Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 16º Domingo Comum 19.07.2020

Liturgia – 16º Domingo Comum 19.07.2020

“DEIXAI O JOIO CRESCER ATÉ A COLHEITA!”
1.Acolhida
Jesus deve ter sido, inclusive, um bom agricultor para conhecer os frutos da roça e as maldades nela existentes! O mal-intencionado existia já naquele tempo: Os semeadores noturnos de joio que procuravam, invejosamente, prejudicar agricultores concorrentes!
Mas a parábola contada por Jesus que ensinamento teria para nós hoje?
A Palavra de Deus revela-nos hoje a consoladora verdade que Deus é misericordioso e que conduzir-nos à salvação eterna! Nossos pecados serão perdoados pela infinita misericórdia de nosso Deus! E, mais ainda, Deus derrama o Espírito Santo sobre nós para socorrer-nos em nossas fragilidades e necessidades. E, então, qual seria nossa maior necessidade? Sem Deus nem sabemos o que pedir e como pedir! Mas o Espírito Santo vem em nosso socorro.

2.Palavra de Deus
Sb 12,13.16-19 – Meu irmão, minha irmã, esqueça sua fragilidade e pense no amor misericordioso de nosso Deus: Seu amor é infinito e misericordioso para perdoar todos os nossos pecados!
Rm 8,26-27 – “O espírito vem em socorro de nossa fraqueza. Pois não sabemos o que pedir e como pedir, o próprio Espírito que intercede em nosso favor!…”. Ele é nosso Mestre e intercessor!
Mt 13,23-43 – A parábola de Jesus agricultor, sábio e paciente… Vamos meditar sua parábola e aplicá-la em nossa vida cotidiana! Quem seria o mal-intencionado que semeia joio em nosso coração/ Recordemo-nos que a Palavra de Deus é sempre viva, real, eficaz e pessoal! E Jesus, hoje, conta a parábola para mim!

3.Reflexão
Jesus contou esta parábola num ambiente rural e, com certeza, foi logo entendido por seus ouvintes agricultores. Os pescadores (Os Apóstolos) precisaram e pediram uma explicação! Recordemos, então, a explicação dada por Jesus… E se pedíssemos uma explicação, que nos diria Ele, hoje? Com certeza nos diria que a Palavra (a semente) é semeada por Deus n campo de nosso coração, mas o maligno (e como são numerosos esses inimigos!) semeiam o joio (maldade) e os feixes recolhidos e queimados no fogo eterno são os inimigos de Deus e nossos. Deus é misericordioso, mas não brinca em serviço! Seria, por acaso, o fogo real/ Eu penso que não! Seria apenas uma figura literária! A sede de Deus seria insaciável e queima muito mais que o fogo real!
E que nome teria o joio semeado por satanás? O demônio continua semeando a maldade em nosso coração. Joio e trigo não se distinguem muito; apenas quando espigam! Mas é suficiente para ser reconhecido, ser recolhido e ser queimado!” O mal sempre vem camuflado e vem engordado nosso ego, nossos “sagrados direitos humanos”! O açúcar vem no início, mas o veneno aparece no fim e uma maldade incurável! A droga, também, no início é gostosa, mas no final é uma desgraça incurável!
O pecado sempre mexe com nosso ego! A serpente falou para Eva que estava sendo enganada por Deus. Ela precisava fazer valer os seus sagrados direitos. Ela se desgraçou e nós pagamos a consequência da desgraça! O pecado (joio) que o maligno semeia em nosso coração prejudica o pecador e os filhos do pecador!
Os anjos do Senhor não são figuras literárias. São os servidores fieis de Deus. Nossos antigos falavam dos “Novíssimos” (Os últimos acontecimentos): “Morte, Juízo, Inferno e Paraiso!” É um “brete” do qual ninguém consegue escapar!

FREI CARLOS ZAGONEL

Você pode Gostar de:

Papa: A Igreja deve ser como Deus, sempre em saída. Do contrário, adoece

Aos fiéis reunidos na Praça São Pedro, Francisco exorta a sentir todos os dias “a …