Página Inicial / Animação Litúrgica / 23º Domingo do Tempo Comum 04.09.2022

23º Domingo do Tempo Comum 04.09.2022

Ano C – cor verde – 04/09/2022
1. Saudação Presidente – Queridos irmãos e irmãs de nossa comunidade e visitantes, sejam todos bem vindos! É com grande alegria que nos reunimos para fazer memória da Páscoa de Jesus Cristo e agradecer ao Deus da Vida as nossas vitórias, dificuldades e esperanças vividas no itinerário do Tempo Comum que é como o caminho que os discípulos fizeram com Jesus. Hoje, o Senhor nos convida para uma grande missão: assumir o Projeto do Pai, renunciando tudo aquilo que colocamos acima dos valores do Reino. Como discípulos missionários, façamos o sinal da nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé pela ação do Espírito Santo esteja convosco. Bendito seja Deus…
Presidente – Iniciando o mês de setembro, a Igreja do Brasil dedica-se à Bíblia, que tem como tema: “O Senhor, teu Deus, estará contigo por onde quer que vás.” Js1,9. Celebrar um mês dedicado à Sagrada Escritura tem o sentido de recordar a sua centralidade na vida eclesial, como fonte para a revelação e lugar de encontro com Deus. O Senhor não se revela apenas na Sagrada Escritura, mas ela constitui um lugar especial de diálogo entre Ele e o ser humano. Trazemos presente os fatos e acontecimentos da semana na Paróquia e comunidade (recordação da vida).
2. Deus nos perdoa Presidente – De coração arrependido e humilde, aproximemo-nos do Deus Justo e Santo para que tenha piedade de nós, pecadores (silêncio). Confiantes na misericórdia do Pai, supliquemos, rezando.
3. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos ao Pai que nos fortalece na missão de anunciar seu Reino de justiça e amor, cantando o Hino do Glória
3. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Senhor nosso Deus, dai-nos a sabedoria do vosso Espírito, para que, como verdadeiros discípulos de Cristo, aprendamos a ser desprendidos, a fim de alcançarmos os valores eternos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
4. Apresentação do Livro da Palavra
5. Leitura do Livro da Sabedoria (9, 13-18)
6. Salmo Responsorial (89) (CD Cantando os Salmos – Vol. II – Faixa 19) Vós fostes, ó Senhor, um refúgio para nós. (bis)
7. Leitura da Carta de São Paulo a Filêmon (9b-10.12-17)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (14, 25-33)
9. Partilha da Palavra
Nossa resposta
10. Profissão de Fé Presidente – Iluminados e renovados pela Palavra de Deus, professemos nossa fé. Creio em Deus Pai…
11. Preces da Comunidade Presidente – Ao Deus, fonte inesgotável de sabedoria, elevemos os pedidos de nossa comunidade reunida, cantando após cada prece: Ó Deus da vida, ouvi nossa prece. (CD 300 anos de Aparecida)
12. Apresentação dos Dons
Presidente – Assumir a cruz de Cristo é tornarse discípulo missionário do Senhor. Carregá-la seguindo Jesus, significa unir-se a Ele quando Ele dá a prova máxima do seu amor. Apresentemos ao Altar do Senhor todas as ações realizadas em nossa Comunidade Paroquial neste Ano.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
13. Louvação Presidente – Louvemos ao Senhor nosso Deus por todas as pessoas que se empenham em conhecer a Sua Palavra e por meio dela fazem brotar sinais de vida e esperança entre nós.
Deus nos faz irmãos
14. Pai Nosso Presidente – Ao Pai que nos convida a edificar o Seu Reino, rezemos como Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
15. Momento da Paz Presidente – A paz é o primeiro sinal do Reino de Deus que o discípulo deve anunciar. Em silêncio, rezemos pela paz no mundo.
16. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, nesta celebração, vosso povo se alimenta na Mesa da vossa Palavra (e da Comunhão). Que este alimento nos faça ter forças para viver unidos a Jesus Cristo na terra e também no céu. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
17. Breves Avisos
18. Gesto Concreto (ler para a assembleia) Presidente – O mês da Bíblia, itinerário promovido nas paróquias e comunidades de todo o Brasil, é um convite especial para todas as pessoas que gostam de estudar a Palavra de Deus, proclamada na Sagrada Escritura e experimentada na vida. Em 2022, o livro bíblico escolhido para aprofundamento é o de Josué, com a inspiração: “O Senhor, teu Deus, estará contigo por onde quer que vás” (Js 1,9).

19. Bênção
Presidente – O Senhor vos conceda vossa sabedoria hoje e sempre. Amém.
– O Senhor vos guie no caminho da cruz. Amém.
– O Senhor vos ilumine para que sejais discípulos fiéis à vossa Palavra. Amém.
– Abençoe-vos o Deus Pai de bondade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
– Caminhemos com Cristo, carregando a cruz de cada dia, para participar de Sua gloriosa ressurreição. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
Esta liturgia retoma um importante tema do discurso de Jesus, bem conhecido em nossas comunidades. Jesus afirma que para o discipulado são necessários: renúncia e amor. A partir do conjunto das leituras proclamadas hoje, podemos entender que a disposição ao discipulado de Jesus é a resposta a uma sede maior da existência humana: a sede de Deus. A primeira leitura retirada do Livro da Sabedoria retrata bem o gênero bíblico sapiencial, no qual o acesso ao Altíssimo se dá pelo conhecimento d’Ele que, a princípio, é impossível ao intelecto humano. A chave está no fim do texto: não poderíamos conhecer a Deus se não nos fosse dada a Sua sabedoria. Ela tem a função de corrigir essa distância que não podia ser sequer, diminuída. É importante lembrar que a sabedoria referida neste conjunto de livros é como a presença do próprio Deus, assim como a citada do seu Santo Espírito. A sabedoria, que é a presença de Deus no homem, tem seus efeitos no Salmo 89, quando o salmista suplica: “Ensinai-nos a contar os nossos dias, e dai ao nosso coração sabedoria!”, ele faz referência à assistência divina que mostra com que o homem seja capaz de reler, à luz da fé, a sua própria existência e o seu caminhar no mundo. A sabedoria do coração é saber olhar criticamente para a vida, perceber suas marcas e suas direções, a presença de Deus e do outro, o caminho da vida e da morte. Neste sentido, a primeira leitura e o Salmo formam um conjunto, pela busca da sabedoria, na verdade, é o próprio Deus, que é o sentido maior da existência humana. De igual forma se dá na segunda leitura e no Evangelho, Para Jesus, a busca por Deus identifica-se com a disposição para construir o seu Reino. Se o sentido da existência era antes a busca por Deus, agora será o encontro com Jesus que impulsiona a construir o Reino de Deus. Assim, Paulo recomendará a comunidade de Filêmon que receba bem a Onésimo, seu amigo. Para provar que ele é digno de ser recebido, Paulo se valerá primeiro de sua autoridade, ele é prisioneiro, porque amou a Jesus Cristo, e depois vai caracterizar o enviado como seu irmão muito querido. Amor e renúncia: são essas as prerrogativas que Jesus nos apresenta para segui-Lo. E o custo já está calculado, que é a cruz. Quem deseja seguir a Jesus, e assim tem o desejo de Deus e a disposição em construir o seu Reino, precisa renunciar ao conforto e a segurança para abraçar a renúncia, o risco, a perseguição. Não é difícil entender por que o amor está ao lado da renúncia nas exigências de Jesus: só Ele dá forma suficiente para que o Evangelho possa ser assumido. Só por amor, Paulo aceita a dureza da prisão. Só por amor, é que Jesus assume a morte e a cruz como consequência de seu ser e de sua pregação. E várias são as cruzes que cotidianamente carregamos, mas um único motivo nos fortalece para que possamos suportar seu peso: o amor. Esse amor como a cruz, também pode ser percebido de formas diferentes: o amor de Deus que se faz sentir por nós, o amor da família que ampara nas dificuldades, o amor dos amigos que se tornam familiares escolhidos, o amor do outro, o nosso próprio amor que gera frutos e nos impulsiona a dar mais um passo em nossa caminhada. (Roteiros Homiléticos – Ano C – 2019

Leituras da Semana
2ª feira: 1Cor 5,1-8; Sl 5; Lc 6,6-11
3ª feira: 1Cor 6,1-11; Sl 149; Lc 6,12-19
4ª feira: 1Cor 7,25-31; Sl 44; Lc 6,20-26
5ª feira: Mq 5,1-4a; Sl 12; Mt 1,1-16.18-23
6ª feira: 1Cor 9,16-19.22b-27; Sl 83; Lc 6,39-42
Sábado: 1Cor 10,14-22a; Sl 115; Lc 6,43-49
Domingo: Ex 32,7-11.13-14; Sl 50; 1Tm 1,12-17; Lc 15,1-32

Você pode Gostar de:

16º Domingo do Tempo Comum (17.07)

Ano C – cor verde – 17/07/2022 1. Saudação Presidente – Amados irmãos e irmãs …