Página Inicial / Animação Litúrgica / 4º Domingo do Tempo Comum (31.01)

4º Domingo do Tempo Comum (31.01)

Ano B – cor verde – 31/01/2021

1.Saudação
Presidente – Irmãos e irmãs, sejam bem-vindos! É com carinho que os acolhemos para celebrar nossa vida e nossa fé no Cristo Ressuscitado, neste Domingo do Tempo Comum. Nesta liturgia, vemos que o Mestre Jesus em Sua vida pública ensina com autoridade. E o Seu ensinamento está sempre acompanhado de uma ação que liberta as pessoas dos males que ameaçam a vida, e nos convida a amar e servir. Reunidos pelo Deus que é amor e bondade infinita, façamos o sinal de nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – Que a graça e a paz de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai, e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus…
Animador(a) – Na alegria de estarmos reunidos em comunidade, vamos recordar os fatos que marcaram a semana em nossa paróquia, em nosso Estado, em nosso País e no mundo (Recordação da vida). Lembremos também dos “mártires sociais” de nossa Diocese, os quais fazemos memória todo ano no dia 5 de fevereiro, data escolhida para homenagear aqueles que deram suas vidas na luta pelo bem comum.
2. Deus nos perdoa
Presidente – Reconhecendo-nos necessitados da misericórdia do Pai, em um instante de silêncio, pensemos nos pecados que destroem vidas em nossa família, em nossa comunidade e em nossa sociedade (silêncio). Supliquemos o perdão de Deus, confessando os nossos pecados. Confesso a Deus…
Presidente – Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.
3. Hino do Glória
Presidente – Glorifiquemos ao Pai que, por Seu Filho Jesus Cristo, nos liberta de todos os males e se faz presente em nossa história.
4. Oração
Presidente – Ó Deus, Vós nos destes em Jesus um ensinamento novo, com o poder de libertar. Concedei-nos experimentar a Sua força libertadora e proclamá-la aos que sofrem, amando-os com verdadeira caridade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do Livro do Deuteronômio (18, 15-20)
6. Salmo Responsorial (94)(CD Cantando os Salmos) Não fecheis o coração, ouvi hoje a voz de Deus! (bis)
7. Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios (7, 32-35)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos (1, 21-28)
Partilha da Palavra
Nossa resposta
9. Profissão de Fé Presidente – O ensinamento de Jesus é novo e liberta as pessoas dos males que ameaçam a vida. Na certeza de que “Jesus é o nosso Salvador”, professemos nossa fé. Creio em Deus Pai…
10. Preces da Comunidade Presidente – Pai de bondade, ouvi e atendei os pedidos que humildemente vos apresentamos. Por isso, Te pedimos.
Presidente – Deus, nosso refúgio e força, atendei às súplicas de Vossa Igreja para alcançarmos com segurança o que pedimos com fé. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
11. Apresentação dos Dons (ainda em pé) Animador(a) – O verdadeiro profeta não se auto elege, mas é Deus que o chama, não para transmitir a sua própria mensagem, mas para anunciar aquilo que o Senhor mandar. Coloquemo-nos todos diante do altar do Senhor e sejamos fiéis à vocação a qual o Senhor nos chama, no compromisso de sermos portadores do amor redentor e libertador de Jesus em nossas comunidades na construção de um mundo melhor. De mãos estendidas para o altar cantemos.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
12. Louvação
Presidente – Louvemos ao Senhor nosso Deus que nos ensina a amar e servir de forma concreta. Cantemos.
Deus nos faz irmãos
13. Pai Nosso
Presidente – Confirmemos agora nossos louvores e pedidos pela oração do Senhor, rezando como Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
14. Momento da Paz
Animador(a) – Paz é fruto da nossa escuta atenta à Palavra de Deus, e à prática de servir ao Senhor em cada irmão(ã), sem preconceito, sem discriminação. Em silêncio, rezemos pela paz.
15. Oração
Presidente – Ó Deus de ternura e misericórdia, por Vosso Filho Jesus vencedor do mal e da morte, dai-nos acolher e testemunhar Vossa Palavra em nossa vida e adorar-Vos de todo coração. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
16. Breves Avisos
17. Bênção
Presidente – Que o Senhor estenda sobre vós a sua graça. Amém.
– Que o Senhor derrame sempre em vossos corações o seu amor. Amém.
– Que vos livre de todo mal e vos faça ver a sua salvação. Amém.
– Abençoe-vos o Deus todo-poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
– Ide em paz, anunciai a todos a Boa Notícia do Reino e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
A liturgia do Domingo do Tempo Comum garante-nos que Deus não se conforma com os projetos de egoísmo e de morte que escravizam os homens e afirma que Ele encontra formas de vir ao encontro dos seus filhos(as) para lhes propor um projeto de liberdade e de vida plena. O profeta é designado para tornar presente no meio dos homens o projeto de Deus, ele não pode utilizar a missão em benefício próprio; não deve ceder à tentação de se vender aos poderes do mundo, a fim de concretizar a sua sede de poder e de protagonismo, não deve utilizar o seu ministério para se exibir, para ser admirado, para conseguir sucesso, para promover a sua imagem e obter os aplausos das multidões. A missão profética tem de estar sempre a serviço de Deus, dos planos de Deus, da verdade de Deus, e não a serviço de esquemas pessoais, interesseiros e egoístas. No Evangelho, vemos que os ouvintes de Jesus estavam habituados a receber ensinamentos e percebem que o ensinamento de Jesus é novo, porque liberta as pessoas dos males que ameaçam a vida. A diferença que fazem entre o ensino de Jesus e o dos escribas e fariseus é que Jesus ensina como homem que tem autoridade. Eles sentem que a sua Palavra não é dita de cor, mas pronunciada do coração para atingir o coração. Os dois primeiros sinais da Boa-Nova que o povo percebe em Jesus, são estes: o seu jeito diferente de ensinar as coisas de Deus e o seu poder sobre os espíritos impuros. A autoridade de Jesus provém de seu comprometimento com a salvação de todos. Ela não está somente nas palavras ditas de um modo novo, mas, sobretudo, na ação concreta de libertar aquele homem aprisionado pelo espírito impuro. “Cala-te! Sai dele!” É assim que Jesus coloca um ponto final nas obras da maldade, presentes na comunidade humana, para fazer surgir o tempo novo da redenção. Jesus é aquele que veio destruir o mal que aliena e despersonaliza a pessoa. As ações que minimizam a fome, a violência, o egoísmo e a indiferença, bem como todos os efeitos do mal, são ações do Cristo Libertador que continua a expulsar de nosso meio o fermento da maldade. Somos continuadores do anúncio de Jesus Cristo, mas devemos nos empenhar para que não seja um anúncio vazio. Sejamos fiéis à vocação à qual o Senhor nos chama. O que Deus espera de nós é que sejamos portadores de seu amor redentor e libertador em nossas comunidades.

Leituras da Semana
2ª feira: Hb 11,32-40; Sl 30; Mc 5,1-20
3ª feira: Ml 3,1-4; Sl 23; Hb 2,14-18; Lc 2,22-40; Lc
2,22-32
4ª feira: Hb 12,4-7.11-15; Sl 102; Mc 6,1-6
5ª feira: Hb 12,18-19.21-24; Sl 47; Mc 6,7-13
6ª feira: Hb 13,1-8; Sl 26; Mc 6,14-29
Sábado: Hb 13,15-17.20-21; Sl 22; Mc 6,30-34
Domingo: Jó 7,1-4.6-7; Sl 146; 1Cor 9,16-19.22-23;
Mc 1,29-39

Você pode Gostar de:

Festa do Batismo do Senhor(10.01)

Ano B – cor branca – 10/01/2021 1. Saudação Presidente – Amados irmãos e irmãs, …