Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Artigo de Pe. Deusdédit – Caminhar na Esperança

Artigo de Pe. Deusdédit – Caminhar na Esperança

Ao término de mais um ano somos convidados a fazer uma revisão do que passou e planejamento do futuro. Naturalmente que, aquilo que reprovamos no ano que passou, temos a oportunidade de corrigi-lo no novo ano; e tudo que fizemos de bom, de belo e construtivo, procuremos repeti-los com mais vigor no novo ano. Olhamos o passado para sermos iluminados por suas luzes e precavidos de seus defeitos. Com certeza o ano novo será um pouco melhor, se algumas mudanças acontecerem dentro de nós.

Luiz Vaz de Camões, considerado o maior poeta renascentista Português e brilhante mestre da literatura universal, fez um verso interessante sobre as mudanças: “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, muda-se o ser, muda-se a confiança. Todo mundo é composto de mudança, tomando sempre novas qualidades”. Segundo este verso, todo ser humano é sujeito de mudanças. Isto porque, somos todos imperfeitos e limitados. A busca da perfeição é um processo permanente na vida do ser humano. Segundo a teoria do filósofo pré-socrático Heráclito, o ser humano é um projeto inacabado. O homem é um “vir-a-ser” que está sempre em construção. Para confirmar sua tese sobre a dinamicidade homem ele escreveu: “ninguém pode entrar duas vezes no mesmo rio, pois quando nele se entra novamente, não se encontra as mesmas águas, e o próprio ser já se modificou”. Entretanto, o processo de aperfeiçoamento da vida, esbarra na nossa autorreferencialidade e autossuficiência.

Pessoas autorreferenciais, aquelas que se bastam a si mesmas, perdem a oportunidade de crescerem e se transformarem. À luz desta reflexão: Quais são as novas atitudes e as novas virtudes humanas e cristãs que vamos agregar na vida, no início de um novo ano? Precisamos entrar no novo ano com renovada esperança. Esperança não do verbo esperar, mas do verbo esperançar: buscar, agir, almejar e sonhar. É, portanto, uma esperança proativa que nos projeta ativamente para a realização de um futuro melhor. Proferiu o filósofo Aristóteles: “A esperança é o sonho do homem acordado”. Sonhamos com uma sociedade melhor: mais convivente, justa, fraterna, solidária, reconciliada e humanizada. Mas não basta sonhar. Precisamos buscar e lutar, diariamente, por este projeto de sociedade. Começando em nossas famílias, vizinhanças, com os amigos e nos ambientes de trabalho. Pois, pensamos globalmente e agimos localmente. Do ponto de vista cristão, a esperança é uma das virtudes teologais. São três as virtudes teologais: fé, esperança e caridade. São teologais porque são virtudes essencialmente sobrenaturais que nos fazem agir bem em relação a Deus. Estas virtudes animam e caracterizam o agir moral do cristão.

A virtude da esperança se fundamenta na experiência de fé. Sem fé não existe verdadeira esperança. Pessoas sem fé vivem sem esperança e numa profunda tristeza. A esperança nos protege contra o desânimo e nos dá alento nos momentos de esmorecimento e quedas. Veja o que disse o apóstolo Paulo antes da sua conversão para o Cristo Senhor: “Estava sem esperança e sem Deus no mundo (Ef 2,12).. Que a luz da esperança ilumine o novo ano. Que seja uma esperança, geradora de entusiasmo, vibração, energia positiva e encantamento pela vida, pela família, pelos amigos e pelo trabalho, pelo apostolado e por Deus. Teremos um tempo melhor se colocarmos mais vida, mais amor, mais paz, mais generosidade, mais alegria e boas ações no novo ano. No campo político e social, esperamos uma nação com pleno emprego para todos, sem corrupção e menos discórdias entre as pessoas. Porquanto, o melhor programa social de qualquer governo é a geração de emprego.

É só através do emprego que superaremos o problema da fome. A campanha da Fraternidade 2023 tratará, novamente, da problemática da fome no Brasil e terá como lema: “Dai-lhes vós mesmos de comer!” (Mt,14,16). A fome é o grande flagelo de milhões de brasileiros e brasileiras. Pessoas com fome vivem sem esperança. Tornam-se pessoas desesperançadas. Sejamos semeadores e promotores da esperança em 2023. Viver “de esperança em esperança, sempre na esperança” (C. Evaristo Arns). Caminhar na esperança é preciso, porque “a esperança não nos decepciona” (Rm 5,5). E que o nosso bondoso e providentíssimo Deus altíssimo abençoe ricamente o nosso querido Brasil, e, todos os brasileiros e brasileiras. Feliz e abençoado ano todo para todos!
Pe. Deusdédit – Cura da Catedral Basílica do Senhor Bom Jesus.

Você pode Gostar de:

Novo Bispo de Roraima – Dom Evaristo Pascoal Spengler

PAPA FRANCISCO TRANSFERE DOM EVARISTO PASCOAL SPENGLER PARA DIOCESE DE RORAIMA (RR) O Papa Francisco …