Página Inicial / Animação Litúrgica / Domingo dia 20 de junho

Domingo dia 20 de junho

ANO C – 20/06/2010 – 12º DOMINGO DO TEMPO COMUM  -“SE ALGUÉM QUER ME SEGUIR, RENUNCIE A SI MESMO, TOME SUA CRUZ CADA DIA E SIGA-ME” (Lc 23)

Preparar o espaço celebrativo conforme o tempo litúrgico, dando destaque à cruz.
NOSSA GLÓRIA É A CRUZ ONDE NOS SALVOU JESUS. (3x)
01. ACOLHIDA
Animador(a) – Queridos irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos para celebrar o Mistério Pascal. Acolhemos com especial carinho os visitantes, os aniversariantes e os migrantes. Hoje, a Igreja do Brasil, comemora o 25º Ano do Dia do Migrante e pede a cada um de nós que sejamos solidários com esses(as) irmãos(ãs) que deixam sua terra na busca de melhores condições de vida.
EU VIM DE LONGE PRA ENCONTRAR O MEU CAMINHO. TINHA UM SORRISO E O SORRISO AINDA VALIA. ACHEI DIFÍCIL A VIAGEM ATÉ AQUI, MAS EU CHEGUEI, MAS EU CHEGUEI.
Animador(a) – A liturgia nos apresenta o caminho para termos a certeza de nossa salvação: crer e confessar publicamente que Jesus é o “Cristo de Deus”. Para isso é necessário segui-Lo no dia a dia, fazendo a entrega de nossa própria vida pelos irmãos. Com este compromisso, cantemos.
Procissão de entrada como de costume.
02. CANTO INICIAL
DO SEU POVO ELE É A FORÇA, SALVAÇÃO DO SEU UNGIDO; SALVA, SENHOR, TEU POVO, SOCORRE OS TEUS QUERIDOS!
1. O Senhor é minha luz, Ele é minha salvação. O que é que eu vou temer? Deus é minha proteção. Ele guarda minha vida: eu não vou ter medo, não. (bis)
2. Quando os maus vêm avançando, procurando me acuar, desejando ver meu fim, querendo me matar, inimigos opressores é que vão se liquidar. (bis)
3. Se um exército se armar, contra mim não temerei. Meu coração está firme, e firme ficarei. Se estourar uma batalha, mesmo assim, confiarei. (bis)
4. Sei que eu hei de ver, um dia, a bondade do Senhor: lá na terra dos viventes, viverei no seu amor. Espera em Deus! Cria coragem! Espera em Deus que é teu Senhor. (bis)
Presidente – Reunidos pelo amor da Santíssima Trindade, façamos o sinal da nossa fé. EM NOME DO PAI…
Presidente – O Deus Pai Criador, o Filho nosso Salvador e o Espírito Santo Santificador, estejam conosco. BENDITO SEJA DEUS…
03. DEUS NOS PERDOA
Presidente – Crer em Cristo nos leva a abraçar sua cruz no sofrimento, na caridade e no perdão. Em silêncio, pensemos nas vezes em que nos afastamos do caminho de Jesus. (pausa) Confessemos os nossos pecados.   Confesso a Deus todo poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes, por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa, e peço à Virgem Maria, aos anjos e santos, e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus nosso Senhor.
Presidente – Deus misericordioso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. AMÉM.
– Senhor, tende piedade de nós. Senhor…
– Cristo, tende piedade de nós. Cristo…
– Senhor, tende piedade de nós. Senhor…
04. ORAÇÃO
Presidente – Ó Pai, vós nos revelais o vosso imenso amor no vosso Filho, que se entregou pela salvação do mundo. Dai-nos coragem de anunciar Jesus Cristo e de segui-Lo realizando seu projeto de vida. Por Cristo, na unidade do Espírito Santo. AMÉM.
Animador(a) – A liturgia de hoje nos revela um Deus sempre disposto a oferecer a salvação aos pecadores que se convertem, que assumem sua cruz e seguem os passos de Jesus. Ouçamos.
05. LEITURA DA PROFECIA DE ZACARIAS (12,10-11;13,1)
06. SALMO RESPONSORIAL (62)
A MINH’ALMA TEM SEDE DE VÓS, COMO A TERRA SEDENTA, Ó MEU DEUS! (bis)
– Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh’alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja.
– Como terra sedenta e sem água, venho, assim, contemplar-vos no templo, para ver vossa glória e poder. Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam.
– Quero, pois, vos louvar pela vida, e elevar para vós minhas mãos! A minh’alma será saciada, como em grande banquete de festa; cantará a alegria em meus lábios, ao cantar para vós meu louvor!
– Para mim fostes sempre um socorro; de vossas asas à sombra eu exulto! Minha alma se agarra em vós; com poder vossa mão me sustenta.
07. LEITURA DA CARTA DE SÃO PAULO AOS GÁLATAS (3,26-29)
08. CANTO DE ACLAMAÇÃO
ALELUIA! ALEGRIA! VAMOS TODOS ESCUTAR A PALAVRA QUE IRRADIA FORÇA PARA PROCLAMAR.
1. Caminhamos na estrada de Jesus, suportando o peso da nossa cruz, testemunhando a fé que professamos em Jesus Ressuscitado, modelo que buscamos.
09. PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO LUCAS (9,18-24)
10. PARTILHA DA PALAVRA
Após a Partilha da Palavra, pode-se cantar o canto abaixo.
NOSSA GLÓRIA É A CRUZ ONDE NOS SALVOU JESUS.
1. Nós devemos gloriar-nos nesta cruz de salvação: traz-nos vida e liberdade e nos dá ressurreição.
2. Foi preciso ao Senhor, para entrar na sua glória, ser na cruz crucificado: é o caminho da vitória.
3. E quem quer viver unida sua vida à de Jesus, não terá outro caminho: “pela cruz se chega à luz!”
11. PROFISSÃO DE FÉ
Presidente – Iluminados pela Palavra de Deus, professemos a nossa fé. CREIO EM DEUS PAI…
12. PRECES DA COMUNIDADE
Presidente – Ao Pai que nos revelou seu Filho e nos mostra o caminho da salvação, peçamos confiantes: ATENDEI, SENHOR, A NOSSA PRECE.
– Senhor, iluminai o Papa Bento XVI, os bispos, padres, diáconos, religiosos(as) e toda a Igreja espalhada pelo mundo inteiro, para que siga corajosamente o caminho revelado por Jesus. Nós vos pedimos.
– Senhor, despertai vossos filhos e filhas para que assumam a missão de cristãos batizados e coloquem seus dons e talentos a serviço da Igreja e da sociedade. Nós vos pedimos.
– Senhor, abençoai todos os migrantes que caminham na esperança de uma vida melhor e ajudai-nos a acolhê-los, amá-los e respeitá-los em sua dignidade, defendendo-os de todo tipo de discriminação. Nós vos pedimos.
– Senhor, protegei as Paróquias São João Batista de Aracruz, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Itapina e todas as comunidades que celebram a festa de seus padroeiros, para que esse momento seja de união e crescimento na fé. Nós vos pedimos. (preces espontâneas)
Presidente – Senhor, atendei as súplicas da vossa Igreja reunida. Por Cristo, nosso Senhor. AMÉM.
13. APRESENTAÇÃO DOS DONS
Animador(a) – Há milhões de pessoas que por diferentes motivos estão em constante movimento. “A realidade das migrações não deve nunca ser vista só como problema, mas também e sobretudo, como grande recurso para o caminho da humanidade”.
Animador(a) – Apresentemos ao altar do Senhor a nossa disponibilidade em acolher e ajudar os migrantes que chegam em nossa comunidade, assim como a contribuição da cultura, mão de obra, costumes e da fé que trazem com eles.
Entram pessoas que migraram para a comunidade e apresentam símbolos ligados à sua vida.
QUEM DISSE QUE NÃO SOMOS NADA, QUE NÃO TEMOS NADA PARA OFERECER. REPARE NOSSAS MÃOS ABERTAS TRAZENDO AS OFERTAS DO NOSSO VIVER. (bis)
1. A fé do homem nordestino que busca um destino e um pedaço de chão. A luta do povo oprimido que abre caminho, transforma a nação. Ô, Ô, Ô, recebe Senhor. (bis)
14. CANTO DAS OFERENDAS
(Onde houver Celebração da Palavra)
QUE VOS SEJA AGRADÁVEL, VOS PEDIMOS SENHOR O NOSSO SACRIFÍCIO QUE OFERTAMOS NO AMOR.
1. Bendito sejais Deus nosso Pai e Salvador, pelo que recebemos por vossa bondade, pelo fruto da terra, trabalho e suor aqui apresentados para a santidade, e nossa salvação como dádiva de amor que será pão da vida e da eternidade.
2. Senhor Deus do universo, bendito sejais pelo fruto da vide que vos ofertamos no cálice com vinho que agora nos dais, que por divina bondade o recebemos, na aliança que não nos deixará jamais e que será o sangue bendito que cremos.
(Onde houver Celebração Eucarística)
1. Recebei ó Deus de amor os dons de vinho e pão, com eles entregamos nosso coração.
PAI SANTO, RECEBEI A NOSSA GRATIDÃO! FAZEI-NOS A IMAGEM, DO VOSSO CORAÇÃO.
2. Neste gesto de oferenda trazemos sobre as mãos a vida e o trabalho, de todos os irmãos.
3. As ofertas que vos damos, por Cristo, nosso irmão, se tornem para todos, sinal de salvação.
15. MOMENTO DE LOUVOR
Animador(a) – Louvemos a Deus por todas as pessoas que a exemplo dos apóstolos, professam sua fé em Jesus Cristo, vivendo a justiça, a fraternidade e o amor, na família, na comunidade e na sociedade, cantando.
Este canto é somente para a Celebração da Palavra.
GLÓRIA, GLÓRIA, ALELUIA! (3x) LOUVEMOS AO SENHOR!
1. Na beleza do que vemos, Deus nos fala ao coração, tudo canta, Deus é grande, Deus é bom e Deus é Pai. É seu Filho Jesus Cristo que nos une por amor. Louvemos ao Senhor!
2. Deus nos fez comunidade pra vivermos como irmãos, braços dados, todos juntos, caminhemos sem parar. Jesus Cristo vai conosco, ele é jovem como nós. Louvemos ao Senhor!
3. Jesus Cristo é alegria, Jesus Cristo é amor. Da vitória sobre a morte deu a todos o penhor. Venceremos as tristezas, venceremos o temor. Louvemos ao Senhor!
16. PAI NOSSO
Presidente – A vontade do nosso Pai que está nos céus é que sigamos o exemplo do seu Filho Jesus  para alcançarmos a vida eterna. Rezemos confiantes. PAI NOSSO…
17. ABRAÇO DA PAZ
Animador(a) – Em Cristo, que assumiu nossos pecados e pela cruz nos redimiu trazendo a paz, saudemo-nos com um abraço fraterno. (canto à escolha)
18. CANTO DE COMUNHÃO (se houver)
1. Todo aquele que comer do meu corpo que é doado, todo aquele que beber do meu sangue derramado, e crê nas minhas palavras que são plenas de vida, nunca mais sentirá fome e nem sede em sua lida.
EIS QUE SOU O PÃO DA VIDA, EIS QUE SOU O PÃO DO CÉU; FAÇO-ME VOSSA COMIDA, EU SOU MAIS QUE LEITE E MEL.
2. O meu Corpo e o meu Sangue são sublimes alimentos do fraco indigente é vigor, do faminto é o sustento. Do aflito é consolo, do enfermo é a unção, do pequeno e excluído, rocha viva e proteção.
3. Eu sou o caminho, a vida, água viva e a verdade, sou a paz e a luz do mundo, sou a própria liberdade. Sou a Palavra do Pai que entre vós habitou, para que vós habiteis na Trindade onde estou.
4. Eu sou a Palavra viva que sai da boca de Deus, sou a lâmpada para guiar vossos passos, irmãos meus. Sou o rio, eu sou a ponte, sou a brisa que afaga, sou a água, sou a fonte, fogo que não se apaga.
19. ORAÇÃO
Presidente – Senhor nosso Deus, alimentados pela vossa Palavra (e pela Comunhão), iluminai-nos para que possamos conhecer sempre mais o vosso Filho Jesus, que entregou sua vida para nos salvar e nos ensinou a servir nossos irmãos até as últimas consequências. Ele que convosco vive e reina para sempre. AMÉM.
20. NOTÍCIAS E AVISOS
21. BÊNÇÃO
Presidente – O Deus de bondade nos abençoe no seu amor e infunda em nós a sabedoria da salvação. AMÉM.
– Sempre nos alimente com os ensinamentos da fé e nos faça perseverar nas boas obras. AMÉM.
– Oriente para Ele os nossos passos e nos mostre o caminho da caridade e da paz. AMÉM.
– A bênção de Deus PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO desça sobre nós e permaneça para sempre. AMÉM.
– Vamos em paz e o Senhor nos acompanhe. GRAÇAS A DEUS.
22. CANTO FINAL
1. Nossa alegria é saber que um dia todo esse povo se libertará pois Jesus Cristo é Senhor do mundo nossa esperança realizará. (bis)
2. Jesus manda libertar os pobres e ser cristão é ser libertador; nascemos livres pra crescer na vida não pra ser pobres nem viver na dor. (bis)
3. Vendo no mundo tanta coisa errada, o povo pensa em desanimar: mas quem tem fé sabe que está com Cristo, tem esperança e força pra lutar. (bis)
4. Ano após ano o tempo vai passando e a gente espera a libertação: se a gente luta, ela vai chegando, se a gente para, ela não chega não! (bis)
PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA
Este domingo quer levar a comunidade cristã a se confrontar com o Cristo total. É a partir da oração que podemos penetrar mais fundo no mistério de Cristo. Jesus pergunta aos discípulos: “Quem dizem as multidões que eu sou?” Eles responderam: “João Batista; outros, Elias; outros, porém, um dos antigos profetas, que ressuscitou”. E vem a pergunta decisiva: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”. (cf. Lc 9,18-24) Em seguida, Jesus revela a outra face da sua pessoa: o sofrimento e a morte pela qual deve passar o Filho do Homem. Finalmente, Ele mostra que o caminho do Mestre é também o caminho do discípulo. Descortina-se aqui o drama que são chamados a viver todos os homens e mulheres neste mundo. É um drama em quatro atos: Primeiro: o que dizem os outros de Jesus. Segundo: o posicionamento pessoal diante de Jesus: “E tu, quem dizes que eu sou?” Tendo visto os sinais, deverá dar a resposta de Pedro: “Tu és o Cristo de Deus”. Mas vem o terceiro ato: Jesus vai revelando também o verso da medalha, o outro lado do mistério de Cristo – a rejeição e a morte. Já não é tão fácil acolher este Cristo. Vem, então, o último ato: a sorte do Mestre será também a sorte do discípulo. Quem quiser ser discípulo de Jesus terá que renunciar-se a si mesmo, tomar sua cruz cada dia e segui-Lo. Assim chegará também à vida. Quantas vezes nós cristãos insistimos em considerar em Cristo apenas o lado glorioso, o Filho de Deus, esquecendo-nos do lado humano, da desfiguração, anunciada pelo profeta Zacarias na Primeira Leitura. (Zc 12,10-11) Teremos que considerar sempre os dois aspectos. O que se diz de Jesus Cristo também podemos perceber no nosso relacionamento com o próximo. Somos convidados a considerá-Lo e a acolhê-Lo na sua totalidade: tanto o aspecto sublime, a dimensão divina do homem, como o aspecto estritamente humano da limitação, do pecado, da desfiguração de sua dignidade. Isso será possível somente se o considerarmos com os olhos da fé. O seguimento de Cristo leva os cristãos a experimentarem em suas vidas a mesma sorte do Cristo de Deus: tornados filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus, todos foram batizados em Cristo e se revestiram de Cristo. (cf. 2ª leitura, Gl 3,26-28) Este processo de ser batizado em Cristo e revestir-se dele continua através da vida. É tomar a cruz todos os dias e segui-Lo. É perder a vida por causa de Cristo para salvá-la.
LEITURAS DA SEMANA:
2ª feira: 2Rs 17,5-8.13-15a.18; Sl 59; Mt 7,1-5
3ª feira: 2Rs 19,9b-11.14-21.31-35a.36; Sl 47; Mt 7,6.12-14
4ª feira: Jr 1,4-10; Sl 70; 1Pd 1,8-12; Lc 1,5-17
5ª feira: Is 49,1-6; Sl 138; At 13,22-26; Lc 1,57-66.80
6ª feira: 2Rs 25,1-12; Sl 136; Mt 8,1-4
Sábado: Lm 2,2.10-14.18-19; Sl 73; Mt 8,5-17
Domingo: 1Rs 19,16b.19-21; Sl 15; Gl 5,1.13-18; Lc 9,51-62

“A AFIRMAÇÃO DE PEDRO”
Irmãos e irmãs, bem-vindos para celebrar a Santa Eucaristia. Recordemo-nos que hoje é o Dia do Migrante, cuja trajetória pelos caminhos da nossa Pátria lembra o Povo de Deus atravessando o deserto em busca da Terra Prometida. Rezemos para que encontrem o seu lugar, onde possam viver com tranqüilidade e dedicar-se mais à busca de outros valores, que, com certeza, apontam para a eternidade, que é a meta final dos peregrinos nesse mundo. Iniciemos nossa celebração, cantando.  
Ato Penitencial:- Crer em Cristo nos leva a abraçar sua cruz no sofrimento, na caridade e no perdão. Em silêncio, pensemos nas vezes em que nos afastamos do caminho de Jesus. (pausa) Confessemos os nossos pecados. 
Glória: Glorifiquemos, com muita alegria, nosso Deus e Senhor porque nos protege em todos os momentos de nossas vidas. Cantemos o hino de Louvor.
Entrada da Bíblia: O Evangeliário é a presença viva do Senhor, que nos fala na Liturgia da Palavra, convidando-nos a confiar em sua Mensagem.  Cantando.
Liturgia da Palavra: 1ª Leitura: (Zc 12,10-11;13,1) O Profeta nos fala que o caminho da entrega não é um caminho de fracasso, mas um caminho que gera vida nova para nós e para os outros.   (in Dehonianos)   
Salmo: Sl  63(62)  “A minha alma tem sede de vós, como a terra sedenta, ó meu Deus!” 
2ª Leitura: (Gl 3, 26-29)   O cristão deve “revestir-se” de Jesus, renunciar ao egoísmo e ao orgulho e percorrer o caminho do amor e do dom da vida. 
Evangelho: (Lc 9, 18-24)  A liturgia deste Domingo coloca no centro da nossa reflexão a figura de Jesus: quem é Ele?,  e qual o impacto que a sua proposta de vida tem em nós?
Aclamação ao Evangelho:Aclamemos a boa nova cantando….  
Preces da Comunidade:
Ofertório: O tema: “Tome sua e cruz e siga-me” presente no Evangelho, e o tema do migrante, necessitado de deixar sua terra em busca de vida nova, fazem da procissão do Evangelho um caminho que indica o altar de Cristo como ponto de chegada, o local onde podemos depositar a segurança de nossas vidas, sem medo e sem nos angustiar diante das tempestades.  (motivar a oferta) Cantando….
Comunhão:  Viver em paz e enfrentar as tempestades da vida com serenidade é conseqüência de quem confia no Senhor.
Mensagem Final: Quantas vezes nós cristãos insistimos em considerar em Cristo apenas o lado glorioso, o Filho de Deus, esquecendo-nos do lado humano, da desfiguração, anunciada pelo profeta Zacarias na Primeira Leitura. (Zc 12,10-11) Teremos que considerar sempre os dois aspectos. O que se diz de Jesus Cristo também podemos perceber no nosso relacionamento com o próximo. Somos convidados a considerá-Lo e a acolhê-Lo na sua totalidade: tanto o aspecto sublime, a dimensão divina do homem, como o aspecto estritamente humano da limitação, do pecado, da desfiguração de sua dignidade.

Você pode Gostar de:

17º Domingo do Tempo Comum (24.07)

Ano C – cor verde – 24/07/2022 1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs, sejam …