Página Inicial / Notícias / Esperança em Cristo é único “remédio” ante a morte

Esperança em Cristo é único “remédio” ante a morte

Esperança em Cristo é único "remédio" ante a morte, diz o Papa.

.- Ao celebrar esta manhã na Basílica de São Pedro a tradicional Missa em sufrágio pelos cardeais e bispos falecidos durante o ano, o Papa Bento XVI destacou que o único que verdadeiramente responde ao mistério da morte é a esperança em Cristo.

O Papa recordou ao iniciar sua homilia aos cardeais falecidos no último ano: Avery Dulles, Pio Laghi, Stephanos II Ghattas, Stephen Kim Sou-Hwan, Paul Joseph Pham Dinh Tung, Umberto Betti e Jean Margéot, manifestando seu afeto por eles e pelos bispos falecidos neste ano.

"Nestes venerados irmãos –disse Bento XVI– reconhecemos aos servos dos quais fala a parábola evangélica, servos fiéis aos quais o amo, voltando das bodas, encontra acordados e preparados; pastores que serviram à Igreja garantindo ao rebanho de Cristo os cuidados necessários, testemunhas do Evangelho que, na variedade de dons e de tarefas, deram prova de laboriosa vigilância, de dedicação generosa à causa do Reino de Deus".

O Papa observou que a separação dos seres queridos é dolorosa e que a morte é "um enigma carregado de inquietação", mas "para os fiéis, aconteça quando acontecer, está iluminado sempre ‘pela esperança da imortalidade’. A fé nos sustenta nestes momentos humanamente carregados de tristeza e desalento".

Comentando a Primeira Carta de São Pedro, segunda leitura da Missa, Bento XVI sublinhou que esta exortação aos cristãos em sua peregrinação terrena a "manter viva no coração a perspectiva da esperança, de uma esperança viva, porque Deus, em sua grande misericórdia, nos regenerou mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos".

"Este é o motivo pelo qual devemos estar ‘cheios de esperança’, embora nos aflijam as penas. Se perseverarmos no bem, nossa fé, purificada por muitas provas, resplandecerá um dia em todo seu fulgor e será para nós louvor, glória e honra, quando Jesus se manifeste em sua glória", prosseguiu o Papa.

"Aqui reside a razão de nossa esperança, que já nos faz exultar de ‘gozo inexprimível e glorioso’ enquanto estamos em caminho para a meta de nossa fé: a salvação das almas", concluiu.

Você pode Gostar de:

Papa: ser cristão é superar discriminações. O batismo confere igual dignidade a todos

“As diferenças e os contrastes que criam separação não deveriam existir entre os fiéis em …