Página Inicial / Animação Litúrgica / 15º Domingo do Tempo Comum (10.07)

15º Domingo do Tempo Comum (10.07)

Ano C – cor verde – 10/07/2022

1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs, sejam todos bemvindos à casa do Pai! É com alegria que nos reunimos para celebrar o memorial de Cristo Jesus e viver a misericórdia de Deus não como um código de leis, mas a manifestação do Amor d’Ele por meio de nossas ações concretas. Nossa Liturgia hoje nos provoca encontrar a vida eterna. Essa vida plena não está no cumprimento de determinados ritos, mas no amor a Deus, ao próximo e aos marginalizados. Confiantes no Deus que nos acolhe em seu amor misericordioso, façamos o sinal que nos reúne na fé. Em nome do Pai…
Presidente – O Senhor que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo esteja convosco. Bendito seja Deus…
Presidente – Nesta semana, no dia 15, comemoramos 32 anos de instalação da nossa Diocese. Roguemos ao Senhor pelo nosso pastor, Dom Lauro Sérgio, pelos padres e por todo Povo de Deus que compõem a Igreja Particular de Colatina. Trazer presente outros fatos que marcaram a semana que passou (recordação da vida).
2. Deus nos perdoa Presidente – A dúvida do mestre da Lei é profunda: “e quem é o meu próximo?”. Reconhecendo-nos necessitados da misericórdia do Pai, peçamos perdão de nossos pecados (silêncio). Confiantes, cantemos.
3. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos a Deus, que em seu Filho Jesus se fez próximo de nós e dos marginalizados e revelou-se profundamente humano e misericordioso. Rezemos o Hino do Glória.
4. Oração Presidente – Oremos -(silêncio) – Pai misericordioso, no mandamento do amor fraterno resumistes toda a vossa Lei. Dai-nos um coração generoso e atento aos sofrimentos do próximo, como fez o bom Samaritano. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do Livro do Deuteronômio (30, 10-14)
6. Salmo Responsorial (68) Humildes, buscai a Deus e alegrai-vos: o vosso coração reviverá! (bis)
7. Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses (1, 15-20)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (10, 25-37)
9. Partilha da Palavra
Nossa resposta
10. Profissão de Fé Presidente – Professemos nossa fé no Deus que enviou seu Filho para a salvação de todos nós. Creio em Deus Pai…
11. Preces da Comunidade Presidente – Amados irmãos e irmãs: alarguemos os horizontes da nossa oração e do nosso coração fervorosamente, rezemos: Mostrai-nos, Senhor, o vosso amor.
Presidente – Senhor, Pai Santo, dai-nos a graça de cumprir os mandamentos que imprimistes no coração humano e não deixeis que jamais nos esqueçamos de ver em cada homem o nosso próximo. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
12. Apresentação dos Dons
Coleta Fraterna
Ação de Graças
13. Louvação Presidente – Louvemos a Deus por todas as pessoas envolvidas na Cáritas Diocesana de Colatina que a exemplo do bom Samaritano, se dedicam ao cuidado dos doentes, dos menores abandonados, idosos, cantando.
Deus nos faz irmãos
14. Pai Nosso Presidente – A vontade do nosso Pai que está nos céus é que sigamos o exemplo do seu Filho Jesus para alcançarmos a vida eterna. Rezemos confiantes. Pai Nosso…
15. Momento da Paz Presidente – A paz nos “aproxima” dos irmãos e irmãs, para vivermos a comunhão fraterna. Em silêncio, rezemos pela paz.
16. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, vossa Palavra foi nosso alimento nesta celebração. Dainos, portanto, esta graça: que cada celebração ajude a crescer em nós a força que faz ser santos aqueles que alimentais. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
17. Breves Avisos
18. Refletindo sobre o Dízimo (Ler para a assembleia)
O dízimo, ao ser entregue à comunidade, é colocado à disposição da ação evangelizadora das pastorais que a compõe. Quem é o responsável pela comunidade? Todos aqueles que dela fazem parte! Não são somente os diáconos, sacerdotes, os religiosos e as religiosas que evangelizam. Quem evangeliza são todos os batizados. É você, sou eu; somos nós. O dízimo é uma das formas de fazer-nos co-responsáveis pela realização daquela que é a primeira e maior missão da Igreja: levar o Evangelho a todas as pessoas (cf. Rm 15,14-21). Quem contribui com o dízimo, evangeliza.

24. Bênção
Presidente – O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós!
– Deus, Pai de misericórdia, concedei-vos cada dia mais, a sublime capacidade de imitar o Vosso amor. Amém.
– Abençoe-vos o Deus todo-poderoso: Pai e Filho
e Espírito Santo. Amém.
– “Arrisquemos viver movidos pela compaixão ao próximo”. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
A Palavra do Senhor está sempre disposta a nos orientar. Neste domingo, quer nos apontar, qual o caminho que devemos seguir para alcançar a vida eterna. Todos queremos a eternidade e jamais podemos perder esse desejo. Só precisamos definir o caminho a seguir. Não é qualquer caminho que nos leva à eternidade: somente o caminho do amor de Deus e aos irmãos. O evangelho é muito bonito e nos aponta como devemos viver nossa fé, nosso compromisso de amor a Deus, ao Reino, às pessoas: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”, respondeu o mestre da Lei, diante do ensinamento de Jesus, seria o bom samaritano que socorreu o pobre homem ferido na beira da estrada. Não basta saber que a misericórdia é importante, pois o importante é vivê-la, como fez o samaritano. Por isso diz Jesus: “Vai e faze a mesma coisa”. O envio é significativo: “arrisquemos viver movidos pela compaixão”. É pelo caminho de amor comprometido com a vida, com a dignidade e a justiça que alcançamos a eternidade com Deus. O céu é o lugar do amor, e quem não ama não pode nele morar, pois não sabe amar. E o aprendizado começa já aqui entre nós, nos pequenos atos de amor, de misericórdia, de bondade, que realizamos em cada dia. Vamos assim “construindo nossa morada” lá no céu. A sociedade nos oferece muito conforto e muitas possibilidades. A ciência, a técnica e todo desenvolvimento de nossos dias são para facilitar a vida do homem e da mulher. Mesmo com todo o progresso e todo aprendizado que já fizemos, sabemos que é impossível a realização plena de cada um de nós. Temos fragilidades em cada dimensão humana. Não somos perfeitos. O Evangelho vem nos alertar que somente pelo caminho do amor é possível vencer as fragilidades e realizar-se plenamente. O que é se realizar plenamente? É viver a abundância da vida em Cristo, e a isso chamamos de plenitude da vida. O samaritano, um herege, um pagão ou um infiel, no padrão religioso judaico, desfez-se de tudo isso e estendeu a mão para salvar, para reerguer o pobre, o ferido, o abandonado. Foi interpelado pelo homem caído à beira do caminho. Os outros passaram ao longe, sequer volveram o olhar, para evitar alguma impureza, para não se tornarem impuros. Quanta falsidade! Amor tem de ser verdadeiro, tocar, reerguer, curar, salvar, como fez Jesus, como fez o samaritano. Esse é o caminho da eternidade, o caminho do amor autêntico, verdadeiro, sem fingimento. Se queremos que o caminho seja conforme nosso modo, nosso pensar, que certeza teremos de que alcançaremos o céu? A sabedoria é escolher o caminho de Jesus, aprendendo do seu amor e de sua misericórdia.

Leituras da Semana
2ª feira: Is 1,10-17; Pr 2,1-9; Sl 49; Mt 10,34-11,1
3ª feira: Is 7,1-9; Sl 47; Mt 11,20-24
4ª feira: Is 10,5-7.13-16: Sl 93; Mt 11,25-27
5ª feira: Is 26,7-9.12.16-19; Sl 101; Mt 11,28-30
6ª feira: Is 38,1-6.21-22.7-8; Is 38,10-16; Mt 12,1-8
Sábado: Zc 2,14-17; Lc 1,46-55; Mt 12,46-50
Domingo: Gn 18,1-10a; Sl 14: Cl 1,24-28: Lc 10,38-42

Você pode Gostar de:

27º Domingo do Tempo Comum (02.10)

Ano C – cor verde – 02/10/2022 1. Saudação Presidente – Sejam bem-vindos, todos que …