Página Inicial / Animação Litúrgica / 5º Domingo da Páscoa (10.05.2020)

5º Domingo da Páscoa (10.05.2020)

5º Domingo da Páscoa –  Dia das Mães

Canto Inicial
Saudação
Presidente – Irmãos e irmãs, Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida que nos conduz ao Pai. Sejam todos bem-vindos! É com grande alegria que os acolhemos para celebrar a nossa Páscoa semanal e a nossa vida de comunidade. Comemorando hoje o dia das Mães, façamos o sinal da nossa fé. Em nome do Pai… Presidente – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus… Animador(a) – Chamados a seguir Jesus Cristo com a proteção materna de Nossa Senhora da Saúde, vamos trazer presente os fatos que marcaram a semana que passou para bem celebrarmos nossa fé e nossa vida (recordação da vida).
4. Deus nos perdoa
Presidente – Em Jesus Cristo, o Justo, que intercede por nós e nos reconcilia com o Pai, abramos o nosso coração ao arrependimento e peçamos perdão dos nossos pecados (silêncio). Confiantes na misericórdia de Deus, cantemos
5. Hino do Glória
Presidente – Glorifiquemos ao Pai do Céu por todas as pessoas que se dedicam à Igreja de Cristo no exercício dos ministérios leigos e de tantos serviços em nossas comunidades. Alegres, cantemos o Hino do Glória.
6. Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Senhor, nosso Deus e nosso Pai, que em vosso Filho nos mostrastes o caminho para vivermos em Vós, dai-nos a graça de sermos pedras vivas do templo santo que é a vossa Igreja. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
7. Leitura dos Atos dos Apóstolos (6, 1-7)
8. Salmo Responsorial (32) (CD Cantando os Salmos)
Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em Vós nós esperamos! (bis)
– Ó justos, alegrai-vos no Senhor! Aos retos fica bem glorificá-lo. Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas celebrai-o!
– Pois reta é a Palavra do Senhor, e tudo o que Ele faz merece fé. Deus ama o direito e a justiça, transborda em toda a terra a sua graça.
– O Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria.
9. Leitura da Primeira Carta de São Pedro (2, 4-9)
10. Canto de Aclamação
11. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João (14, 1-12)
12. Partilha da Palavra
13. Profissão de Fé Presidente – No Deus que em Cristo se revelou como o Caminho, a Verdade e a Vida, professemos a nossa fé. Creio em Deus Pai…
14. Preces da Comunidade
Presidente
– Ao Deus que nos ama e quer realizar conosco uma Aliança de amor e fidelidade, elevemos os nossos pedidos.
– Senhor, iluminai os pastores da vossa Igreja
e os seus fiéis, para que fortalecidos pelo
Vosso Espírito e pela Vossa Palavra, renovem a
adesão a Vós e sejam solidários com os pobres e
sofredores. Nós vos pedimos.
– Senhor, dai sabedoria aos governantes e a todos
nós, aqui reunidos, para que continuemos a
colocar em prática os ensinamentos da Campanha
da Fraternidade deste ano. Nós vos pedimos
– Senhor, fortalecei-nos para que possamos
anunciar o vosso Filho Jesus como o Caminho que
nos leva a fazer a Vossa vontade; como a Verdade
que devemos seguir e como Vida em abundância
que nos ofereceis. Nós vos pedimos.
– Senhor, abençoai todas as mães para que
eduquem seus filhos, a exemplo de Maria,
com muita sabedoria, transmitindo-lhes os
ensinamentos da fé cristã. Nós vos pedimos

15. Apresentação dos Dons (ainda em pé)
Animador(a) – A liturgia de hoje afirma que nossa Igreja, comunidade do Ressuscitado e de irmãos (ãs) em caminhada, é chamada a seguir Jesus Cristo. Cada um com uma função e todos com seu dom e compromisso em vista do bem comum. Apresentemos ao Altar do Senhor, nossas vidas, para que nos coloquemos a serviço da construção de uma sociedade, edificada nos valores do Reino de Deus, em meio aos desafios. De mãos erguidas para o Altar, rezemos.
Todos – Ó Pai, Vosso Filho é a Verdade e conteúdo de nossa fé. É o Caminho que expressa a nossa esperança, pelo qual realizamos o Vosso Projeto. E a Vida que revela Vosso amor misericordioso. Concedei que pela verdade que é Jesus, a exemplo do Bom Samaritano que “viu, sentiu compaixão e cuidou dele”, possamos percorrer o caminho que nos leva à vida plena. Amém.
Coleta Fraterna
16. Canto das Oferendas
17. Pai Nosso Presidente – Com amor e confiança, rezemos como Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
18. Abraço da Paz Presidente – No espírito do Cristo Ressuscitado, Caminho, Verdade e Vida, saudemo-nos com um gesto de comunhão fraterna.
19. Canto de Comunhão
20. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, vossa Igreja tem mais vigor e mais força quando se reúne e se alimenta da vossa Palavra (e da Comunhão). Protegei a cada um de nós, para que possamos um dia completar a nossa Páscoa, chegando à vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
21. Breves Avisos
22. Homenagem às Mães (A equipe prepara com antecedência e criatividade uma breve homenagem às mães.)
23. Bênção Presidente – Deus, que pela ressurreição do seu Filho único vos deu a graça da redenção e vos adotou como filhos e filhas, vos conceda a alegria de sua bênção. Amém. – Aquele que, por sua morte, vos deu a eterna liberdade, vos conceda, por sua graça, a herança eterna. Amém. – E, vivendo agora retamente, possais no céu unirvos a Deus, para o qual, pela fé, já ressuscitamos no Batismo. Amém. – Abençoe-vos o Deus Todo-Poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. – Ide em paz e que o Senhor Ressuscitado vos acompanhe. Graças a Deus. Aleluia! Aleluia!

Meditando a Palavra de Deus
A primeira leitura nos apresenta um primeiro conflito na comunidade. Como os bens eram postos em comum, a comunidade devia encarregar-se dos mais pobres e fracos, dos que não podiam trabalhar ou não tinham quem os assistisse. A comunidade, presidida pelos apóstolos e animada pelo Espírito Santo, encontrou uma solução muito sábia: encarregar este ofício a sete pessoas cheias do Espírito Santo, para que os apóstolos, livres dessa preocupação, pudessem dedicar-se plenamente à tarefa da pregação do Evangelho e à oração. Na segunda leitura Pedro usa a imagem da Igreja como templo de Deus, construído não com pedras inertes e pesadas, mas com pedras vivas que somos todos nós, os batizados. Construção cujo alicerce é o próprio Jesus, pedra rejeitada pelos construtores, mas escolhida pelo Pai, como a pedra angular. Enfim, as duas leituras de hoje nos questionam sobre o caminho que estamos tomando para resolver os problemas sociais e econômicos que tantos irmãos e irmãs sofrem na atualidade. Como contornamos as divisões e resolvemos os problemas em nossas comunidades? Como dividimos os serviços e tarefas? O Evangelho nos apresenta Jesus como o Caminho, a Verdade e a Vida. Ele revelou isso em um momento muito delicado, durante a última ceia, horas antes de morrer. Ao alertar para tudo o que ele teria que passar (a traição de Judas, a negação de Pedro), os discípulos sentiram-se perturbados. Este quadro é o espelho de qualquer comunidade cristã, quando, entre tantos sinais de morte (traições, abandono, mentiras, perseguições, violência, desunião), experimenta um clima de perplexidade, desânimo, falta de clareza no caminho a ser seguido. Neste contexto, Jesus encoraja os seus discípulos e a nós, hoje, dizendo: “Não percam a calma! Vocês têm fé em Deus, tenham fé em Mim também. Deus tem um espaço reservado para cada um”. Qual é o caminho que leva à vivência deste espaço? É o próprio Jesus que passa pela morte e ressurreição, expressão máxima de toda uma vida entregue por amor. Jesus é o Caminho, é por meio dele que se chega ao Pai. É pelo caminho de Jesus que se realiza o projeto de Deus, pois veio do Pai, para revelá-lo, e volta ao Pai para nos preparar um lugar no céu. Jesus é a Verdade. Que é fidelidade ao Pai, fidelidade ao autêntico projeto de Deus. Viver na Verdade é estar em profunda sintonia com os anseios divinos. É encontrar a verdadeira liberdade. Jesus é Vida e a comunidade recebe de Jesus a vida em plenitude. É função da comunidade testemunhar essa vida de Jesus. Experimentar Jesus Verdade e Vida é ver o próprio Pai. No mundo complexo em que vivemos nosso coração não deve se perturbar diante das dificuldades e tensões. Sabemos qual é o Caminho, onde está a Verdade e onde se situa a Vida, e não podemos nos deixar engolir pelo desânimo. Jesus garantiu um espaço para quem crê Nele e realiza as obras que Ele fez. Confiantes, deixemos que o Senhor oriente nossa caminhada, como fizeram os primeiros cristãos

Você pode Gostar de:

30º Domingo do Tempo Comum(25.10)

30º Domingo do Tempo Comum Ano A – cor verde – 25/10/2020 Ritos Iniciais Saudação …