Página Inicial / Animação Litúrgica / Domingo dia 03 de janeiro – Epifania

Domingo dia 03 de janeiro – Epifania

Confira as sugestões litúrgicas para o Domingo da Epifania do Senhor (Manisfestação) dia 03 de janeiro.

Sugestões Litúrgicas:

EPIFANIA DO SENHOR

– 03 de janeiro de 2010 –

" Vimos a estrela …e viemos adorar…"

Leituras:

1a. Leitura – Is 60,1-6
Salmo:  71 (72)

2a. LeituraEf 3,2-3ª.5-6
Evangelho: Mt 2,1-12

COR LITÚRGICA: BRANCO OU DOURADO

SÍMBOLO LITÚRGICO

A luz [o ouro, o incenso, a mirra = símbolos da realeza]

SUGESTÕES PARA A CELEBRAÇÃO

·        O círio pascal é introduzido na procissão de entrada. Chegando à frente, a pessoa que carrega o círio se volta para a assembléia e proclama a oração: Bendito sejas, Deus da vida, porque fizeste nascer, hoje, para nós, o sol do Oriente, Jesus Cristo, nossa salvação. Todos cantam em resposta: A luz resplandeceu em plena escuridão. Jamais irão as trevas vencer o seu clarão.

·        Os cantos e músicas, executados com atitude espiritual, condizentes com o tempo, ajudam a comunidade a penetrar no mistério celebrado. O Hinário Litúrgico 1, da CNBB, e o Ofício Divino das Comunidades (ODC) trazem muitas sugestões: Vimos a sua estrela, H1, p.89; Eis que veio o Senhor dos senhores, H1, p.12; Glória, glória nas alturas, H1, p.51; Glória a Deus, no mais alto dos céus, H1, p. 50; Vamos a Belém, H1, p. 87; Hino ao verbo de Deus, H1, p. 47; Os devotos do Divino, ODC, p. 312;

·        Alguém entra com o incensório e incensa o altar, o círio, o menino Jesus, a mesa da Palavra e toda assembléia. Usar o incenso também nas outras partes tradicionais da celebração (evangelho, sobre as oferendas, consagração)

·        É apropriado fazer a bênção da água e aspersão. A celebração do Batismo do Senhor este ano será na segunda-feira, dia 9 de janeiro. Onde for possível, seria bom fazer essa bênção.

·        Nas regiões onde existe Folia de Reis seria bom convidar o grupo para prestar uma homenagem ao menino Jesus. Pode ser no início da celebração, depois da homilia, ou no final da celebração.

·        Bênção final própria para a festa da Epifania, conforme Missal Romano.

ACOLHIDA

Preparar próximo à porta da entrada da Igreja as imagens dos Reis Magos, incensórios e uma estrela. A equipe de acolhida recebe quem chega, dando as boas-vindas e entregando o folheto. Onde houver folia de reis, congo ou outra tradição, poderá fazer a acolhida aos fiéis do lado de fora da Igreja, com músicas e danças. Procurar envolvê-los em outros momentos da celebração.

Dir. 2 – Irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos. Nesta Solenidade da Epifania do Senhor, continuamos a alegria do Natal, festejando o dom da graça e da ternura de Deus que se manifesta em todas as nações e culturas pela visita dos três reis do oriente. Com muita fé em nossos corações e atitude de adoração, nos coloquemos diante de nosso Deus, cantando.

Procissão de entrada: crucifixo, velas, Lecionário (ou Bíblia), Círio Pascal, ministros e dirigente 1.

 CANTO DE ENTRADA
Eis que veio o Senhor dos senhores,/ Em suas mãos, o poder e a realeza. (bis)

1. Dai ao rei vossos poderes, Senhor Deus,/ Vossa justiça ao descendente da realeza!/ Com justiça ele governe o vosso povo,/ Com eqüidade ele julgue os vossos pobres.

2. Libertará o indigente que suplica,/ E o pobre ao qual ninguém quer ajudar./ Todos os povos serão nele abençoados,/ Todas as gentes cantarão o seu louvor!

3. Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito,/ Como era no princípio, agora e sempre.

SAUDAÇÃO
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Amém.
Eis que veio o Senhor dos senhores, em suas mãos, o poder e a realeza. Irmãos e irmãs, o Deus, queconstância e conforto, vos a graça da harmonia e da concórdia, na paz de nosso Senhor Jesus Cristo e na comunhão do Espírito Santo.
Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

ENTRADA DAS IMAGENS DOS REIS MAGOS

Dir. 3 – A estrela que guiou os magos até Belém brilha hoje no caminho de cada um de nós. Cantemos com alegria, acolhendo as imagens do Reis Magos.

Crianças da catequese trazem a imagem do Menino Jesus e, no ritmo do canto, jovens e adolescentes entram fazendo uma coreografia trazendo as imagens dos Magos, incensórios e a estrela, colocando-os no presépio.

1. São três reis que chegam lá do Oriente para ver um rei que acaba de nascer. Dizem que um é branco, o outro cor de jambo, o outro rei é negro e que vieram ver. O novo rei que nasceu igual estrela no céu.

2. Dizem que uma estrela muito diferente lá do Oriente se podia ver. Falam de um cometa, ninguém sabe ao certo, mas pelo deserto eles vieram ver. O novo rei que nasceu igual estrela no céu

3. E trazem ouro, incenso e mirra pra festejar o novo rei que tem poder e majestade que vem do céu, que é de Deus. Que vai sofrer, que vai morrer e que nos libertará…

4. São milhões de vidas que no Ocidente, que no Oriente sofrem de opressão. Têm todas as cores, todos os temores, todos os rancores desta humilhação. Esperam libertação e olham todos pro céu.

5. Dizem que um futuro muito diferente essa pobre gente inda conhecerá. Dizem que é seguro, que o futuro é certo que anda muito perto, que começa já! Olham pro rei que nasceu igual estrela no céu.

 

INTRODUÇÃO

Jesus nasce judeu, em Belém. Mas ele vem para ser a luz que ilumina todos os homens e povos, “os pagãos são admitidos à mesma herança”. A estrela leva os magos ou pagãos até Jesus. Eles ajoelham-se diante de Jesus e o adoram, eles o adotam como seu Deus. A seguir, eles retornam a suas terras. Agora eles é que vão ser a estrela que leve seus povos, seus irmãos até Jesus para também o adorarem e o terem como sua luz em seus caminhos, em suas vidas!

ATO PENITENCIAL
Bom Pai, com quanto amor vós enviastes vosso Filho para ser a luz de toda a humanidade! E, com quanta lentidão nós nos deixamos iluminar por ele! Com quanta lentidão nós o anunciamos e testemunhamos àqueles que ainda não o conhecem e não o acolhem! Perdoai-nos! (Pausa)

— Pelas vezes em que procuramos nos apossar de Jesus como propriedade exclusiva nossa.
— Perdoai-nos, Senhor, não vivemos nossa vocação!
— Pelas vezes em que nossa vida não foi estrela a guiar os irmãos até Jesus.
— Perdoai-nos, ó Cristo, não vivemos nossa vocação!
— Pelas vezes em que nossas atitudes escandalizaram irmãos fracos na , levando-os a se afastarem de nossa Igreja, de nossas comunidades.
— Perdoai-nos, Senhor, não vivemos nossa vocação!
Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.
Amém.

HINO DE LOUVOR
Glória a Deus nas alturas/ e paz na terra aos homens por ele amados./ Senhor Deus, Rei dos céus,/ Deus Pai todo-poderoso./ Nós vos louvamos,/ nós vos bendizemos,/ nós vos adoramos,/ nós vos glorificamos,/ nós vos damos graças/ por vossa imensa glória./ Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito,/ Senhor Deus,/ Cordeiro de Deus,/ Filho de Deus Pai./ Vós, que tirais o pecado do mundo,/ tende piedade de nós./ Vós, que tirais o pecado do mundo,/ acolhei a nossa súplica./ Vós, que estais à direita do Pai,/ tende piedade de nós./ vós sois o Santo,/ vós, o Senhor,/ vós, o Altíssimo,/ Jesus Cristo,/ com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

ORAÇÃO
Ó Deus, que hoje revelastes o vosso Filho às nações, guiando-as pela estrela, concedei aos vossos servos e servas, que já vos conhecem pela fé, contemplar-vos um dia face a face no céu. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
PRIMEIRA LEITURA

(Is 60,1-6) Jesus é a luz que ilumina os caminhos, a vida da inteira humanidade.
Leitura do Livro do profeta Isaías:
Levanta-te, acende as luzes, Jerusalém, porque chegou a tua luz, apareceu sobre ti a glória do Senhor.
Eis que está a terra envolvida em trevas, e nuvens escuras cobrem os povos; mas sobre ti apareceu o Senhor, e sua glória já se manifesta sobre ti. Os povos caminham à tua luz e os reis ao clarão de tua aurora.
Levanta os olhos ao redor e vê: todos se reuniram e vieram a ti; teus filhos vêm chegando de longe com tuas filhas, carregadas nos braços. Ao vê-los, ficarás radiante, com o coração vibrando e batendo forte, pois com eles virão as riquezas de além-mar e mostrarão o poderio de suas nações; será uma inundação de camelos e dromedários de Madiã e Efa a te cobrir; virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incenso e proclamando a glória do Senhor.
— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus!
RESPONSÓRIO (Sl 71)
— As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!
— As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!
— Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus,/ vossa justiça ao descendente da realeza!/ Com justiça ele governe o vosso povo,/ com eqüidade ele julgue os vossos pobres.
— Nos seus dias a justiça florirá/ e grande paz, até que a lua perca o brilho!/ De mar a mar estenderá o seu domínio,/ e desde o rio até os confins de toda a terra!
— Os reis de Társis e das ilhas hão de vir/ e oferecer-lhe seus presentes e seus dons;/ e também os reis de Seba e de Sabá/ hão de trazer-lhe oferendas e tributos./ Os reis de toda a terra hão de adorá-lo,/ e todas as nações hão de servi-lo.
— Libertará o indigente que suplica,/ e o pobre ao qual ninguém quer ajudar./ Terá pena do indigente e do infeliz,/ e a vida dos humildes salvará.

SEGUNDA LEITURA
(Ef 3,2-3a.5-6) Também aos pagãos se estende a promessa divina da salvação.
Leitura da Carta de São Paulo apóstolo aos Efésios:
Irmãos e Irmãs: Se ao menos sou-bésseis da graça que Deus me concedeu para realizar o seu plano a vosso respeito, e como, por revelação, tive conhecimento do mistério.
Este mistério, Deus não o fez conhecer aos homens das gerações passadas, mas acaba de o revelar agora, pelo Espírito, aos seus santos apóstolos e profetas: os pagãos são admitidos à mesma herança, são membros do mesmo corpo, são associados à mesma promessa em Jesus Cristo, por meio do Evangelho.
Palavra do Senhor.
Graças a Deus!

ACLAMAÇÃO
Aleluia, aleluia,/ Aleluia, aleluia,/ Aleluia, aleluia! (bis)
Pois nós vimos sua estrela/ A brilhar no Oriente/ E assim vimos adorar/ O Senhor de toda gente.
EVANGELHO
(Mt 2,1-12) Não basta adorarmos Jesus, nossa missão é levar toda a humanidade à mesma adoração.
— O Senhor esteja convosco!
Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, † segundo Mateus.
Glória a vós, Senhor!
Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém, perguntando: “Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo”.
Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbado, assim como toda a cidade de Jerusalém.
Reunindo todos os sumos sacerdotes e os mestres da Lei, perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer. Eles responderam: “Em Belém, na Judéia, pois assim foi escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, de modo algum és a menor entre as principais cidades de Judá, porque de ti sairá um chefe que vai ser o pastor de Israel, o meu povo”.
Então Herodes chamou em segredo os magos e procurou saber deles cuidadosamente quando a estrela tinha aparecido. Depois os enviou a Belém, dizendo: “Ide e procurai obter informações exatas sobre o menino. E, quando o encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-lo”.
Depois que ouviram o rei, eles partiram. E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até parar sobre o lugar onde estava o menino.
Ao verem de novo a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande.
Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram. Depois abriram seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra.
Avisados em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram para a sua terra, seguindo outro caminho.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor!
 HOMILIA OU PARTILHA DA PALAVRA 

PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA

A Epifania é uma solenidade que teve origem na África, mais exatamente no Egito, e era uma festa pagã durante a qual se celebrava a vitória da luz sobre as trevas. A liturgia cristã retomou este tema e o propõe para nossa meditação, na primeira leitura e no Evangelho. Jesus é apresentado como a luz que atrai para si todos os povos. A segunda leitura nos ensina o que acontecerá no mundo quando os homens escolherem essa luz: tornar-se-ão um único povo. Ao comentarmos a primeira leitura do dia de Natal, falamos dos dramáticos acontecimentos que, 587 anos antes de Cristo, provocaram a destruição de Jerusalém. Essa cidade humilhada, reduzida a um montão de reinas, parece, aos olhos do profeta, uma viúva desolada, sem seu marido, abandonada pelos filhos que foram deportados para uma terra estranha. O sonho do profeta se realizou quando sobre esta cidade começou a brilhar a luz de Cristo. A partir daquele dia ela se tornou uma jovem esposa, para a qual se voltam todos os povos. A quem representa esta cidade? A Igreja. É nela que brilha a luz do Messias. Se observarmos a situação das nossas comunidades cristãs, constataremos, talvez, que nelas há muita confusão, muitas discórdias, muita inveja… Às vezes se assemelham de fato a Jerusalém, velha e decadente. Embora marcadas por deficiências e defeitos, as nossas comunidades continuam sendo "jovens lindas", resplandecentes de luz e continuarão sendo atraentes em cada uma delas, não obstante tudo, continua a brilhar o sol: Cristo. Prestemos atenção aos raios da roda de uma bicicleta: quanto mais se aproximam do eixo, do centro, mais se juntam um ao outro, mais se unem, não é verdade? Assim também as nações, que parecem tão distantes, pela língua, pela mentalidade, pela cultura, pelos costumes, se deixarem atrair pela luz que é Cristo, acabam se aproximando e se entendendo entre si. Os magos representam os homens do mundo inteiro, que se deixam guiar pela mensagem de paz e de amor de Cristo. Eles são a figura da Igreja, formada por povos der todas as raças, tribos, línguas, nações. Em nossos dias, como no tempo de Jesus, diante da estrela, os homens tomam posições diferentes. Há os que, como os magos, se ajoelham, isto é, reconhecem nele a luz do mundo e a seguem; há outros que ficam indiferentes e, por fim, há outros que procuram apagar esta luz. todos contemplaram a mesma realidade: um menino recém nascido; as escolhas, porém, foram e continuam sendo diferentes. Quem está em condições de reconhecê-lo? Aqueles que se deixam iluminar pelas Escrituras que nos falam dele.

CREIO  (Niceno-Constantinopolitano)
Creio em um Deus, Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra,/ de todas as coisas visíveis e invisíveis./ Creio em um Senhor, Jesus Cristo,/ Filho unigênito de Deus,/ nascido do Pai antes de todos os séculos:/ Deus de Deus, luz da luz,/ Deus verdadeiro de Deus verdadeiro,/ gerado, não criado, consubstancial ao Pai./ Por ele todas as coisas foram feitas./ E por nós, homens, e para nossa salvação, desceu dos céus:/ e se encarnou pelo Espírito Santo,/ no seio da Virgem Maria, e se fez homem./ Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos;/ padeceu e foi sepultado./ Ressuscitou ao terceiro dia,/ conforme as Escrituras,/ e subiu aos céus,/ onde está sentado à direita do Pai./ E de novo há de vir,/ em sua glória,/ para julgar os vivos e os mortos;/ e o seu reino não terá fim./ Creio no Espírito Santo,/ Senhor que dá a vida,/ e procede do Pai e do Filho;/ e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado;/ ele que falou pelos profetas./ Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica./ Professo um batismo/ para remissão dos pecados./ E espero a ressurreição dos mortos/ e a vida do mundo que há de vir. Amém.

PRECES DOS FIÉIS

Bom Pai, vosso coração de Pai é aberto a todos, quer acolher a todos! E nosso coração de filhos é geralmente mesquinho, fechado, egoísta. Derramai em nós esse vosso amor!

1. PARA QUE a vida de Jesus, brilhando na face da comunidade-Igreja, seja luz no meio da humanidade a atrair para si todas as pessoas, rezemos ao bom Deus.

Senhor, que vossa vida chegue a toda a humanidade!

2. PARA QUE sejamos felizes em ser iluminados pela luz que é Jesus, e muito mais felizes em testemunhar essa luz a quem ainda se acha nas trevas, rezemos ao bom Deus.

3. PARA QUE o amor universal de Deus em nós leve-nos a alegrar-nos com a luz de Cristo que brilha também fora de nossas comunidades e fora de nossa Igreja, rezemos ao bom Deus.

4. PARA QUE, como os magos, deixemos a casa de Jesus, e saiamos a testemunhá-lo pelos caminhos, praças, em nossas casas, em nossa sociedade, rezemos ao bom Deus.

5. PARA QUE este novo ano seja mais iluminado para a inteira humanidade também pelo testemunho maior de vida, de justiça e fraternidade dos que adoram Jesus, rezemos ao bom Deus.

(Intenções próprias da comunidade.)

Bom Pai, ajudai-nos a viver a solenidade de hoje, a Epifania, vossa manifestação a todos os povos! Dai-nos tornar vosso reino atraente a toda a humanidade. Por Cristo, nosso Senhor.

APRESENTAÇÃO DOS DONS

Dir. 3 – Jesus é a verdadeira luz que ilumina nossa vida e que devemos seguir. Muitas pessoas na família, na comunidade e no mundo nos ajudam a conhecê-lo e a segui-lo. Apresentemos ao Senhor a vida de todas essas pessoas que continuam anunciando Jesus ao mundo.

Duas pessoas apresentam a estrela do presépio e o Círio Pascal, enquanto se canta.

1. Dentro de mim existe uma luz que me mostra por onde deverei andar. Dentro de mim também mora Jesus que me ensina a buscar o seu jeito de amar.

MINHA LUZ É JESUS, E JESUS ME CONDUZ PELOS CAMINHOS DA PAZ. (bis)

2. Dentro de mim existe um farol que me mostra por onde deverei remar. Dentro de mim Jesus Cristo é o sol que me ensina a buscar o seu jeito de sonhar.

3. Dentro de mim existe um amor que me faz entender a lutar por meu irmão. Dentro de mim Jesus Cristo é o calor que acendeu e aqueceu pra valer meu coração.

CANTO DAS OFERENDAS
1. Nas terras do Oriente,/ Surgiu dos céus uma luz
Que vem brilhar sobre o mundo,/ E para Deus nos conduz. (bis)
Nasceu Jesus Salvador:/ Aleluia, aleluia!/ É Ele o Cristo Senhor;/ Aleluia, aleluia!
2. Nasceu-nos hoje um menino,/ Um filho que nos foi dado.
É grande e tão pequenino,/ Deus forte é Ele chamado. (bis)

3. Cantai com muita alegria,/ Que grande amor Deus nos tem!
Pequeno, pobre, escondido,/ Nasceu por nós em Belém. (bis)
ORAÇÃO EUCARÍSTICA II

(Pref. p. 413, MR, p. 477)

CANTO DA COMUNHÃO
Vimos sua estrela no Oriente/ E assim vimos adorar o rei da gente.
1. Onde foi que nasceu o rei dos judeus?/ Em Belém da Judéia, conforme diz Miquéias.
2. No lugar da estrebaria, se deteve a estrela guia./ Encontraram, com alegria, o Menino com Maria.
3. E abrindo os seus tesouros, deram incenso, mirra e ouro./ Glória ao Pai e ao Menino, e ao Espírito Divino.

PÓS-COMUNHÃO
OREMOS:
 Ó Deus, guiai-nos sempre e por toda parte com a vossa luz celeste, para que possamos acolher com e viver com amor o mistério de que nos destes participar. Por Cristo, nosso Senhor.
BÊNÇÃO SOLENE

— O Senhor esteja convosco!
Ele está no meio de nós.
Deus, que vos chamou das trevas à sua luz admirável, derrame sobre vós as suas bênçãos e vos confirme na , na esperança e na caridade.
Amém.
Porque seguis confiantes o Cristo, que hoje se manifestou ao mundo como luz entre as trevas, Deus vos torne também uma luz para os vossos irmãos.
Amém.
— Terminada a vossa peregrinação, possais chegar ao Cristo Senhor, luz da luz, que os magos procuravam guiados pela estrela e com grande alegria encontraram.
Amém.
— Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho † e Espírito Santo.
Amém.
— Glorificai o Senhor com vossa vida; ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
Graças a Deus!
A paz do Senhor esteja sempre convosco!”

Fontes:

·        Jesus, o divino solidário com os pobres, CNBB, Paulus/Paulinas, 2006

·        Dia do Senhor, Marcelo Guimarães e Penha Carpanedo, Tempo Comum Ano C, Paulinas, 2003

·        Liturgia Dominical, Johan Konings, Vozes, 2003

·        Missal Romano

·        Hinários Litúrgicos da CNBB

·        Ofício Divino das Comunidades (OCD), Paulus, 1994

EPIFANIA DO SENHOR     OFICIO DE SOLENIDADE   COR BRANCA   CICLO C     ANO IMPAR   03 de Janeiro de 2010. 

PAROQUIA SÃO GONÇALO PORTO – CUIABA         EPIFANIA  DO  SENHOR   

         

Queridos irmãos e irmãs, bem-vindos para celebrarmos a manifestação de Cristo ao mundo inteiro. Conseqüentemente, celebramos também a vocação universal e missionária da Igreja, que consiste no anúncio da  salvação a todos os povos. A Igreja é chamada a difundir a luz da Boa Nova, fonte de vida e de renovação para todas as pessoas.   Cantemos para iniciarmos a celebração eucarística.

Ato Penitencial:  Os Reis Magos tiveram que realizar uma escolha. Decidiram, venceram os desafios e perseveraram na busca daquele que queriam encontrar: o Messias. Hoje estamos sendo continuamente colocados diante de escolhas que temos que fazer. Temos critérios claros para escolher? Confiamos e perseveramos? Peçamos perdão por nossas fraquezas, cantando.

Glória: â Como os Magos, louvemos a Deus, que se manifesta em Jesus, como luz que ilumina e reúne todos os povos na fraternidade, na paz e no amor. Cantemos o Hino de Louvor.

Entrada da Bíblia: â 

Liturgia da Palavra: â Leitura: â Página:  1001   (Is 60, 1-6)   Jesus é a luz que ilumina os caminhos, e a vida inteira humanidade.

Salmo: â Página:  747  Sl 72 (71)  As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!                                                         Proclamar até o versículo 10º

                                                                                                       

Leitura: â Página:   1503  (Ef 3, 2-6)      O Apóstolo São Paulo adverte a comunidade de Éfeso que também aos pagãos se estende a promessa divina da salvação.


Evangelho: â Página:  1239    (Mt 2,1-12)  Não basta adorarmos Jesus, nossa missão é levar toda a humanidade à mesma adoração.

Aclamação ao Evangelho: â Aclamemos a boa nova cantando….  

Preces da Comunidade: â

Ofertório:  Recebemos o maior de todos os presentes: Deus-Menino. A Ele os Reis Magos ofereceram o que tinham de melhor: ouro, incenso e mirra. E nós ofertamos ao Senhor o nosso coração e com ele o nosso tempo para oração, partilha dos dons e vivencia do amor.    (motivar a oferta) Cantando….

Comunhão: Quando nossa opção é pelo essencial vencemos os desafios e caminhamos confiantes. Assim nos sentimos no encontro com Jesus, na Eucaristia. Ele é o grande sinal, a estrela que tem maior brilho. 

Mensagem Final: A luz que brilhou na gruta de Belém alcançou todos os recantos da terra. O Menino Deus foi enviado ao mundo para ser hospede do coração de todos os seres humanos. A Epifania é a manifestação de Deus ao mundo. É a festa da Luz. Esse brilho jamais será ofuscado e nem fic

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você pode Gostar de:

4º Domingo da Quaresma (21.03)

Ano B – cor roxa – 21/03/2021 1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs em …