Página Inicial / Animação Litúrgica / 2º Domingo da Páscoa

2º Domingo da Páscoa

Domingo da Divina Misericórdia
2º Domingo da Páscoa – cor branca – 19/04/2020
O espaço celebrativo deve ser arrumado expressando a alegria do Tempo Pascal. Preparar também um lugar para o Círio Pascal, um recipiente com água benzida na Vigília Pascal e a recordação da vida. Cantar de forma orante, o refrão.
Ritos Iniciais
Canto Inicial Anunciai com gritos de alegria, proclamai aos confins de toda terra: o Senhor nos libertou, aleluia! 1 – A escuridão passou… a luz do Sol surgiu. O Cristo, nosso irmão, seu povo redimiu! 2 – A nova lei do amor conduz o povo seu. Vivendo a lei do amor por todos nós se deu!
Saudação Presidente – Sejam bem-vindos, queridos irmãos e irmãs! Na alegria que vem da ressurreição de Cristo, nos reunimos para celebrar a nossa fé. Neste Segundo Domingo da Páscoa, o Ressuscitado novamente se manifesta à comunidade dos discípulos para fortalecê-los na fé em vista da missão. Cheios de alegria pascal, reunidos como os primeiros discípulos do Mestre, façamos o sinal de nossa fé. Em nome do Pai… Presidente – A graça e a paz de Deus nosso Pai, o amor de Jesus Cristo, nosso Salvador, e a força do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus… Animador(a) – A luz do Ressuscitado brilha em nosso meio e ilumina nossa caminhada. Para bem celebrarmos nossa fé e nossa vida, vamos trazer presente os fatos importantes desta semana que passou (recordação da vida). Hoje celebramos, também, o Domingo da Divina Misericórdia. Que o Pai misericordioso nos encoraje, para sermos testemunhas fiéis da Morte e Ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo.
Entrada do Círio Pascal Presidente – Acolhamos com alegria o Círio Pascal, sinal do Cristo vivo e ressuscitado, portador da paz na comunidade reunida. (Pe. Zezinho) 1 – Dentro de mim existe uma luz que me mostra por onde deverei andar. Dentro de mim também mora Jesus, que me ensina o seu jeito de amar. Minha luz é Jesus, e Jesus me conduz pelos caminhos da paz. Uma pessoa com veste branca ou dourada, entra com o Círio Pascal aceso.
Deus nos perdoa Presidente – Irmãos e irmãs, para celebrarmos dignamente o mistério da nossa fé, reconheçamonos necessitados da misericórdia do Pai (silêncio). Confessemos nossos pecados, cantando. (André J. Zamur) 1 – Eu confesso a Deus e a vós irmãos, tantas vezes pequei, não fui fiel: pensamentos e palavras, atitudes, omissões… Por minha culpa, tão grande culpa. Senhor, piedade! Cristo, piedade! Tem piedade, ó Senhor! (bis) 2 – Peço à Virgem Maria, nossa Mãe, e a vós, meus irmãos, rogueis por mim a Deus Pai que nos perdoa e nos sustenta em sua mão por seu amor, tão grande amor.
Presidente – Deus misericordioso, tenha compaixão de nós, perdoe nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém. – Senhor, tende piedade de nós. Senhor… – Cristo, tende piedade de nós. Cristo… – Senhor, tende piedade de nós. Senhor…
Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos a Deus que nos reúne em comunidade e nos concede a graça de sermos testemunhas de Jesus Ressuscitado. (Frei Fabreti) Glória, glória, glória, aleluia! (bis) Glória, glória, glória, a Deus nos altos céus, paz na terra a todos nós! 1 – Deus e Pai nós vos louvamos (glória a Deus), adoramos, bendizemos (glória a Deus), damos glória ao vosso nome (glória a Deus), vossos dons agradecemos! 2 – Senhor nosso, Jesus Cristo (glória a Deus), unigênito do Pai (glória a Deus), vós de Deus, Cordeiro Santo (glória a Deus), nossas culpas perdoai! 3 – Vós que estais junto do Pai (glória a Deus) como nosso intercessor (glória a Deus). Acolhei nossos pedidos (glória a Deus), atendei nosso clamor. 4 – Vós somente sois o Santo (glória a Deus), o Altíssimo Senhor (glória a Deus). Com o Espírito Divino (glória a Deus), de Deus Pai no esplendor.
Oração (Missal) Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Divino Pai de eterna misericórdia, que reacendeis a fé do vosso povo na renovação da festa pascal, aumentai a graça que nos destes e fazei que compreendamos melhor o Batismo que nos lavou, o Espírito que nos deu nova vida e o Sangue que nos redimiu. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Leitura dos Atos dos Apóstolos (2, 42-47)
Salmo Responsorial (117) (CD Liturgia XVI)
Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom; eterna é a sua misericórdia! (bis) –
A casa de Israel agora o diga: “Eterna é a sua misericórdia!” A casa de Aarão agora o diga: “Eterna é a sua misericórdia!” Os que temem o Senhor agora o digam: “Eterna é a sua misericórdia!” –
Empurraram-me, tentando derrubar-me, mas veio o Senhor em meu socorro. O Senhor é minha força e o meu canto, e tornou-se para mim o Salvador. “Clamores de alegria e de vitória ressoem pelas tendas dos fiéis.” –
“A pedra que os pedreiros rejeitaram tornou-se agora a pedra angular.” Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: que maravilhas Ele fez a nossos olhos! Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremonos e nele exultemos!
Leitura da Primeira Carta de São Pedro (1, 3-9)
Canto de Aclamação (CD Liturgia XVI) Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia! (bis) 1 – Acreditaste, Tomé, porque me viste. Felizes os que creram sem ter visto!
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João (20, 19-31)
Partilha da Palavra
Profissão de Fé Presidente – A exemplo dos discípulos e Tomé, professemos nossa fé. Creio em Deus…
Preces da Comunidade Presidente – Confiantes no Pai misericordioso, apresentemos a Ele os nossos pedidos, suplicando: Meu Senhor e meu Deus, atendei-nos! –
Senhor, iluminai a Vossa Igreja, nossos Bispos, todo o clero, seminaristas, religiosos(as) para que animados pela fé na ressurreição não se deixem abater pelo desânimo na realização da missão e se tornem missionários da reconciliação pelo exercício do perdão. Nós vos pedimos. –
Senhor, expulsai o mal da incredulidade que afeta os corações dos nossos governantes e despertai neles o verdadeiro sentido cristão, para que usem de sua autoridade na luta pela transformação de uma nova sociedade. Nós vos pedimos. –
Senhor, abençoai todos os fiéis da Paróquia e as comunidades que, nesta semana, celebram seus padroeiros, para que sejam perseverantes no anúncio da Boa-Nova, a exemplo de Maria e dos apóstolos. Nós vos pedimos. –
Senhor, concedei sabedoria às nossas famílias, para que nos tornemos portadores da paz e do perdão no meio em que vivemos e que, a exemplo dos primeiros cristãos, sejamos perseverantes na escuta da Palavra, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações. Nós vos pedimos.
Presidente – Acolhei, Pai Santo, os pedidos de vossos filhos e filhas aqui reunidos. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Apresentação dos Dons Animador(a) – Neste Domingo da Divina Misericórdia, somos convidados a professar a fé em Jesus, o Senhor, que revelou a misericórdia infinita do Pai por meio de sua obra redentora. No compromisso de sermos fiéis aos seus ensinamentos, apresentemos ao Altar do Senhor a nossa disposição em praticar as Obras de Misericórdia Corporais e Espirituais.
Canto das Oferendas
Louvação Presidente – Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo por Sua grande misericórdia (1Pd 1,1a). A Ele elevemos nosso louvor, cantando
Pai Nosso Presidente – Rezemos com amor, e muita fé, a oração que Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
Abraço da Paz Animador(a) – Quando Jesus apareceu pela primeira vez aos discípulos, Ele disse: “A paz esteja convosco”. Hoje, promover a paz é um desafio para todos nós. Saudemo-nos na paz de Cristo. (Canto à escolha)
Canto de Comunhão
Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Deus Santo e Misericordioso, alimentados pela Vossa Palavra (e pela Comunhão) e animados pela profissão de fé de Tomé, queremos caminhar na fidelidade ao Cristo Ressuscitado, para que possamos construir a paz e merecer as alegrias da vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Meditando a Palavra de Deus
A primeira leitura é a proposta concreta de como devem viver as pessoas que acreditam no Ressuscitado. O texto destaca uma palavra: “perseverança”. Eram perseverantes no acolhimento da Palavra que guardaram e ensinaram às outras gerações; na comunhão fraterna; caridade, solidariedade, partilha de bens, serviço à vida; na fração do pão nas casas; nas orações diárias como alimento da fé. A Carta de São Pedro é uma espécie de homilia batismal. Pelo Batismo somos adotados como filhos de Deus. Recorda a ação de Deus em favor das pessoas por meio de Jesus Cristo, Ressuscitado dos mortos. Ele nos deu uma herança que não perde o valor. Ela ilumina a realidade dos cristãos dispersos, ensinando-os a resistir no Senhor, em nome da fé e do amor, contra todo tipo de sociedade que não traduz o projeto de Deus, que é vida e liberdade para todos. O Evangelho nos mostra que os cristãos se reuniam geralmente no primeiro dia da semana, à noite, e celebravam o “partir do pão”. Foi em uma dessas ocasiões que a comunidade reunida viveu a experiência da presença do Ressuscitado. Quem estava reunido e vivendo em comunhão com a comunidade não teve nenhuma dúvida de que Jesus estava no meio deles. No entanto, Tomé, símbolo também dos cristãos que teimam em não participar da comunidade ou em participar pouco, tem dúvidas e dificuldades de crer no Ressuscitado. Mas, quando ele participa para valer, torna-se capaz de fazer a profunda profissão de fé: “Meu Senhor e meu Deus!” Jesus nos diz que nós também seremos felizes, nós que não vivemos naquele tempo, se crermos sem ter visto. A comunidade cristã é comunidade de fé, de celebração e de serviço na caridade. Damos testemunho de fé e do amor de Deus, vivendo não isoladamente cada qual a sua fé, mas vivendo comunitariamente o amor fraterno. Na comunidade celebrante, nós nos fortalecemos com a fé dos irmãos(ãs), ao mesmo tempo em que nosso testemunho torna mais forte a fé dos demais. Quando Jesus aparece pela primeira vez aos discípulos, ele diz: “A paz esteja convosco”. A paz que Jesus nos oferece com sua morte e ressurreição se baseia na justiça mundial. Hoje, a construção da paz é um desafio para nós e para todos os que querem uma humanidade diferente e nova, e luta contra as injustiças para que não haja fracos nem oprimidos, para que surjam mudanças profundas e urgentes no sistema econômico, cultural e político. Países ricos compartilhando “fartura de bens”, poder e saber com os países pobres, até que não haja “nenhum necessitado” – eis a verdadeira paz que almejamos. Como estamos vivenciando nossa fé em comunidade na prática do perdão, na partilha dos bens e dos dons, na oração e na vivência e promoção da paz, especialmente na família e entre os irmãos na comunidade?

Leituras da Semana
2ª feira: At 4,23-31; Sl 2; Jo 3,1-8
3ª feira: At 4,32-37; Sl 92; Jo 3,7b-15
4ª feira: At 5,17-26; Sl 33; Jo 3,16-21
5ª feira: At 5,27-33; Sl 33; Jo 3,31-36
6ª feira: At 5,34-42; Sl 26; Jo 6,1-15
Sábado: 1Pd 5,5b-14; Sl 88; Mc 16,15-20
Domingo: At 2,14.22-33; Sl 15; 1Pd 1,17-21; Lc 24,13-35

Você pode Gostar de:

Solenidade de todos os Santos e Santas de Deus

Ano A – cor branca – 01/11/2020 1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs em …