Página Inicial / Animação Litúrgica / 23º Domingo do Tempo Comum (05.09)

23º Domingo do Tempo Comum (05.09)

23º Domingo do Tempo Comum

Ano B cor verde – 05/09/2021

1. Saudação Presidente – Queridos irmãos e irmãs sejam bemvindos, para juntos fazermos memória do Mistério de nossa fé. Estamos reunidos na casa do Pai e d’Ele recebemos a missão de acolher, amar e servir a todos, em especial, aqueles que sofrem todo tipo de injustiça. Hoje celebramos a Páscoa de Cristo, manifestada na vida do surdo-mudo. Jesus, vendo-o, se compadece de sua situação e abrelhe os ouvidos e a boca. Unidos como irmãos(ãs), façamos o sinal de nossa fé, cantando. (D.R.) 1 – Em nome do Pai que nos criou, e do Filho que nos salvou e do Espírito Santo que nos une com amor. (bis) 2 – Amém, amém, amém, amém, amém, amém, amém, amém, amém, para todo e sempre amém. (bis)
Presidente – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a luz do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus…
Animador(a) – Iniciando hoje o mês dedicado à Bíblia, a Igreja comemora os 50 anos do mês da Bíblia no Brasil, com a disposição de crescermos na escuta e na prática da Palavra de Deus, refletindo, neste ano, a Carta de São Paulo aos Gálatas com o lema: “Pois todos vós sois Um só em Cristo Jesus” (Gl 3,28d). Nessa semana o povo brasileiro, comemora a Semana da Pátria, renovando o compromisso de resgatar a dignidade e a liberdade das pessoas, especialmente daquelas que se encontram desesperadas, à margem da sociedade, sem emprego e sem saúde. Também, vamos trazer presente os fatos e acontecimentos que marcaram nossa semana.

2. Deus nos perdoa Presidente – Deus nos chama à conversão e a proclamar a esperança. Imploremos a misericórdia
do Pai pelas vezes que excluímos os irmãos e irmãs, que não damos espaço aos pobres e aos excluídos na comunidade e na sociedade. (Silêncio) Suplicamos o perdão de Deus.
Presidente – Deus de amor e misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém. – Senhor, tende piedade de nós. Senhor… – Cristo, tende piedade de nós. Cristo… – Senhor, tende piedade de nós. Senhor…
3. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos a Deus nosso Pai que cuida com carinho de todas as pessoas e, de maneira especial, dos necessitados e marginalizados, cantando.
4. Oração Presidente – Oremos -(silêncio) – Ó Pai, Vós escolhestes os pobres e pequenos para fazê-los herdeiros do Vosso Reino. Abri os nossos ouvidos à Vossa Palavra e soltai a nossa língua para proclamar as Vossas maravilhas e anunciar a Vossa Salvação. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do livro do Profeta Isaías (35, 4-7a)
6. Salmo Responsorial (145) (CD Cantando os Salmos – Ano B) Bendize, ó minha alma ao Senhor. Bendirei ao Senhor toda a vida! (bis)
7. Leitura da Carta de São Tiago (2, 1-5)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos (7, 31-37)
Partilha da Palavra
Nossa resposta
9. Profissão de Fé Presidente – Professemos nossa fé no Deus da vida que nos convida a proclamá-la com os lábios e com o nosso testemunho. Creio em Deus Pai…
10. Preces da Comunidade Presidente – Ao Senhor que caminha conosco, em especial, com os pobres e excluídos, apresentemos, confiantes, nossos pedidos, rezando: Escutai, Senhor, a oração do Vosso povo.
11. Apresentação dos Dons
Animador(a) – Abrir os olhos e os ouvidos, desprender a língua, fazer os coxos e paralíticos andarem são sinais da presença do Reino de Deus que precisam ser atualizados na nossa ação missionária, tanto pela inclusão dessas pessoas na vida sociocultural, econômica e religiosa, quanto em abrirmos o coração e a mente para enxergarmos o que não estamos vendo, ouvindo o que as pessoas próximas têm a dizer, e nos movendo para assumirmos, como sujeitos eclesiais, nossa missão de batizados. Apresentemos ao Altar do Senhor o nosso compromisso de lutar para que esses nossos irmãos e irmãs sejam incluídos na comunidade e na sociedade.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
Presidente – Louvemos o Senhor nosso Deus, que faz opção pelos pobres e marginalizados e nos convida a fazer o mesmo.
Deus nos faz irmãos
12. Pai Nosso Presidente – Guiados pelo Espírito de Jesus que traz vida e libertação para todos, rezemos a oração que Ele mesmo nos ensinou. Pai Nosso…
13. Momento da Paz Animador(a) – A paz, caminho de reconciliação na comunhão fraterna. A Bíblia, particularmente, através da palavra dos profetas, chama as consciências e os povos à aliança de Deus com a humanidade. (Papa Francisco). Em silêncio, rezemos pela paz em nossas famílias e no mundo.
14. Oração Presidente – Oração -(silêncio) – Ó Deus, nesta celebração Vosso Povo se alimentou na mesa da Vossa Palavra (e da Comunhão). Que este alimento nos faça ter forças para vivermos unidos a Jesus Cristo na terra e, também, no céu. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
15. Breves Avisos
16. Bênção
Presidente – Deus Todo-Poderoso vos abençoe
na sua bondade e infunda em vós a sabedoria da
salvação. Amém.
– Sempre vos alimente com os ensinamentos da fé
e vos faça perseverar nas boas obras. Amém.
– Oriente os vossos passos e vos mostre o caminho
da caridade e da paz. Amém.
– Abençoe-vos o Deus todo-poderoso: Pai e Filho
e Espírito Santo. Amém.
– Glorificai o Senhor com vossa vida. Ide em paz e
o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
A Palavra de Deus, dirigida a nós hoje, faz reacender a esperança e a certeza de que Deus cuida, com carinho, de todas as pessoas e, de maneira especial, dos necessitados e marginalizados. O profeta Isaías, na primeira leitura se dirige a pessoas desanimadas e abatidas pela opressão, privadas de esperança e de vida. O trecho lido hoje, traz uma mensagem cheia de alegria e felicidade e de que Deus está dizendo aos que estão à margem da sociedade, enfraquecidos e desanimados, para que não tenham medo, pois Ele vai dar saúde aos doentes, vai fazer brotar água do deserto, transformando-o num jardim. Deus vai fazer desabrochar vida, onde antes só havia sinais de morte. As mudanças que Deus vai provocar atingem as deficiências do corpo mutilado, a fraqueza da natureza deserta. Mas para que eles ouçam esse consolo, é preciso que abram seus ouvidos e, também que a língua se solte para anunciar que Deus é ternura e compaixão e não nos abandona. São Tiago em sua carta, fala sobre um problema muito sério, que é a acepção de pessoas. Ele critica os que, em vez de considerarem as pessoas em si, todas destinatárias do amor redentor de Cristo e dignas da mesma atenção, preferem olhar para as aparências e riquezas materiais. A esta comunidade e a nós, São Tiago nos recorda a opção preferencial de Cristo pelos pobres e coloca a acolhida destes, como condição para que uma comunidade seja verdadeira e dignamente, chamada de cristã. O Evangelho de hoje percorrendo as regiões pagãs: Tiro, Sidônia e a região da Decápole. Nessa região Jesus encontra com um homem surdo e que tinha dificuldade para falar. Retirando o homem do meio da multidão, Jesus cura-o com gestos corporais: põe-lhe os dedos nos ouvidos e, com saliva, toca-lhe a língua) e com sua palavra EFATÁ. Esse Evangelho é um alerta para os que se dizem cristãos. O surdogago, depois de curado, torna-se um evangelizador. Nele há disponibilidade para crer e comprometerse, não facilmente encontrada nos discípulos. A missão de Cristo consistiu precisamente em abrir os olhos aos cegos e desatar a língua dos mudos… Ele veio abrir-nos à relação com Deus, ao amor dos irmãos, ao compromisso com o mundo. Quem adere a Cristo e quer segui-Lo no caminho do amor a Deus e da entrega aos irmãos, não pode resignarse a viver fechado a Deus e ao mundo. O encontro com Cristo tira-nos da mediocridade e despertanos para o compromisso, para o empenho, para o testemunho. Leva-nos a sair do nosso isolamento e a estabelecer laços familiares com Deus e com todos os nossos irmãos, sem exceção. A Palavra de Deus nos faz rever também nossas opções como pessoas e comunidades. Precisamos ser tocados por Jesus e escutar sua Palavra, para termos mais coragem e decisão para assumirmos nossa missão aqui e agora. O cego de que nos fala o Evangelho não é somente aquela pessoa privada da visão, mas também aquele que enxerga o pobre como gente sem valor, que não merece confiança, acrescentando humilhação às muitas privações que ele já sofreu. Jesus é aquele que veio trazer a salvação, aquele que recria um mundo novo e que vindo de Deus, devolve a vida e a liberdade aos oprimidos e mutilados pela sociedade. Hoje, somos convidados a nos aproximar dos mais necessitados.

Leituras da Semana 2ª feira: Cl 1,24-2,3; Sl 61; Lc 6,6-11 3ª feira: Cl 2,6-15; Sl 144; Lc 6,12-19 4ª feira: Mq 5,1-4a; Sl 12; Mt 1,1-16.18-23 5ª feira: Cl 3,12-17; Sl 150; Lc 6,27-38 6ª feira: 1Tm 1,1-2.12-14; Sl 15; Lc 6,39-42 Sábado: 1Tm 1,15-17; Sl 112; Lc 6,43-49 Domingo: Is 50,5-9a; Sl 114; Tg 2,14-18; Mc 8,27-35

Você pode Gostar de:

15º Domingo do Tempo Comum (11.07)

Ano B – cor verde – 11/07/2021 1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs sejam …