Página Inicial / Notícias / Mês da consciência negra

Mês da consciência negra

A pastoral Afro-brasileira sugere para o mês da consciência negra o tema da promoção da vida tendo presente realidade, dos/as jovens negros/as. Esta iniciativa da pastoral afro-brasileira está em sintonia com as aspirações dos/as jovens negros/as que enriquecem e fortalecem o trabalho na Igreja brasileira e latino-americana/caribenha, mas que   sentem a realidade de violência que atinge a juventude como um todo, de forma mais acentuada a juventude negra.    É importante que os grupos organizados reflitam este tema junto com a memória do Martírio de Zumbi dos Palmares.

A Campanha da Fraternidade de 2008 já nos convidava a esta reflexão, lembrava que o cuidado com a vida compreende as diferentes fases, desde a concepção até o fim natural.  Na nossa tradição de fé o cuidado com a vida é considerada tarefa de todo o cristão.

A sugestão é que nos voltemos à vida dos/as jovens negros/as. Este recorte está em sintonia com a proposta do Setor juventude, que no dia 25 de outubro celebrou o Dia Nacional da Juventude 2009 (DNJ-2009 refletindo o tema “Contra o extermínio da juventude na luta pela vida” e o lema “Juventude em marcha contra a violência”. Esta temática surge devida a constatação do aumento do percentual de violência, seguida de morte, que têm atingido os jovens.

Estamos inseridos, acompanhando a juventude negra neste processo, pois a eles/as são atingidos  diariamente pela violência. Temos a tarefa de pautar no mês da consciência negra esta situação profeticamente assinalada pelo Setor Juventude da CNBB.

Em muitas cidades acontecerão debates, painéis, seminários lembrando o mês da consciência negra. Vamos aproveitar estes momentos para pautar a temática da violência contra a juventude negra. E mais do que isto, trabalhar para que os poderes públicos possam assumir compromissos efetivos no enfrentamento do problema.

O tema da negritude tem criado uma sensibilidade e aceitação na sociedade e no mês de novembro esta tendência é potencializada. Temos então a chance de sermos propositivos para a sociedade, sugerindo a reflexão sobre o que de fato nos preocupa. E a situação dos jovens negros é causa de muita preocupação.

 Esta proposta de tema ajudará a enfrentarmos o risco de fazermos, no mês da consciência negra, uma série de eventos de visibilidade superficial, muito mais ligados ao folclore e ao exotismo do que com uma proposta de resgate da cidadania dos afro-brasileiros. Temos a oportunidade de dar este passo significativo, de sermos os protagonistas (Cf. DAp 75) de um fato social que diz respeito a nossa história, mas que pode ser expropriado pela lógica dos que não querem que a população afro-brasileira reflita a sua realidade e lute por cidadania plena.

Como discípulos/as missionários/as temos a tarefa agir para que os nossos jovens tenham vida plena e vivam com dignidade desde infância até a plenitude. Jesus veio ao mundo para que todos tivessem vida (Jo 10,10). Como seguidores do Mestre de Nazaré assumimos também esta responsabilidade dialogando com a sociedade e com o movimento negro.

Junto com o tema da juventude cabe-nos inserir nos debates a realidade das populações quilombolas, a necessidade de políticas afirmativas, a aprovação do estatuto da igualdade racial e a sua aplicação futura.

Façamos ressoar a palavra de defesa da vida em todo o lugar. Que o Espírito Santo nos inspire e acompanhe neste propósito.

Com as Bênçãos da Negra Mariama!

Pe Ari Antônio dos Reis
Assessor da Pastoral Afro-Brasileira da CNBB

Você pode Gostar de:

Papa: ser cristão é superar discriminações. O batismo confere igual dignidade a todos

“As diferenças e os contrastes que criam separação não deveriam existir entre os fiéis em …