Unidos. Os médicos fizeram um prognósticos ainda mais desanimador. Falaram que não havia tratamento e que só um milagre poderia restituir à menina a capacidade de viver como toda criança normal.
De Houston, Risa foi levada diretamente à comunidade das Religiosas da Assunção, em Paris. Diante da superiora geral, irmã Cristina Maria, Risa foi colocada sobre o túmulo da Bem-aventurada Maria Eugênia de Jesus, por cuja intercessão foi pedida a cura da menina. Na roupa da criança, a irmã colocou também uma relíquia de Maria Eugênia.

Dois anos após seu nascimento, Risa foi levada para Houston para uma consulta de acompanhamento. O neurologista afirmou que suas capacidades atuais estavam totalmente excepcionais, seu nível de funcionamento atual era extraordinário.

O surpreendente é que Risa começou a se desenvolver. Aprendeu a falar (a língua local, tagalog, e o inglês), a andar e melhorar cada vez mais. Aos quatro anos, entrou no Colégio Assunção de Manila, onde estuda até hoje. Os dois hemisférios cerebrais continuam a não se comunicar, mas Risa anda, falar, segue os estudos como uma criança normal. Usa óculos, mas enxerga sem a lupa que estava prevista.
Hoje, com 12 anos de idade, Risa continua a demonstrar um relacionamento social e aptidão intelectual correspondente à sua idade e tem uma notável disposição para o trabalho.

Congregação em Belo Horizonte

Em Belo Horizonte, as religiosas da Assunção realizam trabalho, através da ONG Esperanza Brasil, no bairro Vila Cemig, (Barreiro) oferecendo atividades lúdicas, educativas e esportivas para 70 crianças, no horário fora da escola.

Mais informações com a irmã Noêmia Souza pelo telefone (31) 3381-7488.

Em Brasília

As Irmãs da Assunção animam a Casa de Retiro Assunção, na 611 Norte. 

Você pode Gostar de:

Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Jangada em festa

A Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Jangada está em festa na primeira quinzena de outubro, …