Página Inicial / Animação Litúrgica / Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Ano B – cor branca – 21/11/2021

1. Saudação Presidente – Queridos irmãos e irmãs, é com grande alegria que estamos reunidos para fazer memória da Páscoa do Senhor. Neste último domingo do Ano Litúrgico celebramos a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, e proclamamos que Ele é digno de receber o poder, a divindade, a sabedoria e a honra, porque fez-Se servo e entregou sua vida até a morte na cruz. Reunidos para celebrar nossa vida, façamos o sinal de nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus…
Animador(a) – A Igreja no Brasil comemora hoje o dia dos leigos, mulheres e homens que vivem sua vocação batismal colocando-se a serviço da Boa-Nova do Reino de Deus. Lembremos também a festa de nossa Padroeira Diocesana Nossa Senhora da Saúde e as alegrias, esperanças, vitórias, vividas em nossa caminhada eclesial e em nosso dia a dia. (Recordação da vida).
2. Deus nos perdoa
Presidente – Em Jesus Cristo o Justo que intercede por nós e nos reconcilia com o Pai, abramos o nosso coração ao arrependimento e peçamos perdão de nossas faltas e omissões (silêncio). Confiantes supliquemos.
3. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos a Deus nosso Pai, que em Jesus revelou Seu Reino de amor, cantando.
4. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus de eterno poder, constituístes Jesus Cristo, o grande Rei do Universo, e nele quereis renovar todas as criaturas. Libertai todos os seres de qualquer escravidão para que possamos vos servir no Reino de Vosso Filho na terra e também nos céus. Por Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura da Profecia de Daniel (7, 13-14)
6. Salmo Responsorial (92)(CD Cantando os Salmos) Deus é Rei e se vestiu de majestade, glória ao Senhor! (bis)
7. Leitura do Livro do Apocalipse (1, 5-8)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João (18, 33b-37)
9. Partilha da Palavra
Nossa resposta
10. Profissão de Fé Presidente – No Deus Uno e Trino, professemos a nossa fé, rezando. Creio em Deus Pai…
11. Preces da Comunidade Presidente – Supliquemos ao nosso Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, por nossas necessidades. A cada pedido, cantemos: Ó Senhor escutai a nossa prece. (Oficio Divino das Comunidades)
Apresentação dos Dons
Animador(a) – O Reino de Deus que Jesus veio inaugurar está presente onde se manifesta a atitude do serviço, da doação generosa, do respeito pelos outros e do diálogo, onde se estabelece relações novas entre homens e nações e entre nós e a natureza. Apresentemos ao Altar do Senhor os gestos que nossa comunidade tem feito em favor do projeto da vida nova que Cristo veio anunciar.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
12. Louvação Presidente – Louvemos ao Senhor nosso Deus por todas as graças e bênçãos recebidas ao longo deste ano, cantando.
Deus nos faz irmãos
13. Pai Nosso Presidente – Como filhos e filhas do Deus da vida, rezemos confiantes a oração que Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
14. Momento da Paz
Animador(a) – A realeza de Jesus se exerce no domínio da verdade, isto é, na fidelidade ao projeto do Pai que é amor e paz. Cabe a cada um de nós acolher e viver este ensinamento de Jesus. Neste sentido, rezemos em silêncio pela paz.
15. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – O alimento que nos destes nesta celebração é pão para a vida eterna. Dai a todos nós que aqui estamos servir e obedecer a Jesus, Rei do universo, para um dia com ele reinar, felizes, no céu. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
16. Breves Avisos – No próximo domingo, inicia-se o Tempo do Advento. As equipes de liturgia/canto procurem preparar bem as celebrações conforme as orientações deste tempo litúrgico.

16. Bênção
Presidente – Que o Deus de toda consolação
disponha na sua paz os vossos dias e vos conceda
as suas bênçãos. Amém.
– Sempre vos liberte de todos os perigos e
confirme os vossos corações em seu amor.
Amém.
– E assim, ricos em esperança, fé e caridade,
possais viver praticando o bem e chegar felizes
à vida eterna. Amém.
– Abençoe-vos o Deus Todo-Poderoso: Pai e Filho
e Espírito Santo. Amém.
– Todo aquele que é da verdade, escuta a minha
voz. Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe.
Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
O Apocalipse nos apresenta Jesus como princípio e fim da criação. Cristo é o princípio porque, como diz o evangelho de João, ele estava desde o começo junto de Deus; tudo foi feito por meio D’Ele e para Ele. Ele é também o começo porque é o fundamento da nossa fé. Ele vem antes de qualquer reflexão teológica ou regulamento. É o critério básico de decisão do nosso agir. Cristo é igualmente o ômega, o fim, o horizonte, o ideal que nos orienta. Para Ele caminhamos, a Ele queremos chegar levando tudo de bom que realizarmos nesta vida. Ele é também o ponto alto da humanidade. Tendo se encarnado, sendo gente como nós, mostrou o que se pode esperar do ser humano plenamente entregue à vontade de Deus. Na 2ª leitura nos é apresentada uma síntese da vida e da ação de Cristo. Ele é apresentado com três títulos messiânicos: a testemunha fiel, o primeiro a ressuscitar dos mortos e o soberano dos reis da terra. Os três títulos são uma confissão de fé e indicam o mistério da vida, morte, ressurreição e ascensão do Senhor. Jesus Cristo é reconhecido como Senhor e Rei porque realizou (e realiza) a missão de salvar, perdoar, reconciliar, libertar, curar, dar a vida, anunciar a Boa-Nova do amor do Pai e da esperança. O evangelho nos recorda a pergunta de Pilatos a Jesus: Tu és rei? Jesus diz que sim; mas que seu Reino não era deste mundo. Jesus não tinha exércitos, tronos nem riquezas ou ambições políticas. Nesse sentido, Ele não cabia no modelo dos poderosos deste mundo. Jesus era rei de um outro modo porque nEle estava presente o criador do mundo inteiro, o que tem poder acima de qualquer outro. Dizer que seu Reino não era deste mundo também indicava que as regras e valores desse Reino eram outras. Ele já havia anunciado isso ao ensinar que os últimos seriam os primeiros, que o maior deve ser o que serve a todos, que os pobres, os aflitos, os que choram, os que têm fome e sede de justiça são bem-aventurados. Pelo batismo, somos convidados a reinar com Cristo pelo serviço, pelo perdão, pela reconciliação, enfrentando o desafio da cruz a fim de que todos tenham dignidade e paz. Neste dia da festa de Cristo Rei, a Igreja comemora o “Dia do Leigo”. Recorda seus membros que, pelo batismo, são em Cristo sacerdotes, profetas e reis, inseridos nas realidades da cultura, da política, do comércio, das ciências, da economia, da ecologia, da vida conjugal… A presença e a atuação de leigos cristãos pode transformar essas áreas em espaços fecundos para os valores do Reino de Deus. Como estamos dando testemunho da verdade e escutando a voz do Mestre Jesus?

Leituras da Semana
2ª feira: Dn 1,1-6.8-20; Dn 3,52-56; Lc 21,1-4
3ª feira: Dn 2,31-45; Dn 3,57-61; Lc 21,5-11
4ª feira: Dn 5,1-6.13-14.16-17.23-28; Dn 3,62-67; Lc
21,12-19
5ª feira: Dn 6,12-28; Dn 3,68-74; Lc 21,20-28
6ª feira: Dn 7,2-14; Dn 3,75-81; Lc 21,29-33
Sábado: Dn 7,15-27; Dn 3,82-87; Lc 21,34-36
Domingo: Jr 33,14-16; Sl 24; 1Ts 3,12; 4,2; Lc 21,25-28.34-36

Você pode Gostar de:

26º Domingo do Tempo Comum (26.09)

26º Domingo do Tempo Comum Ano B – cor verde – 26/09/2021 1. Saudação Presidente …