Página Inicial / Animação Litúrgica / 17º Domingo do Tempo Comum (25.07)

17º Domingo do Tempo Comum (25.07)

17º Domingo do Tempo Comum – Ano B – cor verde – 25/07/2021

1. Saudação
Presidente – Irmãos e irmãs, os primeiros cristãos compartilhavam a Palavra proclamada, as orações e o Pão Eucarístico. Hoje, também nós somos chamados a fazer o mesmo em nossa vida, na comunidade e na sociedade. Iniciemos nossa celebração com o sinal de nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – O Senhor, que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo, esteja convosco. Bendito seja Deus…
Animador(a) – O episódio da multiplicação dos pães demonstrou uma grande popularidade entre os seguidores de Jesus. Segundo a versão de João, quem pensou primeiro na fome daquela multidão que acorreu para ouvi-Lo, foi Jesus. Assim era Jesus. Vivia pensando nas necessidades básicas do ser humano. Vamos trazer presente os fatos e acontecimentos da semana que passou. (Recordação da vida)
2. Deus nos perdoa
Presidente – Jesus saciou concretamente homens e mulheres que tinham fome e, se revelou o Pão da vida eterna. Não é possível revelar o Pão da vida eterna sem comprometer-se verdadeiramente nos deveres da solidariedade humana. Peçamos perdão, pelas vezes em que não nos engajamos totalmente nas exigências do amor. (Silêncio) Rezemos ou cantemos.
3. Hino do Glória
Presidente – Glorifiquemos ao Pai que em Jesus concretiza seu desejo de alimentar a todos, saciando-nos por meio da partilha e da fraternidade.
4. Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Pai, que na Páscoa de cada domingo nos dais o Pão vivo descido do céu, ajudai-nos, no amor de Cristo, a partilhar o nosso pão de cada dia e saciar a fome do Vosso povo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do Segundo Livro dos Reis (4, 42-44)
6. Salmo Responsorial (144) (CD Cantando os Salmos – Ano B) Saciai os vossos filhos, ó Senhor! (bis)
7. Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios (4, 1-6)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João (6, 1-15)
Nossa resposta
9. Profissão de Fé Presidente – No Deus que é Senhor de todos os bens, professemos a nossa fé. Creio em Deus Pai…
10. Preces da Comunidade
Presidente – O gesto de Jesus que multiplica o pão para os que têm fome, nos mostra Seu grande amor, e nos permite dirigimo-nos a Ele com a certeza de sermos ouvidos. A cada pedido rezemos: Senhor, atendei a nossa prece.
11. Apresentação dos Dons
Animador(a) – Deveríamos, ao escutar todos os Domingos, durante o ano, o Evangelho de Jesus, agir diante do Seu chamado. Não podemos pedir ao Pai “o pão nosso de cada dia” sem pensar naqueles que têm dificuldades para obtê-lo. Não podemos comungar com Jesus sem tornar-nos mais generosos e solidários. Não podemos dar-nos a paz uns aos outros sem estar dispostos a estender a mão aos que estão mais sós e indefesos diante da crise. Apresentemos ao Altar do Senhor a vida, os gestos de doação e partilha de todos os dizimistas de nossa Comunidade.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
12. Louvação
Presidente – Louvemos a Deus por revigorar em nós os gestos da partilha do que temos e somos como sinal de solidariedade, a fim de que a fome, a miséria, a desigualdade e a injustiça desapareçam da face da terra.
Deus nos faz irmãos
13. Pai Nosso
Presidente – O pão de cada dia deve lembrar-nos o Pão da vida eterna. Rezemos a oração que Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
14. Momento da Paz
Animador(a) – Com o propósito de viver o amor e o compromisso com os irmãos e irmãs, rezemos em silêncio pela paz.
15. Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Recebemos ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do Vosso Filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
16. Breves Avisos
17. Bênção Presidente – Deus Todo-Poderoso vos abençoe na Sua bondade e infunda em vós a sabedoria da salvação. Amém. – Sempre vos alimente com os ensinamentos da fé e vos faça perseverar nas boas obras. Amém. – Abençoe-vos o Deus que é Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. – “Sejam pessoas agradecidas! Repartam com quem tem fome”. Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
Todos nós já sabemos que a Eucaristia Dominical pode converter-se facilmente num “refúgio religioso” que nos protege da vida conflitiva em que vivemos ao longo da semana. É tentador ir à missa para compartilhar uma experiência religiosa que nos permite descansar dos problemas, tensões e más notícias que nos pressionam por toda a parte. Às vezes somos sensíveis ao que afeta a dignidade da celebração, mas pouco nos preocupa esquecer as exigências entranhadas na celebração da ceia do Senhor. Incomoda-nos que um sacerdote não atenha estritamente às normas rituais, mas podemos continuar celebrando rotineiramente a missa sem dar ouvidos aos apelos do Evangelho. O risco é sempre o mesmo: comungar com Cristo no íntimo do coração sem preocupar-nos em comungar com os irmãos que sofrem. Compartilhar o pão da Eucaristia e ignorar a fome de milhões de irmãos privados de pão, de justiça e de futuro. Nos próximos anos os efeitos da crise se agravarão muito mais do que temíamos. A cascata de medidas que nos ditam de maneira inapelável e implacável fará crescer entre nós uma desigualdade injusta. Veremos como pessoas de nossa vizinhança mais ou menos próxima vão empobrecendo até ficar à mercê de um futuro incerto e imprevisível. Vamos conhecer de perto imigrantes privados de assistência sanitária, enfermos sem saber como resolver seus problemas de saúde ou de medicação, famílias obrigadas a viver da caridade, pessoas ameaçadas pelo despejo, gente desassistida, jovens sem futuro certo… Não podemos evitar tudo isto. Ou endurecemos nossos hábitos egoístas de sempre, ou nos tornamos mais solidários. A celebração da Eucaristia no meio desta sociedade em crise pode ser um lugar de conscientização. Precisamos libertar-nos de uma cultura individualista, que nos acostumou a viver pensando só em nossos próprios interesses, para aprender simplesmente a sermos mais humanos. Toda Eucaristia está orientada para criar fraternidade. Não é normal escutar todos os domingos, ao longo dos anos, o Evangelho de Jesus sem reagir diante de seus chamados. Não podemos pedir ao Pai “o pão nosso de cada dia” sem pensar naqueles que têm dificuldades para obtê-lo. Não podemos comungar com Jesus sem tornar-nos mais generosos e solidários. Não podemos dar-nos a paz uns aos outros sem estar dispostos a estender a mão aos que estão mais sós e indefesos diante da crise.

Leituras da Semana
2ª feira: Ex 32,15-24.30-34; Sl 105; Mt 13,31-35
3ª feira: Ex 33,7-11; 34,5b-9.28; Sl 102; Mt 13,36-43
4ª feira: Ex 34,29-35; Sl 98; Mt 13,44-46
5ª feira: 1Jo 4,7-16; Sl 33; Jo 11,19-27; Lc 10,38-42
6ª feira: Lv 23,1.4-11.15-16.27.34b-37; Sl 80; Mt 13,54-58
Sábado: Lv 25,1.8-17; 1Cor 10,31-11,1; Sl 66; Mt 14,1-12
Domingo: Ex 16,2-4.12-15; Sl 77; Ef 4,17.20-24; Jo 6,24-35

Você pode Gostar de:

15º Domingo do Tempo Comum (11.07)

Ano B – cor verde – 11/07/2021 1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs sejam …