Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 23º DomingoComum 05.09.2021

Liturgia – 23º DomingoComum 05.09.2021

“Ele tem feito bem todas as coisas;Os surdos ouvir e os mudos falar!”
1.Acolhida
O Senhor Jesus convida-nos a participar do alimento de seu Corpo e de seu Sangue, pois a Eucaristia, que celebramos, torna presente sobre o altar o Corpo e o Sangue de Jesus, verdadeiro alimento para a nossa vida eterna.
Somos mudos e surdos: Não ouvimos bem a Palavra de Deus e, também, não sabemos alimentar-nos com o Pão descido dos céus! Jesus dá-nos seu Corpo e seu Sangue, verdadeiro alimento para a vida espiritual.
O Apóstolo, São Tiago, condena nossa atitude de receber bem o rico bem vestido e fazer o pobre sentar-se no chão frio da sinagoga (igreja). Fazemos acepção de pessoas, não enxergamos os sinais de Deus no rosto do pobre! Esta prática é difícil, mas é a prática de Jesus!

2.Palavra de Deus
Is 35,4-7ª – A misericórdia de Deus revela-se no seu amor pelo pobre. Deus faz o bem para o pobre, para o doente; Ele se encarna para salvar o pobre, o pecador, o enfermo e o aflito. Tudo isso faz sofrer e Deus quer aliviar o sofrimento de seus filhos queridos.
Tg 2,1-5 – Se você não enxergar o pobre com os olhos de Deus com certeza, você vai ser injusto com ele e o fará sentar-se no chão da igreja, a seus pés!
Mc 7,31-37 – Jesus suspira tocando nos olhos e na língua do pobre e gritou-lhe suspirando: “Efata” ( abre-te). Abriu-lhe os olhos e desatou-lhe a língua e o doente recobrou a saúde total; começou a ouvir distintamente e a falar destacadamente, louvando a Deus pelo milagre recebido. Jesus encarnou-se para ensinar-nos pela Palavra e pelo exemplo, a fazer o bem aos necessitados.
3.Reflexão
Jesus Cristo, Palavra divina, encarnou-se para mostrar-nos que o nosso destino sobre a terra e fazer o bem aos necessitados. Deus é bom e nos criou à sua imagem e semelhança. Precisamos imitá-lo praticando o bem para com toda a criatura, inclusive, irracional! Praticar as obras de misericórdia: abrir os olhos aos cegos, curar os surdos, endireitar os entortados, curar os enfermos, cuidar da “Mãe Terra” para que produza frutos saborosos para nossa alimentação… enfim, cuidar de nossa casa temporal, pois, somos peregrinos destinados para a vida eterna…
Na sua peregrinação sobre a terra, “Jesus fez bem todas as coisas: aos surdos fez ouvir e aos mudos falar!” E o povo, beneficiado pela bondade divina, saltava de alegria, louvava a Deus e seguia feliz a peregrinação ao templo do Senhor!
Ao curar o surdo/mudo Jesus, Jesus exclamou suspirando: “Efata” (abre-te) e uma vida nova brotou no corpo do triste enfermo que não ouvia direito e falava mal.
Em nossa vida cristã – procurando seguir a Jesus Cristo – precisamos de um olhar diferente para enxergar com os olhos de Deus, numa escala de valores espirituais. Devemos enxergar as pessoas com os olhos de Deus! O pobre ninguém ama por ser bonito; mas precisamos vê-los com o olhar misericordioso de Jesus. É um olhar que penetra o íntimo das pessoas! Nossos olhos carnais preocupam-se com a beleza efêmera da carne e da vestimenta! Vemos a roupa, a beleza física do corpo, mas os olhos de Deus veem o coração das pessoas e percebem os valores espirituais, as necessidades corporais e físicas… O olhar de Jesus penetra o íntimo das pessoas, mas o olhar humano preocupa-se com o exterior (roupa, anéis, adereços e saúde corporal). São Tiago adverte-nos: “E não vos tornastes juízes com critérios injustos? Meus queridos irmãos escutai: Não escolheu Deus os pobres para serem ricos de fé e herdeiros do Reino do céu?
“Deus nos fez à sua imagem e semelhança: para fazer bem todas as coisas!”

Você pode Gostar de:

Logomarca do Sínodo 2023

CONHEÇA OS SIGNIFICADOS DA LOGOMARCA DO SÍNODO 2023 LANÇADA PELO VATICANO. Uma grande árvore majestosa, …