Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 19º Domingo do Tempo Comum 08.08.2021

Liturgia – 19º Domingo do Tempo Comum 08.08.2021

“EU SOU O PÃO VIVO DESCIDO DO CÉU!”
1.Acolhida
Jesus revela aos poucos o seu mistério desafiando o povo a crer em sua revelação, mas o povo acredita mesmo é no pão material que comeu no dia anterior! A proposta de Jesus não entra na cabecinha oca do povo faminto! Ele exclama: “Essas palavras são duras demais para crer nelas… e se afastou de Jesus!
Os caminhos do Senhor são de outro nível que o carnal; é necessário desprender-se de nossa visão carnal e acolher a visão espiritual de Jesus; pois a salvação está na Palavra de Jesus e não está na carne que aprisiona nosso espírito assim como o, povo de Israel ficava preso no Egito comendo carne e pão em abundância, mas sem experimentar a liberdade oferecida por Deus através de Moisés!
O profeta Elias cansou de lutar contra os inimigos de Deus; ameaçado de morte foge para o deserto, adormece à sombra de um junípero e pede a morte “pois não sou melhor que meus pais”! Mas despertado pelo anjo, retoma o caminho, andando por quarenta dias até atingir o Monte Horeb, a montanha de Deus, para lá receber nova missão.

2.Palavra de Deus
1RS 19,4-8 – Refugiou-se numa caverna e no silêncio da montanha sagrada recebeu a nova missão… Seu trabalho continua, agora, sob ordem expressa do próprio Deus. Nas suas obras, Deus quer precisar d trabalho dos parceiros humanos. E Elias encontrou no pão, indicado pelo anjo, a força necessária para a nova caminhada e a nova tarefa.
Ef 4,30-5,2 – O pão prometido por Jesus garante-nos a força para não contristar o espírito, para evitar o pecado e avançar no esforço exigido para imitar nosso Deus na santidade e no amor.
Jo 6,41-51 – Jesus se identifica com o pão prometido: “Eu sou o pão que desceu do céu”, mas o povo não aceita, pelo contrário, questiona sua autoridade, pois, conhecem sua origem humilde – “Não é Ele o filho de José e de Maria?… mas Jesus responde-lhes: Eu sou o Pã vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que Eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo.”

3.Reflexão
O Profeta Elias era um grande profeta. Havia enfrentado 400 sacerdotes de Baal, mas a rainha tirar-lhe a vida vingando os sacerdotes e Elias teve medo e fugiu para o deserto rogando a Deus que lhe tirasse a vida, pois, não era melhor que seus pais! Mas Deus tinha uma nova missão ara o profeta… mandou um anjo despertá-lo, e preparou-lhe um pão especial para comer e uma água cristalina para beber. Bebeu e voltou a dormir! Mas o anjo o desperta novamente e mandou caminhar até a montanha de Deus para uma conversa com o Senhor. Desta vez, o profeta obedeceu e caminhou por quarenta dias até chegar na montanha sagrada, onde Deus o revestiu de nova missão. Deus não desiste de seus planos… e Elias partiu para a nova missão.
Jesus, por sua vez, também não desiste nunca de seus planos! O povo, de cabeça dura, não se deixa ensinar por Deus, mas ele não desiste de seus planos: O povo quer pão material, pão que acaba e Jesus promete pão descido do céu. Pão que é seu próprio corpo e sangue para a vida eterna! Perdeu os discípulos por causa das palavras duras que exigiam conversão. O povo quer comer pão material e Ele oferece seu próprio corpo: “Eu sou o Pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão vive eternamente!”
A Eucaristia é presença de Jesus no pão consagrado; é alimento e remédio para nossas fraquezas e é sacrifício que nos redime de nossos pecados, pois o Sangue de Jesus é o preço de nossa salvação: “Nós custamos um alto preço para nosso Deus – O Pai do céu entregou seu próprio Filho para nossa salvação. Custamos o Sangue do Filho de Deus!
FREI CARLOS AGONEL.

 

Você pode Gostar de:

Novo Mestre das Celebrações Litúrgicas

Mons. Diego Ravelli é o novo Mestre das Celebrações Litúrgicas Até agora chefe de Gabinete …