Página Inicial / Animação Litúrgica / 6º Domingo do Tempo Comum (14.02)

6º Domingo do Tempo Comum (14.02)

Ano B – cor verde – 14/02/2021

1. Saudação Presidente – Queridos irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos! É com grande alegria que nos reunimos para celebrar a nossa vida e a nossa fé no Cristo Ressuscitado, que vem ao encontro dos seus filhos e filhas vítimas da rejeição e da exclusão. A liturgia de hoje apresenta-nos um Deus cheio de amor, de bondade e de ternura, que convida todos os homens e todas as mulheres a integrar a comunidade de seus filhos amados e a não excluir ninguém. Em comunhão com todas as comunidades que neste dia se reúnem para celebrar a vida e fortalecer a sua fé no Senhor, cantemos.
2 Presidente – Que a graça e a compaixão de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor infinito do Pai, e a comunhão do Espírito Santo estejam sempre convosco. Bendito seja Deus…
Animador(a) – Estamos chegando ao final do primeiro ciclo do Tempo Comum da Igreja que teve o seu início logo após a Solenidade da Epifania do Senhor e terminará na Quarta-feira de Cinzas. Trazemos presente nesta celebração os fatos que marcaram esta semana que passou e outros motivos pelos quais queremos rezar
3. Deus nos perdoa
Presidente – Em Jesus Cristo, o Justo, que intercede por nós e nos reconcilia com o Pai, abramos o nosso espírito ao arrependimento para sermos menos indignos de aproximar-nos da Mesa do Senhor.
Presidente – Deus, Todo-Poderoso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.
4. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos a Deus que nos toca e acolhe por meio do Seu amor, rezando (ou cantando).
5. Oração Presidente – Oremos -(silêncio) – Senhor, Pai de todos os seres humanos, curai-nos dos preconceitos e discriminações que marginalizam nossos semelhantes. Ajudai-nos a ver em todo irmão a Vossa imagem e a anunciar a todos as maravilhas de Vossa misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
6. Leitura do Livro do Levítico (13, 1-2.44-46)
7. Salmo Responsorial (32) (CD Cantando os Salmos – Ano B) Sois, Senhor, para mim, alegria e refúgio. (bis)
8. Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios (10, 31-11,1)
9. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos (1, 40-45)
10. Partilha da Palavra
Nossa resposta
11. Profissão de Fé Presidente – No Deus que em Seu Filho Jesus cura nossas enfermidades, professemos a nossa fé. Creio em Deus Pai…
12. Preces da Comunidade Presidente – Confiantes no Pai que acolhe as súplicas de seus filhos e filhas, elevemos as nossas preces.
13. Apresentação dos Dons
Animador(a) – No seguimento de Cristo somos convidados a trazer presente os gestos concretos de Jesus por meio do toque, da palavra e da acolhida. Apresentemos ao altar do Senhor nossa disponibilidade em irmos ao encontro dos doentes, dos sofredores, dos excluídos e dos marginalizados de nossa comunidade.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
14. Louvação Presidente – Louvemos ao Senhor nosso Deus pelas pessoas que se colocam à frente de inúmeras situações de exclusão – na sociedade, na economia, na Igreja.
Deus nos faz irmãos
15. Pai Nosso Presidente – Nossa prece prossigamos, implorando a vinda do Reino de Deus, rezando a Oração que Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
16. Momento da Paz Animador(a) – A promoção de uma sociedade mais justa e de uma cultura de paz tem suas bases em valores como: igualdade, solidariedade e fraternidade. Em silêncio, rezemos pela paz.
17. Oração Presidente – Oremos -(silêncio) – Ó Deus de ternura, Vosso Filho tomou sobre os seus ombros todos os nossos sofrimentos e teve compaixão de nós. Ajudai-nos para que tenhamos os mesmos sentimentos de Jesus Cristo e nos coloquemos a serviço dos irmãos desamparados. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
18. Breves Avisos – Estamos nos aproximando do Tempo da Quaresma e da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021. Procurem preparar bem as celebrações, ensaiar os cantos com antecedência.
19. Bênção Presidente – O Senhor Jesus Cristo esteja convosco para vos proteger. Amém.
– Esteja à vossa frente para vos conduzir e atrás de vós para vos guardar. Amém.
– Olhe por vós, vos conserve e vos abençoe. Amém.
– E a bênção, a saúde e a paz de Deus todo poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo, desça sobre todos vós e permaneça para sempre. Amém.
– Sede compassivos e misericordiosos. Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
A primeira leitura denuncia a atitude daqueles que, apegados nas suas certezas e seguranças, constroem um Deus à medida do homem e que atua segundo uma lógica humana, injusta, prepotente, criadora de exclusão e de marginalização. Não temos que criar um Deus que atue de acordo com os nossos esquemas mentais, com as nossas lógicas e preconceitos; o que temos é de tentar perceber e acolher a lógica de Deus. No Evangelho a atitude de Jesus em relação ao leproso (bem como aos outros excluídos da sociedade do seu tempo) é uma atitude de proximidade, de solidariedade, de aceitação, de compaixão. Jesus não está preocupado com o que é política ou religiosamente correto. Ele apenas vê em cada pessoa um irmão que Deus ama e a quem é preciso estender a mão e amar, também. Como é que lidamos com os excluídos da sociedade ou da Igreja? Procuramos integrar e acolher (os estrangeiros, os marginais, os pecadores, os “diferentes”) ou ajudamos a perpetuar os mecanismos de exclusão e de discriminação? O gesto de Jesus de estender a mão e tocar o leproso é um gesto provocador, que denuncia uma Lei iníqua, geradora de discriminação, de exclusão e de sofrimento. Hoje temos leis (umas escritas nos nossos códigos legais civis ou religiosos, outras que não estão escritas, mas que são consagradas pela moda e pelo politicamente correto) que são geradoras de marginalização e de sofrimento. Como Jesus, não podemos conformarmo-nos com essas leis e muito menos pautar por elas os nossos comportamentos para com os nossos irmãos. Paulo refere-se a Jesus Cristo, a quem todo o cristão deve imitar. Na verdade, Cristo colocou sempre como prioridade absoluta os planos de Deus; e, apesar de ser “Mestre” e “Senhor”, multiplicou os gestos de serviço e fez da sua vida uma entrega total aos homens, até à morte. É este mesmo caminho que nos é proposto… Cada cristão deve ser capaz de prescindir (abrir mão) dos seus interesses e esquemas pessoais, a fim de dar prioridade aos projetos de Deus; cada cristão deve ser capaz de ultrapassar o egoísmo e o comodismo, a fim de fazer da sua própria vida um serviço e um dom de amor aos irmãos.

Leituras da Semana
2ª feira: Gn 4,1-15.25; Sl 49; Mc 8,11-13
3ª feira: Gn 6,5-8;7,1-5.10; Sl 28; Mc 8,14-21
4ª feira: Jl 2,12-18; Sl 50; 2Cor 5,20-6,2; Mt 6,1-6.16-18
5ª feira: Dt 30,15-20; Sl 1; Lc 9,22-25
6ª feira: Is 58,1-9a; Sl 50; Mt 9,14-15
Sábado: Is 58,9b-14; Sl 85; Lc 5,27-32
Domingo: Gn 9,8-15; Sl 24; 1Pd 3,18-22; Mc 1,12-15

Você pode Gostar de:

Festa do Batismo do Senhor(10.01)

Ano B – cor branca – 10/01/2021 1. Saudação Presidente – Amados irmãos e irmãs, …