Página Inicial / Notícias / Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia reunida na CNBB

Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia reunida na CNBB

Após dois anos da primeira reunião, a Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) está novamente reunida presencialmente, nesta semana. Os três bispos e os três assessores da Comissão neste quadriênio tratam de uma extensa pauta na sede da entidade, em Brasília (DF), e com um encontro na sede da Edições CNBB.
A reunião ocorre desde terça-feira, 29 de março, e segue até o dia 31. O ponto fundamental da reunião, segundo o bispo de Paranaguá (PR) e presidente da Comissão para a Liturgia da CNBB, dom Edmar Peron, é a conclusão da tradução da 3ª edição do Missal Romano. A partir daí, há processos que envolvem, principalmente, a Pastoral Litúrgica e o Setor Música Litúrgica.
Além de dom Edmar Peron, estão presentes os outros dois membros: dom Carlos Verzeletti e dom José Luiz Majella Delgado; os assessores: padre Leonardo Pinheiro, do Setor Pastoral Litúrgica; e irmão Fernando Vieira, do Setor Música Litúrgica; e o perito do Setor Espaço Litúrgico, padre Thiago Faccini Paro.

Setores e o Missal
Dom Edmar conta que o Setor de Pastoral Litúrgica atuou junto com a Comissão para os Textos Litúrgicos (CETEL) da CNBB acompanhando a tradução, e, nos últimos dois anos, com reuniões praticamente a cada semana, um profundo processo de revisão. A partir de agora, serão enviados os últimos materiais para a apreciação dos bispos antes da votação na etapa presencial da 59ª Assembleia Geral da CNBB. Essa parte diz respeito às orações eucarísticas, às bênçãos sobre o povo e aos prefácios.
Já o Setor Música Litúrgica vai preparar os cantos que entrarão no missal. “Alguns textos do missal terão já as partituras no próprio missal”, adiantou dom Edmar. Outra tarefa é o processo de articular as melodias para as Orações Eucarísticas. “A proposta é que cada Oração Eucarística tenha duas versões musicadas. Isso será um livro de altar, não entrará no missal para acompanhar o missal. Quem vai cantar, terá esse livro específico”, explica dom Edmar. Durante a reunião, os bispos e assessores refletiram sobre os nomes de compositores, com a preocupação de contar com profissionais de todas as regiões do país.

Encontro com a editora
A nova edição do Missal Romano, após a votação, será produzida pela Edições CNBB, em caso de aprovação pelo episcopado. Nesse sentido, uma reunião na tarde de hoje na sede da editora, marca o encontro da Comissão com a equipe que será responsável pela diagramação do material.
“Nós não tínhamos feito ainda esse momento de sentar junto, de conversar sobre os subsídios, as publicações e, especialmente, sobre o missal. Hoje nós definiremos as questões gráficas do Missal e também vamos conversar sobre as outras publicações de Liturgia que as Edições têm. Para mim, isso é um momento muito feliz, primeiro por reencontrar a comissão presencialmente, e esse outro porque é a primeira vez que nós iremos fazer um encontro Edições CNBB e Comissão Episcopal para a Liturgia”, comentou dom Edmar.

Setor Espaço Litúrgico
O encontro da comissão nesses dias também é oportunidade para a apresentação de um texto do Setor Espaço Litúrgico sobre as vestes litúrgicas. O material deve servir, quando aprovado e publicado, como base de reflexão para ajudar a compreender as vestes litúrgicas dos ministros ordenados e dos ministérios leigos nas celebrações.
O Setor Espaço Litúrgico também prepara um material que favoreça a aplicação do acordo da CNBB com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), favorecendo a compreensão das orientações do órgão público e a explicação sobre os lugares das celebrações católicas pelo Brasil.

Pastoral Litúrgica
No âmbito da Pastoral Litúrgica, a Comissão prepara um texto que será encaminhado às vinícolas que produzem vinho para a missa. “Nos detivemos a considerar os critérios e agora como encaminhar um certificado e um selo que a CNBB dará àquelas vinícolas que o bispo local conceder um certificado de qualidade para o vinho de missa. O processo será diocesano com a chancela da CNBB que dará um certificado para aquela vinícola”, explicou dom Edmar Peron. Essa certificação, terá uma validade que será estipulada pela comissão.
Outra iniciativa na pauta da reunião é a reflexão sobre os subsídios oferecidos pela Comissão para a Liturgia da CNBB, como o Celebrar em Família, por exemplo.
Amanhã, no último dia de reunião o grupo vai fazer uma reflexão sobre a participação litúrgica nesta passagem do declínio da pandemia para a retomada das atividades eclesiais.

Momento de encontro e partilha
Após dois anos sem um contato tão próximo, dom Edmar revela que pôde sentir “a experiência do compromisso conjunto”, numa oportunidade de partilha.

“O encontro cria o espaço da partilha, de como nós vivemos ao longo desse tempo e, junto com isso, a pauta a ser discutida. Enquanto partilhamos, enquanto discutimos a pauta, então vamos fortalecendo os laços”, observou.

Você pode Gostar de:

Encontro de Formação Cáritas Arquidiocesana de Cuiabá 

A Diretoria da Cáritas Arquidiocesana de Cuiabá  realizou no sábado 07 de agosto/2022  Encontro de …