Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / 59ª Campanha da Fraternidade no Brasil

59ª Campanha da Fraternidade no Brasil

“DAI-LHES VÓS MESMOS DE COMER” (Mt 14,16)
Com o lema: “Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mt 14,16), a CNBB promoverá a 59ª campanha da fraternidade no Brasil. O Objetivo geral desta Campanha é: “Sensibilizar a sociedade e a Igreja para enfrentarem o flagelo da fome, sofrido por uma multidão de irmãos e irmãs, por meio de compromissos que transformem estar realidade a partir do Evangelho de Jesus Cristo”. O sugestivo e provocante apelo do Divino Mestre: “dai-lhes vós mesmo de comer”, dirigido aos seus discípulos, de ontem e de hoje, soa como um despertador das consciências adormecidas diante do flagelo da fome. Este milagre foi o mais espetacular e impressionante de Jesus. Tem tanta proeminência e relevância bíblica, que foi relatado seis vezes pelos evangelistas: duas vezes em Mateus e Marcos; uma vez por Lucas e João evangelista. São, portanto, seis narrativas do mesmo milagre.

Cada relato com as particularidades de cada evangelista. Porque tanta insistência dos evangelistas com este milagre? Com certeza é para nos dar um importante recado: devemos continuar repetindo, com firmeza e generosidade, o milagre da multiplicação dos pães no mundo. Devemos nos envolver e comprometermo-nos na busca de solução criativa para a superação da fome. O problema começa a ser solucionado quando Jesus pede que os discípulos coloquem à disposição tudo o que têm, apesar de pouco: 5 pães e dois peixes (5+2=7, o número 7 na bíblia significa totalidade e perfeição). Os discípulos de outrora procuraram desculpas. Mas Jesus os acordou para o sentido da solidariedade e partilha. Mesmo o pouco deve ser compartilhado.

Pois, quem está com fome não pode esperar. Sem comida, não há vida! Assim proferiu o Papa Francisco: “para a humanidade a fome não é só uma tragédia e escândalo, mas também, uma vergonha”. A fome traz consequências nefastas para a humanidade: produz uma raça de crianças raquíticas, homens condenados à baixa estatura (nanicos), deficiências irremediáveis no desenvolvimento intelectual e pessoas mais vulneráveis às doenças. Ao lado da fome, há outra triste realidade: o desperdício de alimentos. Dados apontam que 30% de tudo que é produzido no planeta é totalmente descartado. Uma grande quantidade de alimentos bom para o consumo humano, vai para o lixo todos os dias em nossas casas, nos restaurantes e após os encontros festivos.

A campanha quer, também, refletir sobre as causas geradoras da fome. Entre as principais causas, destacamos:

a) A má distribuição de renda. Vivemos em um País com uma perversa desigualdade social,

b) O desemprego e o subemprego,

c) A estrutura fundiária.

É urgente dar continuidade numa reforma agraria, ampla e justa, para os que têm vocação para o cultivo da terra. É o que chamamos de partilha da terra, d) Pouco incentivo e investimento na agricultura familiar, responsável, segundo dados do IBGE (2017), por 70% da produção de alimentos que vão para as mesas dos brasileiros e brasileiras. O sistema produtivo agrícola não pode estar voltado só para o macro sistema econômico-financeiro exportador(commodities), o que, também, consideramos importante. A solução da fome passa, sobretudo, pela agricultura familiar e pelos três “Ts”: “terra, trabalho, teto” (Papa Francisco aos movimentos populares, em 2015, na Bolívia). Esta campanha visa, também, potencializar e ampliar as parcerias de todas iniciativas sociais, na sociedade organizada (ONGs)e nas Igrejas, para a superação da fome. Ações isoladas e desarticuladas não alcançam os frutos desejados. São inúmeras iniciativas do voluntariado, mas que não substituem o poder público com suas políticas públicas.

Enfim, a Campanha da fraternidade é uma atividade evangelizadora global para aproximar as pessoas de Deus e ajudá-las a se tornarem mais cristãs, mais humanas, mais fraternas, mais serenas, mais respeitosas no relacionamento com seus semelhantes. Porquanto, a Campanha da fraternidade quer despertar, também, a fome de Deus nos corações das pessoas indiferentes, as quais vivem como se Deus não existisse. Vamos refletir e rezar, durante a quaresma! Organizemos os grupos para via-sacra em Família. Os livrinhos estão disponíveis nas livrarias Católicas de Cuiabá e nas Paróquias. Este pequeno subsídio preparado para as famílias, além de construir relações fraternas, de amizades e proximidades, redes de solidariedade e orações com a vizinhança, contém as ideias mais proeminentes da Campanha da fraternidade 2023.

Pe. Deusdédit é Padre da Catedral de Cuiabá

Você pode Gostar de:

Cursilho Masculino 114º – Um Marco de Fé e Comunhão no Domingo de Pentecostes

Entre os dias 16 e 19 de maio, aconteceu o Cursilho Masculino 114º, um evento …