Página Inicial / Notícias / Deus é a esperança certa do homem

Deus é a esperança certa do homem

Ante um mundo "vazio", Deus é a esperança certa do homem, explica o Papa Bento.

.- O Papa Bento XVI ressalta –em uma mensagem dada a conhecer hoje pelo L’Osservatore Romano– que ante um mundo que com cada vez mais freqüência se apresenta "vazio" e sem sentido, Deus é essencial para a vida do homem pois constitui a esperança certa no caminho de toda pessoa.

Em um texto enviado ao Presidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), Cardeal Angelo Bagnasco, por ocasião do Congresso que se realiza entre o 10 e o 12 de dezembro em Roma do Comitê para o projeto cultural da CEI titulado "Deus hoje: com Ele ou sem Ele tudo muda", o Santo Padre indica que "a questão de Deus é central também para nossa época, em que com freqüência se tende a reduzir ao homem a uma única dimensão, aquela ‘horizontal’, considerando como irrelevante para sua vida a abertura ao Transcendente".

"Em vez disso –prossegue o Papa na mensagem datada de 7 de dezembro– a relação com Deus é essencial para o caminho da humanidade, e, como pude afirmar várias vezes, a Igreja e todo cristão têm a tarefa de fazer a Deus presente neste mundo, de procurar abrir aos homens o acesso a Deus".

Neste congresso, explica o Santo Padre, se conversará sobre "o lugar que ocupa Deus na cultura e a vida de nosso tempo" assim como sua irrupção na história do homem, quando se encarnou em Jesus Cristo.

"quer dar luzes sobre a importância essencial que Deus tem para nós, para nossa vida pessoal e social, para a compreensão de nós mesmos e do mundo, para a esperança que ilumina nosso caminho, para a salvação que nos espera além da morte".

Bento XVI destaca também que "em uma situação cultural e espiritual como a que estamos vivendo, aonde cresce a tendência a relegar a Deus à esfera da vida privada, a considerá-lo como irrelevante e supérfluo, ou a refutá-lo explicitamente, desejo de coração que este evento possa contribuir ao menos a elucidar esta penumbra que torna precária e temerosa para o homem de nosso tempo a abertura a Deus, embora Ele não deixe nunca de tocar a nossa porta".

As experiências do passado, continua o Papa, "não tão longínquo a nós, ensinam que quando Deus desaparece do horizonte do homem, a humanidade perca orientação e se arrisca em caminho para a destruição de si mesmo".

A fé em Deus, conclui o Santo Padre, "abre ao homem ao horizonte de uma esperança certa, que não desaparece, indica um sólido fundamento sobre o qual alguém pode apoiar sem temor a vida, exige abandonar-se com confiança nas mãos do Amor que sustenta o mundo".

Você pode Gostar de:

Catedral de Cuiabá celebra 7 anos dedicação do seu novo Altar

Recordamos que no dia 13 de setembro 2014 às 17h00 foi realizada a Santa Missa …