Página Inicial / Animação Litúrgica / Domingo dia 13 de dezembro

Domingo dia 13 de dezembro

Confira as sugestões litúrgicas para o 3o Domingo do Advento – 13 de dezembro de 2009

3º DOMINGO DO ADVENTO     SOLENE   COR ROXA   CICLO C     ANO IMPAR      13 de Dezembro de  2009 

 

PAROQUIA SÃO GONÇALO PORTO – CUIABA ”ALEGRAI-VOS!  O SENHOR ESTÁ PRÓXIMO

Queridos irmãos e irmãs, bem-vindos ao encontro do Senhor nesta Eucaristia dominical. O terceiro Domingo do Advento, também chamado Domingo da Alegria, nos inspira felicidade pela proximidade do Natal. É com este espírito que se acende a terceira vela da coroa do Advento. Mais uma vez lembramos que hoje é o dia da coleta em favor da Evangelização, como pede a CNBB a todo o país. Que a presença do Senhor nos torne mais dóceis e solidários com os que mais sofrem e com todos os que são  alvos da mensagem de Cristo, a Boa-Nova da Salvação.

Ato Penitencial: Buscando uma melhor preparação para a chegada do Senhor, pedimos perdão.  Catemos.

Glória Nessa  celebração omitimos o Hino de Louvor.

Entrada da Bíblia 

Liturgia da Palavra:  Leitura:  Página:  1212   (Sf 3, 14-18)  A presença de Deus no meio do povo é a grande mensagem, para que nunca percamos a esperança e a paz.

 Salmo Página:   960  Sl (Is 12, 2-6)   Exultai, cantando alegres, habitantes de Sião, porque é grande em vosso meio o Deus santo de Israel!                      

Leitura:  Página:   1512  (Fl 4, 4-7)       A alegria é fruto da acolhida de Jesus em nossa vida, e do termos feito de suas atitudes a inspiração para nosso agir.

Evangelho:  Página:  1314   (Lc 3, 10-18)  A vinda de Jesus deve provocar grandes transformações em nossa vida, pois Ele veio para nos ensinar a amar.

 Aclamação ao Evangelho:  Aclamemos a boa nova cantando….  

Preces da Comunidade: 

Ofertório:  Ao altar do Senhor apresentamos sinais dos que buscam um novo jeito de ser e viver. Na nossa oferta, os gestos de solidariedade e amor que aproximam os corações e saciam a fome. (motivar a oferta) Cantando….

Comunhão: Jesus na Eucaristia, renova-nos com seu amor e enche nosso coração de alegria e paz. Confiantes, caminhamos  ao seu encontro.  Cantemos.

Mensagem Final: Muitas pessoas se angustiam com a chegada do Natal. Parecem ficar tristes, melancólicas. Isso significa que o Natal não foi bem entendido e nem bem preparado. Não pode haver tristeza quando nasce a vida. Que esses dias de preparação possam tornar o coração humano uma verdadeira manjedoura.    

Sugestões Litúrgicas:

 

3º Domingo do Advento – 13 de dezembro de 2009                                                  

 

"Alegrai-vos sempre no Senhor, ele está perto"

 

Leituras:

1a. Leitura – Sf 3,14-18a
Salmo:  Is 12,2-6

2a. LeituraFl 4,4-7
Evangelho: Lc 3
,10-18

 

Sugestões Litúrgicas –

·              É sempre bom retomar as sugestões apresentados no 1º e 2º Domingo do Advento.

·                    Por ser este um dia de esperançosa alegria, sugere-se que se usem paramentos com cores rosadas. Mas não festivos, sem querer antecipar o Natal!

Acende-se a terceira vela da coroa de advento, se possível acompanhado com um canto, ou um refrão meditativo, ou uma oração apropriada.

·                    A comunidade poderá ser convidada a lembrar os motivos que tem para se alegrar e ter esperança, como sinais da presença amorosa e fiel de Deus em nosso meio (fatos, acontecimentos apresentados em forma de encenação, jogral, recortes de jornais ou simples recordação falada).

·                    A 1ª ou a 2ª leitura poderá ser proclamada de cor e o evangelho dialogado ou, se possível, encenado. Nas celebrações da Palavra, a 2ª leitura poderá ser aproveitada como saudação inicial.

·                    A Palavra realçada também por momentos de silêncio, por exemplo, após as leituras, o salmo e a homilia, fortalecendo a atitude de acolhida à Palavra no coração da comunidade (CNBB, guia litúrgico-pastoral).

·                    É importante realizarmos nas comunidades a Coleta da Campanha para a Evangelização neste 3º Advento. Nossa generosidade seja uma oferta viva ao Cristo, que por nós se encarnou.

·                    Para a missa deste domingo, use-se, de preferência, o Prefácio do Advento I ou II.

·                    A profissão de fé poderá ser uma confirmação do compromisso batismal, um “mergulho na misericórdia e na justiça de Deus” principalmente diante dos motivos de tristeza que ainda estão espalhados por toda parte. No final do Credo, faz-se o rito de aspersão com um canto apropriado para este momento.

·                    No abraço da paz, realçar a alegria como fruto da paz.

·                    Benção final próprio para o tempo do Advento, conforme Missal Romano, p. 519.

·                    Se a comunidade ainda não começou a armar seu presépio, será muito oportuno começar a fazê-lo.

 

 

 

COR LITÚRGICA: ROSA 

 

Dir. 2 – Irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos a esse encontro de fé no Cristo Ressuscitado. Hoje celebramos o domingo da alegria, pois estamos nos aproximando da grande festa da humanidade cristã.

Dir. 3 – Nesta celebração o Senhor nos convida a abrir as mãos e o coração para a prática da partilha e a convivência fraterna. Vamos dizer espontaneamente os motivos pelos quais queremos hoje rezar. (O dirigente motiva a assembléia a se manifestar.)

Dir. 2 – Unidos pelo amor que nos congrega como irmãos, alegres cantemos.

Procissão de entrada como de costume.

 

INTRODUÇÃO

Caminhamos em direção do Deus que vem ao nosso encontro para ser Deus-conosco. A Eucaristia é um convite a nos alegrar na esperança do Deus que vem! Vem para construir conosco uma história de salvação! Vem para conduzir-nos novamente ao Pai. Esse é um tempo de espera e de escuta da Palavra de Deus, mensagem de vida e provocadora de conversão. É necessário assumirmos as atitudes de Jesus, em sua prática de amor e de justiça, para que o Reino, trazido por Ele, possa acontecer entre nós.

 

Músicas: CD Liturgia VIII – Paulus; Cantos e Orações

 

1. ABERTURA

(CD VIII Fx 5 – HL 1 S.6)

Alegrai-vos: Ele está bem perto, sim, alegrai-vos mais no Senhor!

1. Foste amigo, Senhor, da tua terra, libertaste os cativos de Jacó. Perdoaste o pecado de teu povo, encobriste toda a sua falta, não guardaste rancor contra nós, acalmaste o furor da tua ira.

2. Restaura-nos ó Deus e Salvador, esquece a tua mágoa contra nós; ficarás irritado para sempre? Guardarás tua cólera, sem fim?

3. Não darás tua vida novamente ao teu povo que em ti se alegrará? Mostra-nos, Senhor, tua bondade, concede-nos a tua salvação!

4. Quero ouvir o que diz o Senhor: é de paz que ele vai nos falar, a paz para o seu povo e seus amigos, aos que trazem ao Senhor seu coração. Está perto a salvação aos que o respeitam e a glória habitará na nossa terra.

5. Fidelidade e amor se encon-trarão, vão beijar-se e justiça e a paz. Da terra brotará fidelidade e do céu olhará a justiça.

 

 

 

 

2. SAUDAÇÃO
Dir. 1 – Alegrai-vos sempre no Senhor! Alegrai-vos. Façamos o sinal que nos une na fé. EM NOME…

Dir. 1 – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a força do Espírito Santo estejam convosco.

BENDITO SEJA DEUS…

 

Dir. 3 – Jesus é a única luz que vale a pena seguir. Na certeza de que, com a aproximação do Natal, seremos renovados pela luz de Cristo, com alegria, acendamos a terceira vela da coroa do Advento.

Enquanto um grupo de crianças canta o hino abaixo, uma criança acende a 3ª vela do Advento (rosa).

O dia, quando nasce, vem mansinho, devagar, pois é anunciado pelas cores da aurora, a mensageira do rei Sol que vai chegar. A luz do sol que nasce lança raios pelo ar, varando as nuvens brancas como ovelhas no horizonte, saudando o mundo com um novo despertar.

ASSIM JESUS É A LUZ DO SOL QUE JÁ DESPONTA, ANUNCIADA POR SÃO JOÃO, O PRECURSOR. ASSIM JESUS É A SALVAÇÃO TÃO ESPERADA, É A ALEGRIA DO ENCANTO, DA BONDADE E DO AMOR.

 

 

3. ATO PENITENCIAL
Dir. 1 – Preparando-nos para celebrar dignamente o nascimento de Jesus, pensemos nas vezes em que nos desviamos da luz de Cristo e caímos nas trevas do pecado (pausa). Imploremos a misericórdia do Pai.

1. Ó Deus bondade, Pai e Criador, somos teu povo santo e pecador. Nós te pedimos força e proteção, ó Deus da vida e da libertação.

Ó DEUS, PERDOA O NOSSO DESAMOR, DO CÉU ENVIA O FILHO SALVADOR!

2. Nosso pecado quer nos condenar, da vossa face vai nos afastar. Porém, tu és o Deus consolação e nos concedes sempre o teu perdão.

3. Aqui estamos para suplicar que nossas culpas queiras perdoar. Te prometemos nossa conversão porque tu és o Deus da salvação.

Dir. 1 – Deus de misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. AMÉM.

– Senhor, tende piedade de nós.

– Cristo, tende piedade de nós.

– Senhor, tende piedade de nós.

 

4. HINO DE LOUVOR (omita-se)

 


5. ORAÇÃO
Dir. 1 –
Ó Deus de bondade, que vedes o vosso povo esperando fervoroso o Natal do Senhor, dai-nos chegar às alegrias da Salvação e celebrá-las sempre com intenso júbilo na solene liturgia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

T. Amém.

 

 6. PRIMEIRA LEITURA
(Sf 3,14-18a)
A presença de Deus no meio do povo é a grande mensagem, para que nunca percamos a esperança e a paz.

Profecia de Sofonias:

14Canta de alegria, cidade de Sião; rejubila, povo de Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém!

15O Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos; o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal.

16Naquele dia, se dirá a Jerusalém: “Não temas, Sião, não te deixes levar pelo desânimo! 17O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; ele exultará de alegria por ti, movido por amor; exultará por ti, entre louvores, 18acomo nos dias de festa”.

— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus!



7. RESPONSÓRIO      

(Is 12,2-6)

— Exultai cantando alegres, habitantes de Sião,/ porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!

— Exultai cantando alegres, habitantes de Sião,/ porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!

— Eis o Deus, meu Salvador, eu confio e nada temo;/ o Senhor é minha força, meu louvor e salvação./ Com alegria bebereis no manancial da salvação,/ e direis naquele dia: “Dai louvores ao Senhor.

— Invocai seu santo nome, anunciai suas maravilhas,/ entre os povos proclamai que seu nome é o mais sublime.

— Louvai cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos,/ publicai em toda a terra suas grandes maravilhas!/ Exultai cantando alegres, habitantes de Sião,/ porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!”

 

 
8. SEGUNDA LEITURA 
(Fl 4,4-7) A alegria é fruto da acolhida de Jesus em nossa vida, e do termos feito de suas atitudes a inspiração para nosso agir.

Leitura da Carta de São Paulo apóstolo aos Filipenses:

Irmãos e Irmãs: 4Alegrai-vos sempre no Senhor; eu repito, alegrai-vos. 5Que a vossa bondade seja conhecida de todos os homens! O Senhor está próximo!

6Não vos inquieteis com coisa alguma, mas apresentai as vossas necessidades a Deus, em orações e súplicas, acompanhadas de ação de graças. 7E a paz de Deus, que ultrapassa todo o entendimento, guardará os vossos corações e pensamento em Cristo Jesus.

— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus!



9. ACLAMAÇÃO
Dir 2- João Batista convida todos à mudança radical de vida, porque a nova história vai transformar pela raiz as relações entre os homens. Aclamemos ao Evangelho.

Aleluia, aleluia! (bis)

O Espírito consagrou-me (bis)

E mandou-me anunciar (bis)

Boa Nova para os pobres! (bis)

Aleluia, aleluia! (bis)

 

 

10. EVANGELHO

(Lc 3,10-18) A vinda de Jesus deve provocar grandes transformações em nossa vida, pois Ele veio para nos ensinar a amar.

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós!
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, † segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 10as multidões perguntavam a João: “Que devemos fazer?”
11João respondia: “Quem tiver duas túnicas, dê uma a quem não tem; e quem tiver comida, faça o mesmo!”

12Foram também para o batismo cobradores de impostos, e perguntaram a João: “Mestre, que devemos fazer?”

13João respondeu: “Não cobreis mais do que foi estabelecido”.

14Havia também soldados que perguntavam: “E nós, que devemos fazer?”
João respondia: “Não tomeis à força dinheiro de ninguém, nem façais falsas acusações; ficai satisfeitos com o vosso salário!”

15O povo estava na expectativa e todos perguntavam no seu íntimo se João não seria o Messias. 16Por isso, João declarou a todos: “Eu vos batizo com água, mas virá aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desamarrar a correia de suas sandálias. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo. 17Ele virá com a pá na mão: vai limpar sua eira e recolher o trigo no celeiro; mas a palha ele a queimará no fogo que não se apaga”.

18E ainda de muitos outros modos, João anunciava ao povo a Boa Nova.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor!


PARTILHA DA PALAVRA OU HOMILIA

 

PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA

O profeta Sofonias, que viveu em uma época em que o seu povo estava à beira da ruína, anuncia a vitória do amor de Deus sobre o pecado e a transformação radical da situação social, política e religiosa. Eis o motivo pelo qual convida todos os pobres do país a se alegrarem. Essa profecia é importante, também, porque o evangelista Lucas a emprega para descrever a anunciação feita a Maria. As expressões que nela encontramos: "Alegra-te", "não temas", "o Senhor está contigo" são as mesmas que o anjo irá dirigir a Maria. Por que Lucas se serve da profecia de Sofonias? Para anunciar que essa profecia se realizou em plenitude com a encarnação do Filho de Deus. Através de Jesus de Nazaré, Deus veio de fato habitar com o seu povo e trouxe a salvação com a qual proporcionou a plenitude da felicidade. A alegria do cristão não deve ser confundida com a gargalhada tola, nem com a satisfação de quem se impõe pela violência, nem com o prazer de quem explora o mais fraco e indefeso. Há muitas alegrias que não são cristãs! João Batista nos indica um caminho que permite que o nosso coração seja inundado pela verdadeira alegria: basta que preparemos a vinda do Senhor na nossa própria vida, mediante a partilha dos nossos bens com os pobres e mediante a recusa a qualquer forma de violência e de opressão. A alegria do cristão tem a sua fonte – como nos ensinam a 1ª e a 2ª leituras – na certeza de que o Senhor está no meio de nós, e no fato de que o mal foi vencido. A vida sempre conserva um sentido, mesmo quando parece fracassar, porque Deus mantém o seu amor pelos homens e tem um projeto de felicidade para todos, projeto que ele efetivamente realizará. O Evangelho nos aponta três atitudes que devemos tomar, se quisermos fazer a experiência da alegria prometida para aqueles que acolhem o Cristo que vem: compartilhar os bens que possuímos, não praticar injustiças e não oprimir ninguém.

 

11. PROFISSÃO DE FÉ
Dir. 1 – Professemos nossa fé no Deus que envia seu Filho para resgatar a humanidade: Creio em Deus Pai todo-poderoso,

T. Criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na ressurreição da carne; na vida eterna. Amém.


12. PRECES DOS FIÉIS
— Nossa palavra faz-se súplica, na esperança de recebermos de Deus a graça necessária para vivermos nossa fé como anúncio da grande alegria que Jesus nos trouxe. Rezemos confiantes nossas preces.

1. PELA IGREJA para que, sendo mensageira da salvação, expresse em seu agir pastoral e missionário a alegria verdadeira que brota do Evangelho, rezemos ao Senhor nosso Deus.

— Senhor, que vossa alegria esteja em nós!

2. PARA QUE nossa Comunidade, que se prepara para celebrar o Natal do Senhor, também saiba acolher a todos, e viva a fraternidade e o amor que Jesus veio encarnar no meio de nós, rezemos ao Senhor nosso Deus.

3. PARA QUE nossas famílias, acolhendo a mensagem cristã, encontrem a verdadeira alegria no compromisso sincero com o amor, e testemunhem ao mundo a paz que vem do diálogo e do perdão, rezemos ao Senhor nosso Deus.

4. PARA QUE todos nós, como seguidores de Jesus, assumamos as atitudes do Cristo como atitudes nossas, sendo no mundo uma voz profética que clama pela justiça, pela partilha e pela dignidade de todas as pessoas, rezemos ao Senhor nosso Deus.

5. PARA QUE, neste tempo de Advento, cresçam em todos nós a consciência e a responsabilidade de nossa missão de batizados, de sermos sal e luz no mundo, rezemos ao Senhor nosso Deus.

(Intenções próprias da comunidade.)

— Atendei, Deus de bondade, nossa oração, pois só teremos verdadeira alegria vivendo vossa Palavra e seguindo os passos de Jesus, vosso Filho, que convosco vive e reina para sempre.

 

 

APRESENTAÇÃO DOS DONS

Dir. 2 – João Batista nos propõe a partilha como fonte de salvação. Hoje, a Igreja no Brasil realiza a coleta para a evangelização. Como cristãos, somos convidados a colaborar para que a Palavra de Deus seja conhecida e amada por todos.

Dir. 3 – Preparemo-nos para receber o Senhor que vem, oferecendo o que somos e o que temos para que a Igreja cumpra a missão de evangelizar o mundo. Este é o grande presente que Jesus espera de nós neste Natal.

O dirigente motiva a assembléia a segurar nas mãos o envelope com a sua oferta e rezar a oração seguinte.

Senhor Jesus Cristo, Vós deixastes aos apóstolos a missão de evangelizar. Enviai também a nós, como anunciadores, para que vosso Evangelho continue penetrando na vida das pessoas e transformando a sociedade. Despertai em nós a consciência sobre a grandeza da missão e a responsabilidade em participar no anúncio do Evangelho. Dai-nos um coração generoso para colaborar espiritual e materialmente na missão. Apresentando ao altar do Senhor a nossa doação, feita com alegria, queremos ser discípulos e missionários para ajudar outros a receberem a luz do vosso Natal! Amém!

 

 

 13. CANTO DAS OFERENDAS
(Onde não houver Celebração Eucarística, omitir a 1ª estrofe.)

1. Preparo esta mesa do povo cristão; oferto cantando o vinho e o pão.

2. Preparo a casa, Jesus vai chegar; vou ver o que falta na vida do lar.

3. Preparo a rua, mostrando alegria; vou ser bom vizinho, de noite e de dia.

4. Preparo meu bairro e minha cidade; mostrando na vida, minha caridade.

5. Preparo este mundo pra ser de Jesus; vivendo a justiça, da qual vem a luz.

6. Preparo também o meu coração; Jesus sempre chega em qualquer dos irmãos.

 

 

MOMENTO DE LOUVOR

Dir. 2 – Louvemos a Deus por todos os gestos de amor, solidariedade e união que existem no meio de nós.

1. É muito bom, que alegria te louvar, ó Pai querido, Deus de amor e de bondade! Há muito tempo prometeste ao teu povo que tu virias visitar a humanidade.

TU VENS, TU VENS, EU JÁ ESCUTO TEUS SINAIS! (bis)

2. Ao povo antigo te fizeste escutar pelos profetas da primeira aliança. Tuas promessas se cumpriram plenamente em Jesus Cristo, que é nossa esperança.

3. João Batista apareceu lá no deserto, o teu Messias entre nós ele apontou. Quando Maria disse "sim" a teu anúncio, de tua Palavra a Virgem logo engravidou.

 

 

Prefácio próprio do Advento (MR p. 408)

14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA  II  (MR, p. 477)

 


 

ABRAÇO DA PAZ

Dir. 3 – "A paz é o diálogo entre os povos. É a justiça, a fraternidade, a satisfação do dever cumprido na vivência diária da verdade". No desejo de construir relações de verdadeira paz, rezemos em silêncio.

Durante o tempo do Advento, pode-se omitir o abraço da paz para realizá-lo com mais alegria no tempo do Natal.

 

 


15. CANTO DA COMUNHÃO
(CD IV Fx 8 – HL1, p. 34)

Ele virá com uma pá na sua mão, ele virá para limpar o seu terreiro! Tudo o que é palha, num fogo eterno irá queimar, o trigo bom vai recolher no seu celeiro!

1. Louva, Jerusalém, louva o Senhor teu Deus: tuas portas reforçou e os teus abençoou, te cumulou de paz e o pão do céu te traz.

2. Sua Palavra envia, corre veloz sua voz. Da névoa desce o céu, unindo a terra e o céu; As nuvens se des-mancham, o vento sopra e avança.

3. Ao povo revelou Palavras de amor. A sua lei nos deu e o mandamento seu; com ninguém faz assim; amou até o fim.

4. A Virgem, mãe será, um Filho à luz dará, seu nome, Emanuel; “Conosco Deus” do céu; O mal desprezará, o bem escolherá.

5. Ao Pai do céu louvemos e ao que vem cantemos; e ao Divino, então, a nossa louvação! Os três, que são um Deus, exalte o povo seu!

 

 

 

 

16. ORAÇÃO PÓS-COMUNHÃO

Dir. 1 – Ó Pai, vós sois a força e a luz que buscamos em nossa vida feita de trabalho, oração e serviço. Dai-nos a graça de acolher com alegria vosso Filho que vem, e anunciar com a nossa vida o mistério de sua encarnação em nossa humanidade. Por Cristo, nosso Senhor. AMÉM.

 

NOTÍCIAS E AVISOS


17. BÊNÇÃO
P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Que o Deus onipotente e misericordioso vos ilumine com o advento do seu Filho, em cuja vinda credes e cuja volta esperais, e derrame sobre vós as suas bênçãos.

T. Amém.

P. Que durante esta vida ele vos torne firmes na fé, alegres na esperança, solícitos na caridade.

T. Amém.

P. Alegrando-vos agora pela vinda do Salvador feito homem, sejais recompensados com a vida eterna, quando vier de novo em sua glória.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

 

 

18. CANTO FINAL       

Vem, ó Senhor, com o teu povo caminhar, * teu corpo e sangue, vida e força vem nos dar.

1. A Boa Nova proclamai com alegria. Deus vem a nós, Ele nos salva e nos recria. E o deserto vai florir e se alegrar. //Da terra seca, flores, frutos vão brotar//.

2. Eis nosso Deus, e Ele vem para salvar, com sua força vamos juntos caminhar e construir um mundo novo e libertado // do ego-ísmo, da injustiça e do pecado//.

3. Um voz clama no deserto com vigor: Preparai hoje os caminhos do Senhor! Tirai do mundo a violência e a ambição, //que não vos deixam ver, no outro, vosso irmão//.

4. Distribuí os vossos bens com igualdade, * fazei na terra germinar fraternidade. * O Deus da vida marchará com o seu povo, * // e homens novos viverão num mundo novo//.

5. Vem, ó Senhor, ouve o clamor da tua gente, * que luta e sofre, porém crê que estás presente. * Não abandones os teus filhos, Deus fiel, * // porque teu nome é Deus-conosco: Emanuel//.

     Coragem por causa da proximidade de Deus”

Fontes:

·        Jesus, o divino solidário com os pobres, CNBB, Paulus/Paulinas, 2006

·        Dia do Senhor, Marcelo Guimarães e Penha Carpanedo, Tempo Comum Ano C, Paulinas, 2003

·        Liturgia Dominical, Johan Konings, Vozes, 2003

·        Sugestões para a celebração (MLZ) em Vida pastoral, ano 47, nº 251.

·        Missal Romano

·        Hinários Litúrgicos da CNBB

                Ofício Divino das Comunidades (OCD), Paulus, 1994  

Você pode Gostar de:

5º Domingo da Páscoa (02.05)

Ano B – cor branca – 02/05/2021 1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs, sejam …