Página Inicial / Animação Litúrgica / 12º Domingo do Tempo Comum (19.06)

12º Domingo do Tempo Comum (19.06)

Ano C – cor verde – 19/06/2022

1. Saudação Presidente – Bem-vindos queridos irmãos e irmãs em Cristo, a este encontro fraterno. É com alegria que nos reunimos para fazer memória da Páscoa de Jesus Cristo e celebrar nossa vida de comunidade. Nesta Liturgia o Senhor nos convida a assumir com Ele o projeto de igualdade e fraternidade que exige doação e entrega cotidiana. A condição para segui-Lo é a renúncia e a libertação dos interesses individuais. No compromisso de abraçar a nossa cruz a cada dia e seguir Jesus, façamos o sinal de nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – O amor do Pai que enviou Seu Filho para nos salvar, a fidelidade de Jesus Cristo ao projeto de Deus e a força do Espírito Santo, estejam sempre convosco. Bendito seja Deus…
Presidente – Nesta semana do dia 22 a 26 de junho, acontecerá em Roma o 10° Encontro Mundial das Famílias que tem como tema: “O Amor na família: vocação e caminho de santidade. Neste tempo de esperança e renascimento, “o amor vivido nas famílias é uma força permanente para a vida da Igreja”. Neste momento recordemos os acontecimentos que marcaram a semana que passou (recordação da vida).
2. Deus nos perdoa Presidente – Neste dia peçamos a conversão do coração, fonte de reconciliação com Deus e com os irmãos (silêncio). Confiantes na misericórdia do Pai, peçamos perdão, rezando.
3. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos ao Senhor, nosso Deus, que pela Ressurreição de Cristo, nos possibilita uma vida nova, rezando o Hino do Glória.
4. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Pai, Vós nos revelais o Vosso imenso amor no Vosso Filho que se entregou pela salvação do mundo. Dai-nos coragem de proclamar o Vosso Cristo e de segui-Lo no caminho da cruz, doando a vida pelo próximo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura da Profecia de Zacarias (12,10- 11;13,1)
6. Salmo Responsorial (62) (CD Cantando os Salmos – Ano C) A minh’alma tem sede de vós, como a terra sedenta, ó meu Deus! (bis)
7. Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Gálatas (3, 26-29)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (9, 18-24)
9. Partilha da Palavra
Nossa resposta
10. Profissão de Fé Presidente – Renovemos a nossa fé no Deus Uno e Trino que nos dá sabedoria para reconhecermos que Jesus é o Messias prometido. Creio em Deus Pai…
11. Preces da Comunidade Presidente – Confiantes na bondade do Senhor, façamos os pedidos de nossa comunidade. A cada prece, rezemos: Ouvi-nos e atendei-nos, Senhor!
12. Apresentação dos Dons
Coleta Fraterna
Ação de Graças
13. Louvação Presidente – Louvemos ao Senhor, nosso Deus, por todas as pessoas que vivem o amor e reconhecem Jesus, como “o Messias”, o enviado do Pai que vem nos trazer a salvação e a libertação pela entrega de sua vida.
Deus nos faz irmãos
14. Pai Nosso Presidente – Atentos ao modelo de oração dado por Cristo, nosso Senhor, rezemos: Pai Nosso…
15. Momento da Paz Presidente – A paz que tanto desejamos, nós a encontraremos ao seguirmos Jesus Cristo. Rezemos em silêncio pela paz.
16. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, aqui nos renovamos pela vossa Palavra, (pela Comunhão) e pelo desejo de sermos cada vez mais seguidores de Vosso Filho Jesus. Fazei que um dia alcancemos o que celebramos: a eterna salvação, que é vida sempre feliz na casa de nosso Pai. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
17. Breves Avisos
18. Bênção
Presidente – Deus vos abençoe na sua bondade e infunda em vós a sabedoria da salvação. Amém.
– Sempre vos alimente com os ensinamentos da fé e vos faça perseverar nas boas obras. Amém.
– Oriente para Ele os vossos passos e vos mostre o caminho da caridade e da paz. Amém.
– Abençoe-vos o Deus misericordioso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
– Tomar a cruz significa doar a vida como resposta de amor ao Senhor e aos irmãos. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

 

Meditando a Palavra de Deus
Jesus continua rezando conosco, da mesma forma como costumava rezar com os seus discípulos, antes das grandes decisões, dos principais momentos de sua vida. Na intimidade, no diálogo, na vida e missão, Ele espera nossa resposta, nossa adesão no seguimento. A Palavra do Senhor vem nos perguntar: quem é Jesus e qual sua proposta de vida? Vem nos orientar, e impelir-nos a descobrir e redescobrir o “Messias,” o enviado do Pai. À pergunta de Jesus, os discípulos respondem que o povo não o vê de modo muito claro, pois dizem coisas diferentes, compreendem-no de modo diverso. Testando também os discípulos, pergunta-lhes: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro, em nome de todos responde: “O Cristo de Deus”. Para o povo podia haver confusão, mas para os seguidores de Jesus, os Apóstolos e agora nós, não pode haver nenhuma dúvida. Precisamos entender quem é Jesus para as pessoas do nosso tempo e para nossas comunidades e, sobretudo, para nós mesmos. O Evangelho quer nos mostrar que, para sermos cristãos autênticos, devemos “tomar a cruz”, ter a responsabilidade do testemunho e da generosidade de vida por causa de Cristo. O tomar a cruz supõe que vivamos com simplicidade, sirvamos com humildade. Esse foi o caminho de Jesus. Fazer-se resignado pela causa do Reino. Tomar a cruz, é sinal de plena liberdade. De repente, podemos entender que é difícil, que é mesmo impossível. É preciso entender o que Jesus está nos ensinando. Ele nos fala de seu amor para que o vivamos tal qual Ele viveu. É ter a generosidade sempre pronta e disposta a servir. É ser entrega, doação, amor total, como ele mesmo foi. Em nossos dias não parecem ser simpáticos a um convite de “tomar a cruz”, pois estamos marcados pela lei do prazer, pelo quanto menos ou nada de sofrimento melhor e pela pouca simpatia para com a verdade de Cristo. Isso não significa que a verdade de Cristo já passou ou não tem mais valor. A verdade de Cristo continua a nos trazer a verdadeira liberdade. Quem aceita e experimenta o convite de Jesus, não O abandona jamais. Transfigurados pela graça Divina, podemos abraçar a nossa cruz, que também é a cruz de Jesus, e oferecê-la como nossa herança mais cara a toda a humanidade. Como Pedro e com toda a Igreja, não nos escandalizamos da cruz. Sabemos que somente dela brota a graça da riqueza eterna que não passa e que ninguém pode roubar ou destruir. Agora é a nossa vez. O Senhor espera a nossa resposta, e isso pode trazer a paz e a verdadeira vida para muitas pessoas, se dissermos nosso sim de modo verdadeiro e generoso. Tomemos pois, a cruz que nos liberta, dá-nos vida e nos salva.

Leituras da Semana
2ª feira: 2Rs 17,5-8.13-15a.18; Sl 59; Mt 7,1-5
3ª feira: 2Rs 19,9b-11.14-21.31-35a.36; Sl 47; Mt 7,6.12-14
4ª feira: 2Rs 22,8-13; 23,1-3; 2Cor 8,9-15; Sl 118; Mt ,15-20
5ª feira: 2Rs 24,8-17; Sl 78; Mt 7,21-29
6ª feira: Ez 34,11-16; Sl 22; Rm 5,5-11; Lc 15,3-7
Sábado: Is 61,9-11; 1Sm 2,1.4-8; Lc 2,41-51
Domingo: 1Rs 19,16b.19-21; Sl 15; G1 5,1.13-18; Lc 9,51-62

Você pode Gostar de:

27º Domingo do Tempo Comum (02.10)

Ano C – cor verde – 02/10/2022 1. Saudação Presidente – Sejam bem-vindos, todos que …