Página Inicial / Animação Litúrgica / 15º Domingo do Tempo Comum (11.07)

15º Domingo do Tempo Comum (11.07)

Ano B – cor verde – 11/07/2021

1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs sejam bem-vindos! É com alegria que nos reunimos para celebrar nossa Páscoa semanal. Alegres e abertos aos apelos para a missão, fazemos memória de Jesus, o missionário do Pai. Ele, que outrora, chamou e enviou Seus apóstolos em missão, confia a nós, hoje, a continuidade dessa missão. Para participarmos ativamente da celebração o Senhor nos consagra como enviados, entregando-nos seu Espírito. Ele nos fortalece para que nunca percamos o entusiasmo, a coragem, o despojamento e recebermos bênçãos necessárias para o serviço.
Como discípulos(as) missionários(as) enviados a levar a Boa-Nova até os confins da terra, façamos o sinal de nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a luz do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus…
Animador(a) – Neste encontro celebrativo, o Senhor nos fortalece e nos ajuda a recuperar a alegria e o entusiasmo de nossa consagração ao serviço do Reino. Em nossa Diocese, o mês de julho é dedicado à reflexão e aprofundamento sobre o dízimo. Sendo dizimistas, participamos do profetismo e da ação evangelizadora da Igreja. Neste momento, trazemos presente os fatos importantes que marcaram a semana que passou, e também, fazemos memória do trigésimo primeiro ano da instalação de nossa Diocese (recordação da vida).
2. Deus nos perdoa Presidente – Pela graça do Batismo, somos chamados a levar alegria às pessoas e orientar os errantes no caminho do bem. Pelas vezes em que nos afastamos de Deus sendo infiéis à missão que recebemos de Jesus, rezemos implorando a misericórdia do Pai (silêncio).
Confessemos os nossos pecados. Confesso a Deus…
Presidente – Deus de amor e misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.
3. Hino do Glória
Presidente – Glorifiquemos ao Deus da vida que nos chama e nos envia a anunciar o Seu amor e a Sua Palavra aos irmãos e irmãs, rezando/ cantando o Hino do Glória.
4. Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, Vosso Filho mandou os apóstolos evangelizar na simplicidade e na pobreza. Ajudai Vossa Igreja a se identificar sempre mais com os pobres para comunicar a riqueza do Evangelho. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura da Profecia de Amós (7, 12-15)
6. Salmo Responsorial (84) (CD Cantando os Salmos – Ano B) Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade, e a vossa salvação nos concedei! (bis)
7. Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios (1, 3-14)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos (6, 7-13)
Partilha da Palavra
Nossa resposta
9. Profissão de Fé
Presidente – Profetizar é crer no Cristo Ressuscitado e anunciá-Lo com coragem e alegria. Nesta disposição, professemos nossa fé. Creio em Deus Pai…
10. Preces da Comunidade
Presidente – Confiantes no Deus que nos envia a exercer nossa missão recebida no Batismo, como testemunhas do Seu projeto de salvação, elevemos os nossos pedidos, dizendo: Escutai, Senhor, a oração do Vosso povo.
Presidente –
Oração do Dizimista. Senhor, fazei que eu seja um dizimista consciente. Que cada dízimo que eu der, seja um verdadeiro agradecimento, um ato de amor, o reconhecimento de Tua bondade para comigo. Sei que tudo que tenho de bom vem de Ti: paz, saúde, amor, prosperidade, bens. Ajudai-me a dar com liberdade e justiça. Tirai todo o egoísmo do meu coração. Que eu possa amar cada vez mais o meu irmão. Quero ser um instrumento de paz e amor em Tuas mãos! Que o meu dízimo seja agradável a Ti, Senhor! Amém!
11. Apresentação dos Dons
Animador(a) – Em nossa Diocese vivenciamos o Ano Vocacional e o Ano dedicado a São José, instituído pelo Papa Francisco. “A vocação é um dom, um tesouro que o Senhor coloca nas mãos de cada um e cada uma, uma semente que deve ser cultivada e germinada” (Papa Francisco). A vida de São José nos sugere três palavras-chave para a vocação de cada um: sonho, serviço e fidelidade. Apresentemos ao Altar do Senhor, como fez São José, a vocação de cada um e cada uma que não medem esforços para os serviços do Reino de Deus, com fidelidade e sem deixar de sonhar com um mundo mais solidário e mais fraterno.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
12. Louvação
Presidente – Louvemos ao Senhor nosso Deus, por todas as equipes de serviços, Pastorais, movimentos, e ministérios de nossa Diocese que se colocam a serviço da evangelização, cantando.
Deus nos faz irmãos
13. Pai Nosso
Presidente – Jesus sempre nos chamou à conversão e a rezar assim: Pai Nosso…
14. Momento da Paz Animador(a) – O compromisso do cristão é fazer com que este mundo de injustiça se converta em uma sociedade de irmãos e irmãs, onde reine para todos a fraternidade e a paz. Em silêncio, rezemos pela paz em nossas famílias e no mundo.
15. Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Deus de bondade, fortalecidos pela Vossa Palavra (e pela Comunhão), queremos ir ao encontro dos irmãos que tanto precisam do nosso apoio. Dai-nos desprendimento, força e muito amor para testemunharmos Jesus Cristo. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
16. Breves Avisos
17. Refletindo o mês do Dízimo (ler para assembleia) Ser dizimista também é um compromisso moral, pois nasce de uma decisão pessoal que exprime a pertença efetiva à Igreja vivida em uma comunidade concreta. A contribuição que se faz por meio dele é uma manifestação autêntica e espontânea da fé em Deus e da comunhão e participação na vida da Igreja e em sua missão. Por isso, ele se diferencia do simples cumprimento de uma lei e se situa no plano da decisão de consciência iluminada pela fé
18. Bênção Presidente – Deus Todo-Poderoso vos abençoe na Sua bondade e infunda em vós a sabedoria da salvação. Amém. – Sempre vos alimente com os ensinamentos da fé e vos faça perseverar nas boas obras. Amém. – Oriente os vossos passos e vos mostre o caminho da caridade e da paz. Amém. – Abençoe-vos o Deus Todo-Poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. – Glorificai o Senhor com vossa vida. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
Na mensagem das leituras de hoje, o Senhor nos chama, nos inspira a ser profetas para anunciar aos irmãos e irmãs o mistério do Seu amor, na simplicidade, com ousadia e confiança. Na primeira leitura, o profeta Amós encontra uma grande resistência à sua missão. Ele é acusado de querer “ganhar vida” fazendo pregações no Santuário de Betel, que era um Santuário do rei. O sacerdote Amasias, responsável pelo Santuário, expulsa o profeta de lá, porque ele criticava duramente o rei e sua política opressora. Então Amós se defende: “Eu não sou profeta por profissão; sou apenas um vaqueiro e cultivador de sicômoros. Mas o Senhor me tirou deste trabalho e me mandou profetizar”. A missão de profeta é sempre difícil, pois o verdadeiro profeta não fica calado diante das injustiças, da exploração, do erro e do pecado. O profeta também tem palavras de encorajamento para os oprimidos, de esperança para os pequenos, de ânimo para os marginalizados, de orientação para os que buscam a verdade, de alegria para quem está triste. A profecia bíblica é assim: de um lado, denuncia o que está errado e mostra as consequências disso na vida do povo de Deus. Por isso, convoca para a conversão. De outro lado, anuncia a mudança, a libertação que certamente acontecerá. Por isso infunde esperança. Como os profetas de Israel e o próprio Cristo foram ungidos pelo Espírito Santo para cumprirem a sua missão, assim todos os batizados também são enviados para evangelizar. Um exemplo de grande pregador, de um cristão que assumiu pra valer a sua missão de evangelizador é o apóstolo Paulo. Na segunda leitura, Paulo se apresenta como ministro do Evangelho. Tem consciência de que Deus lhe deu a graça de anunciar aos não-judeus a insondável riqueza de Cristo. E Paulo faz isso com muita alegria: anuncia que os cristãos de origem pagã são admitidos à mesma herança dos cristãos de origem judaica. São membros do mesmo Corpo de Cristo e beneficiários da mesma promessa de vida eterna, pois Deus quer salvar a todos. Ajudar as pessoas a encontrarem em Cristo a alegria de viver e conviver, o sentido para sua vida, a força para enfrentar os desafios, isso é “evangelizar”. Esse anúncio é a Boa-Nova, o Evangelho que todo batizado deve proclamar. No Evangelho de hoje lemos que Jesus enviou Seus discípulos para proclamar a Boa-Nova, pregar a conversão e curar os enfermos. Isso significa que todos nós, hoje, temos a missão de promover a vida, de levar alegria às pessoas, de orientar os errantes no caminho de Deus. Para quem abraça essa missão Jesus tem algumas exigências: ser desapegado, desinstalado, desacomodado. Não perder tempo com futilidade, com coisas que não são essenciais. Realizar a missão com muito entusiasmo e pronto, para enfrentar as dificuldades. A família é o primeiro espaço onde os leigos devem evangelizar, por meio das relações de amor, de respeito, de diálogo, de educação. A família é chamada a ser uma pequena Igreja, um verdadeiro sinal do Reino de Deus, construindo a paz, o amor, o perdão e o apoio mútuo, preparando seus filhos e filhas para assumirem a missão profética com responsabilidade no meio em que vivem. Como seguidores de Jesus Cristo, temos o Reino como projeto, causa e missão, testemunhando-o com nossos atos e ações?

Leituras da Semana
2ª feira: Ex 1,8-14.22; Sl 123; Mt 10,34-11,1
3ª feira: Ex 2,1-15a; Sl 68; Mt 11,20-24
4ª feira: Ex 3,1-6.9-12; Sl 102; Mt 11,25-27
5ª feira: Ex 3,13-20; Sl 104; Mt 11,28-30
6ª feira: Zc 2,14-17; Lc 1,46-55; Mt 12,46-50
Sábado: Ex 12,37-42; Sl 135; Mt 12,14-21
Domingo: Jr 23,1-6; Sl 22; Ef 2,13-18; Mc 6,30-34

Você pode Gostar de:

16º Domingo do Tempo Comum (18.07)

16º Domingo do Tempo Comum Ano B – cor verde – 18/07/2021 1. Saudação Presidente …