Página Inicial / Animação Litúrgica / 3º Domingo da Quaresma (20.03)

3º Domingo da Quaresma (20.03)

Ano C – 3º Domingo da Quaresma – cor roxa – 20/03/2022

1. Saudação Presidente – Irmãs e irmãos, bem-vindos a esta celebração do Mistério da Paixão Morte e Ressurreição de Jesus Cristo nosso Senhor e Salvador. Hoje somos colocados diante do Deus misericordioso que nos “dá um tempo” para nos convertermos ao Reino que Jesus veio inaugurar. Confiantes na bondade do Senhor sempre pronto a nos acolher com amor paterno, façamos o sinal que nos identifica como Seus filhos e filhas. Em nome do Pai…
Presidente – O Senhor que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo esteja convosco. Bendito seja Deus…
Presidente – A Campanha da Fraternidade desse ano, nos convida ver a realidade da educação em diversos âmbitos. Vamos trazer presente o que nossa Comunidade está realizando para crescer na vivência do amor, do cuidado e da fraternidade e também outros fatos marcantes da semana que passou. (Recordação da vida).
2. Deus nos perdoa Presidente – Refletir e atuar a favor da educação é uma forma de viver a penitência quaresmal que exige profunda conversão de todos (silêncio). Confiantes no perdão do Pai misericordioso, rezemos.
– Senhor, que fazeis passar da morte para vida quem ouve a Vossa Palavra, tende piedade de nós.
3. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, sois bondade infinita e misericórdia sem fim. Por isso, todo pecador consegue o Vosso perdão pela oração, pela esmola e também pelo jejum. Concedei que o vosso povo, curado pela consciência do pecado, possa erguer-se com ajuda da Vossa misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
4. Leitura do Livro do Êxodo (3, 1-8a.13-15)
5. Salmo Responsorial (102) (CD Cantando os Salmos – Ano C) O Senhor é bondoso e compassivo. (bis)
6. Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios (10, 1-6.10-12)
7. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (13, 1-9)
Partilha da Palavra
Nossa resposta
8. Profissão de Fé
Presidente – Conscientes de que a Palavra de Deus nos ilumina e nos conduz no caminho da Salvação, professemos nossa fé. Creio em Deus Pai…
9. Preces da Comunidade Presidente – Irmãs e irmãos, rezar é alimentarse da Palavra de Deus em todo o tempo, assim como nos alimentamos do pão de cada dia. Confiantes no Pai sempre atento ao clamor de Seus filhos(as), elevemos a Ele nossa oração fervorosa. A cada prece rezemos: Senhor paciente e misericordioso escutai-nos.
10 Presidente – Oração da Campanha da Fraternidade 2022. Pai Santo, neste tempo favorável de conversão e compromisso, dai-nos a graça de sermos educados pela Palavra que liberta e salva. Livrai-nos da influência negativa de uma cultura em que a educação não é assumida como ato de amor aos irmãos e de esperança no ser humano. Renovainos com a vossa graça para vencermos o medo, o desânimo e o cansaço, e ajudai-nos a promover uma educação integral, fraterna e solidária. Fortalecei-nos, para que sejamos corajosos na missão de educar para a vida plena em família, em comunidades eclesiais missionárias, nas escolas, nas universidades e em todos os ambientes. Ensinai-nos a falar com sabedoria e educar com amor! Permitais que a Virgem Maria, Mãe educadora, com a sabedoria dos pequenos e pobres, nos ajude a educar e servir com a pedagogia do diálogo, da solidariedade e da paz. Por Jesus, vosso Filho amado, no Espírito, Senhor que dá a vida. Amém.
11. Apresentação dos Dons
Coleta Fraterna
Ação de Graças
12. Louvação Presidente – Ao Pai, que pacientemente espera a conversão de todos os Seus filhos e filhas, elevemos a Ele o nosso Louvor.
Deus nos faz irmãos
13. Pai Nosso Presidente – O Senhor nos comunicou o seu Espírito. Com a confiança e a liberdade de filhos e filhas, digamos juntos. Pai Nosso…
14. Momento da Paz Presidente – A paz é fruto do compromisso com a vida na luta pela real fraternidade entre as pessoas. Rezemos em silêncio pela paz.
15. Oração Presidente – Oremos -(silêncio) – Ó Deus, celebrando este encontro com os irmãos e irmãs, recebemos já na terra a Palavra e o Pão da alegria que se reparte no céu. Fazei, agora, que todos nos vejam no dia a dia como gente que vos ama, servindo sempre aos irmãos e irmãs. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
16. Breves Avisos
17. Bênção Presidente – O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós! – Deus, Pai de misericórdia, concedei a todos vós como concedeu ao Filho Pródigo a alegria do retorno a casa. Amém. – Abençoe-vos o Deus todo-poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. – Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
O Evangelho deste domingo nos traz dois fatos trágicos: os galileus que Pilatos matou e os 18 que morreram quando a torre de Siloé caiu sobre eles. Qual é a relação de Jesus diante desses fatos: aquele que sofre um infortúnio não significa que seja sempre culpado, mas, se não houver a conversão, estará sujeito a grandes perigos. Jesus deixa claro; “se não vos converterdes ireis morrer todos do mesmo modo”. Depois continua falando sobre a parábola da figueira. Quando recebemos uma notícia, envolvendo pessoas, isso nos atinge muito mais se conhecemos as pessoas envolvidas. Se não, podemos até nos impressionar, mas teremos uma reação diferente. O mesmo ocorre com a Palavra de Jesus; se nela temos fé, comportamo-nos de um jeito, se não, tratamo-la com indiferença e frieza. Como cristãos temos uma identidade, ou seja, trazemos as marcas de Cristo, seu amor, sua Palavra, seu ensinamento. Estabelecemos uma relação de amor e de respeito para com Ele. Mesmo que haja alguma infidelidade, o Senhor tem a iniciativa de se aproximar de nós com seu amor e misericórdia. Portanto, junto ao Senhor teremos continuamente a chance de recomeçar. O Senhor tem imensa paciência para conosco; “Senhor, deixa a figueira ainda este ano”. Não podemos tratar a paciência divina com frieza e continuar em uma mediocridade, em uma vida descomprometida. A força da graça e do amor divino deve romper a casca dura de nosso egoísmo e do pouco esforço que fazemos em nos converter. Ser misericordioso, acolhedor, servidor, amar com sinceridade é sinal de que estamos no caminho da conversão e no respeito para com Deus. Quando vamos no encontro da vida e da dignidade dos pobres, é prova de que estamos do lado de Deus. O amor generoso é prova de nossa fé e de nossa conversão. O caminho da conversão será sempre exigente e longo. Consequentemente, é necessária a abertura do coração a Deus, para que na sua graça nos sustentemos nesse caminho. A Comunidade cristã precisa estar aberta para acolher o “penitente” ajudando-o no seu processo de volta para Deus. Não arranquemos a árvore aparentemente estéril. Mas continuemos a cuidar dela, pois haverá sempre a possibilidade de brotar um ramo novo e florir na primavera. Deus é paciente conosco. Bom será se tivermos paciência uns com os outros.

Leituras da Semana
2ª feira: 2Rs 5,1-15a; Sl 41; Lc 4,24-30
3ª feira: Dn 3,25.34-43; Sl 24; Mt 18,21-35
4ª feira: Dt 4,1.5-9; Sl 147; Mt 5,17-19
5ª feira: Jr 7,23-28; Sl 94; Lc 11,14-23
6ª feira: Is 7,10-14; 8,10; Sl 39; Hb 10,4-10; Lc 1,26-38
Sábado: Os 6,1b-6; Sl 50; Lc 18,9-14
Domingo: Js 5,9a.10-12; Sl 33; 2Cor 5,17-21; Lc 15,1-3.11-32

Você pode Gostar de:

3º Domingo da Páscoa (01.05)

Ano C – XXXII cor branca – 01/05/2022 1. Saudação Presidente – Queridos irmãos e …