Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia do 4º Domingo da Quaresma

Liturgia do 4º Domingo da Quaresma

“EM NOME DE CRISTO: DEIXAI-VOS RECONCILIAR COM Deus!”

1.Acolhida
Deus procurou educar o seu Povo, mesmo quando pecava ou se desviava da Aliança parte do Povo não seguia os ensinamentos de Deus, murmurava, e, por isso, foi condenado a morrer no deserto. Deus fez a sua parte: guardou fidelidade à Aliança Divina celebrada desde o início, mas não renunciou a verdade! Deus não convive com o pecado!
Deus não nos castiga quando pecamos; pelo contrário, oferece-nos a reconciliação. Ele oferece-nos a reconciliação que nos faz criaturas novas. É ciumento de nossa semelhança com Ele e não pode misturar-se com nossos pecados: “Em nome de Cristo, nós vos suplicamos deixai-vos reconciliar com Deus”. Ele nos quer limpos, vivos e semelhantes com Deus Pai.

2.Palavra de Deus
Js 5,9ª-10-12 – O Povo de Deus entra e toma posse na Terra Prometida, come dos frutos da terra onde corre leite e mel, mas o maná deixa de cair do céu e, agora em diante, o Povo alimenta-se dos frutos da Terra Prometida.
2Co 5,17-21 – O Povo de Israel é um povo novo, reconciliado com Deus; Deus apagou seus pecados em previsão do Sangue divino a ser derramado em suas cabeças pelo Filho de Deus.
Lc 15,1-3.11-32 – A Parábola de Jesus revelando seu amor misericordioso e extraordinário: liberar a herança do filho gastador ainda em vida do pai, acolher o filho arrependido sem exigir uma prestação de contas. O ciúme do filho mais velho, fiel e trabalhador, que não aceita as desculpas e o perdão do pai.
3.Reflexão
“Se alguém está em Cristo é uma criatura nova. O mundo velho desapareceu. Tudo, agora, é novo… e tudo vem de Deus, que por Cristo nos reconciliou consigo!” O diabo, autor do mal, é mentiroso e nos faz viver de aparências. A lei justifica a mentira e a aparência e Jesus quer a verdade! A lei falsificou nossa alma fazendo-nos viver da lei e das aparências… Nós parecemos bons e não somos! Jesus trouxe a verdade; as aparências são criaturas de satanás! Por causa das aparências legais, Jesus foi condenado à morte e morreu crucificado! Por isso, o Apóstolo Paulo recomenda-nos a reconciliação com Deus, viver a verdade e não nos enganar com as aparências. Ser bons e não, apenas, parecer bons!
A fé em Jesus significa viver uma vida nova e não a enganação diabólica e as aparências da lei! “Vede como é grande o amor de Deus por nós que samos chamados filhos de Deus e somos de fato… Queridos, já somos filhos de Deus, mas ainda não se manifestou o que seremos. Mas sabemos que quando Ele se manifestar o veremos como Ele é e seremos com o Ele! E quem espera nele desse modo, purifica-se como Ele é puro!” Com Ele não há enganação.
A misericórdia supera o pecado, quando reconhecemos nossa culpa. O jovem gastador imprudente, torrou toda sua herança numa vida desenfreada. Caiu no fundo do poço e nem podia partilhar a alimentação dos animais a quem devia cuidar – os porcos! Não lhe permitiam! Caiu em si e decidiu voltar para a casa paterna e oferecer-se como trabalhador – não como filho!. O pecado destrói nossa dignidade de filho queridos do Pai celestial. O remédio é arrependimento! e retornar para a casa paterna. Mas o comportamento do pai escandalizou o filho mais velho. Mas o pai viu a vida do filho retornar a ele e por isso, o abraçou afetuosamente e lhe perdoo o pecado.
FREI CARLOS ZAGONEL.

Você pode Gostar de:

59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

CONSELHO PERMANENTE DELIBERA SOBRE ETAPA PRESENCIAL DA 59ª ASSEMBLEIA GERAL DA CNBB A etapa presencial …