Dia do Leigo e da Leiga

A vocação de ser leigo e leiga a serviço da Igreja Junto com a festa de Cristo Rei celebra-se também o Dia do Leigo e da Leiga. Vocação especial, muitas vezes esquecida (tendemos a acreditar que vocacionados são somente os sacerdotes e freiras). Ser leigo(a) neste mundo é um permanente desafio. Desafio de vida e testemunho:como ser do mundo, sem ser do mundo. Leigos(as) ocupam importantes ministérios na vida da Igreja e assumem sua vocação particular de constituir família – e aceitar com generosidade a vocação matrimonial que Deus lhes dá.Assumem a vocação de atuar profissionalmente com ética, dedicação e diferencial positivo no sentido de ser uma pessoa diferente no meio de tantas. Assumem vocação missionária, dedicando-se muitas vezes solitariamente ao outro mais necessitado. Enfim, leigos (as) assumem o grande desafio de serem pedras vivas da Igreja.

Para que possamos responder a essa vocação,herdamos de Jesus Cristo o seu Espírito que dá força,sabedoria, coragem para que o anúncio do Evangelho seja eficiente e eficaz em todos os lugares onde estivermos. Para isso, o batismo nos concede a graça de participarmos do seu múnus sacerdotal, profético e real. São meios importantes para que possamos exercer a índole secular Ser leigo(a) no mundo de hoje é um permanente desafio. Assume a vocação de atuar profissionalmente com ética, dedicação e diferencial positivo no sentido de ser uma pessoa diferente no meio de tantas.Jesus quer que continuemos a anunciar o que Ele mesmo iniciou (Lc 4,17-18). O supremo e eterno Sacerdote Jesus Cristo quer continuar seu testemunho e seu serviço também através dos leigos. Vivifica-os, por isso, com o seu Espírito e incessantemente os impele para toda obra boa e perfeita.Como membro do povo de Deus, o leigo(a) é chamado a ser fermento de santidade, testemunhando as riquezas de seu Batismo e Confirmação. Ele traz ao conjunto da Igreja a sua experiência de participação nos problemas, desafios e urgências do seu mundo. “Promovendo na Igreja estruturas de diálogo, de participação e ação pastoral de conjunto,expressão de maior consciência de pertencer à Igreja"(Puebla 794-799). Por isso, assume trabalhos diversificados dentro da comunidade (ministérios).A Igreja é povo de Deus trilhando o caminho de santidade. A santidade consiste na vivência da comunhão. Portanto, leigos(as), sacerdotes e religiosos (as) num mesmo caminho de santidade na Igreja. Aos nossos leigos(as), o nosso muito obrigado por assumirem tantos trabalhos na Igreja.

Padre Orivaldo Egídio da Silva – Diretor Editorial BOLETIM CAMINHO DE COMUNHÃO
secretaria.curia@hotmail.com

Você pode Gostar de:

Liturgia do 13º Domingo do Tempo Comum 27.06.2021

“DEUS NÃO FEZ A MORTE E NEM TEM PRAZER COM A DESTRUIÇÃO DOS VIVOS!” 1.Acolhida …